A pessoa certa para a tarefa

Duas lições quando Cornélio escolheu a pessoa certa.

O centurião CornélioConfie um trabalho espiritual a uma pessoa espiritual. Cuidar das viúvas foi um trabalho espiritual (Atos 6), que exigiu, não um currículo de administrador de empresa, mas sim qualidades de um homem de Deus.

Da mesma forma, quando o anjo de Deus ordenou que Cornélio chamasse Pedro para pregar-lhes o evangelho, veja o que ele fez:

Depois que o anjo que lhe falou se foi, Cornélio chamou dois dos seus servos e um soldado piedoso dentre os seus auxiliares, e, contando-lhes tudo o que tinha acontecido, enviou-os a Jope.
Atos 10.7-8 NVI

Esse soldado saberia, mais do que outros, como tratar com Pedro. Ele iria apreciar, quando os outros achariam bobagem, o objetivo da viagem. Ele tomaria mais cuidado, faria mais esforço, mostraria mais interesse em cumprir a ordem do seu superior.

Sejamos nós pessoas piedosas e devotas para sermos dignos de recebermos tarefas no reino de Deus.

E confiemos as obras do reino a pessoas de igual índole, para que seja cumprido da melhor forma possível o trabalho de Deus.

Faça de mim, ó Pai, a pessoa que eu deveria ser. Santifico-me para ser instrumento útil no seu serviço. Amém.

1 pensamento em “A pessoa certa para a tarefa”

  1. Prezado irmão, concordo, precisamos ser antes pessoas piedosas para que dessa forma possamos passar pra frente algo que seja de Deus e não de homens. Paulo instruindo a Timóteo – seu fiel escurdeiro – disse: “E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros.” (2 Tm 2.2). Antes, porém, o apóstolo disse: “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus.” (2 Tm 2.1). Concluindo: antes de passarmos algo, espiritualmente falando, precisamos ser espirituais, ou seja, agir segundo o Espírito – frutificar conforme seu fruto (Gl 5.22,23) – para que a vontade de Deus seja cumprida, não só em nós, mas também nos outros. Obrigado pelas sábias palavras.

Deixe uma resposta