Ele creu

Considerem o exemplo de Abraão: “Ele creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça”.
Gálatas 3.6

Parece fácil, não é? Creu e pimba! Deus o aceitou. Nada de obras para tentar ganhar a aprovação divina.

Quem conhece a história de Abraão sabe que não é bem assim.

Quando Deus o chamou, o patriarca tinha que deixar sua pátria e sua famí­lia para sair para um local desconhecido.

Quando o Senhor prometeu um filho, ele tinha que ficar décadas soprando as faí­scas da sua confiança.

Quando o Soberano o exigiu que oferecesse seu filho da promessa e matá-lo num altar, Abraão não hesitou, mas obedeceu. Cegamente.

Deus não aceita a quem, apesar de crer que ele existe, não acredita que ele recompensa quem o busca (ler Hebreus 11.6).

Uma fé qualquer não resolve.

Tem que ser a fé de Abraão.

É essa que você tem?

(A seguir, leia uma reflexão por trás da meditação.)

Li o verso na NVI e quando resolvi usá-lo para a meditação, eu ia dar o tí­tulo de “Considerem o exemplo”, palavras essas que são as primeiras do verso na NVI. Fui verificar o grego e consultar outras versíões e descobri que essas palavras não constam no original. Na versão mais literal, AVR, o verso é assim: “Assim como Abraão creu a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça”.

Mas a minha ênfase no verso ia ser na idéia de considerar o exemplo dele. Se eu não tivesse usado outros recursos, eu teria dado uma ênfase que não está no original. Meu ponto teria sido válido, mas eu teria usado o verso errado para isso.

Falo isso, não para criticar a NVI, que uso no ensino e na pregação, mas para citar exemplo de como é fácil afirmar coisas a partir de um verso na Bí­blia que não estão no texto original, só porque não fazemos um estudo mais apurado. Tenhamos — e me coloco nisso também — muito cuidado na hora de fazer uma afirmação, pois é possí­vel que alguém nos corrija e tenhamos a vergonha de reconhecer um erro que podí­amos ter evitado com certa facilidade.

Deixe uma resposta