‘Aceitem-se uns aos outros’. Ou, em outras palavras, façam como Jesus

Romanos 15.7: No relacionamento fraternal, sigamos o exemplo Jesus.

O que fazer quando surgem diferenças entre os seguidores de Cristo? Continue seguindo Cristo!

Portanto, aceitem-se uns aos outros, da mesma forma que Cristo os aceitou, a fim de que vocês glorifiquem a Deus.
Romanos 15.7

Aceitar significa receber, acolher, considerar como digno de comunhão e cooperação, apesar de fracassos e diferenças pessoais. Paulo já usou o termo duas vezes neste contexto, em Rom 14.1,3. Ele o usa para descrever a aceitação de Onésimo por parte de Filemon, Fil 17.

A acolhida de todos por parte de Cristo na sua comunhão é o modelo que devemos seguir. A menção dele, acima, não é mera afirmação motivacional, mas um chamado ao discipulado verdadeiro. A aceitação por parte de Cristo mostra que o discipulado não se trata apenas do relacionamento do seguidor com o Senhor, mas também de como tratamos nossos irmãos em Cristo.

“Isto é mais do que uma manifestação do amor fraternal; é uma exigência primitiva da religião cristã” (Spicq).

O alvo, e o resultado, de tal aceitação é a glória de Deus (ver verso 6). Deus é glorificado quando os seguidores de Cristo agem como ele, aceitando todos na igreja.

Tudo é feito “por amor à verdade de Deus”, Rom 14.8, então não está em vista nenhum comprometimento da verdade. Justamente por trabalhar por amor à verdade de Deus torna-se possível Jesus estender sua misericórdia a todas as nações, Rom 14.8-13. E devemos fazer o mesmo.

Desta maneira, será possível que todos “glorifiquem a Deus por sua misericórdia” Rom 14.9. E tal glorificação “é a meta final da obra de Cristo, como da vida cristã, pessoal e comunitária” (TEB).

Deixe uma resposta