Amor de Deus em Cristo

Romanos 8.38-39: O poder de Deus trabalha pelo seu amor por nós.

Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. Romanos 8.38-39

Quão grande amor de Deus! Paulo junta seu amor ao seu poder. Este não permite que nada nos separe daquele. A lista é apenas ilustrativa, pois inclui tudo dentro da criação. Fora da criação é apenas Deus. Paulo presume, corretamente, que o cristão não quer se separar do seu amor.

Convém lembrar que o amor de Deus tem de ser recebido. É preciso corresponder à oferta da comunhão divina. Aquilo que Deus oferece tem de ser aceitado por parte do homem. Quem aceita o amor dele tem a segurança de continuar sempre no seu amor, se assim desejar.

O amor de Deus “está em Cristo Jesus, nosso Senhor”. A criação mostra a bondade de Deus em termos gerais, mas somente em Jesus é possível perceber o cumprimento do plano eterno para a redenção da humanidade. Sem Jesus, ficamos longe do amor de Deus.

Por que mencionar aqui Jesus como Senhor? Justamente porque temos de obedecê-lo para receber o amor de Deus. Em Jesus a submissão e a intimidade se encontram.

Em seu livro sobre o amor, o irmão Nelson Smith escreveu: “Se formos separados do nosso Deus, é porque decidimos abandoná-lo. Ele não nos expulsou. É nossa escolha permanecer ou abandonar”.

Deus Pai, segura-me poderosamente no seu amor em Cristo.

Deixe uma resposta