Toda a autoridade

Jesus continua até hoje com toda a autoridade.

Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra”. Mateus 28.18

Todo mandamento que Jesus deu, ou pessoalmente ou por meio dos seus apóstolos, é obrigatório porque a ele foi dada da parte do Pai toda a autoridade. Ele ainda detém toda a autoridade. Ele não a delegou a ninguém. Da mesma forma como ele falava somente o que recebeu do Pai, os apóstolos falaram apenas o que ouviram de Jesus. Continue lendo “Toda a autoridade”

Não me deixou sozinho

Jesus sentia certeza da presença do Pai, e podemos também.

Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou sozinho, pois sempre faço o que lhe agrada. João 8.29

Jesus tinha certeza da presença do Pai com ele. No evangelho de João, refere-se frequentemente ao Pai como “Aquele que me enviou”. Para Jesus, o envio do Pai não era um ato único, no passado, para que, no presente, ele tivesse que se virar sozinho. Junto com a missão do Pai, veio a presença do Pai. Continue lendo “Não me deixou sozinho”

Servir e esperar

Paulo oferece excelente descrição da conversão.

pois eles mesmos relatam de que maneira vocês nos receberam, e como se voltaram para Deus, deixando os ídolos a fim de servir ao Deus vivo e verdadeiro, e esperar dos céus seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos: Jesus, que nos livra da ira que há de vir.
1 Tessalonicenses 1.9-10

Paulo descreve a conversão dos tessalonicenses. Esta inclui a esperança da salvação eterna quando Jesus vier. Servir e esperar são dois aspectos importantes do Caminho. O servir é motivado pela segunda vinda de Cristo. O esperar é definido pelo Deus vivo que deu vida ao seu Filho e que também a dará a nós. Continue lendo “Servir e esperar”

Ele amou primeiro

Deus nos ama. Devemos amar aos irmãos.

Nós amamos porque ele nos amou primeiro.
1 João 4.19

“Deus é amor”, escreveu João, duas vezes, 1 João 4.8, 16. É a sua natureza o ser amor. Tudo o que ele faz é expressão do amor. Ele criou o ser humano a fim de demonstrar o amor. O amor não é isolado; Deus toma a iniciativa no amor. Nosso amor é uma resposta ao dele. Continue lendo “Ele amou primeiro”

Pode ir. Pode crer.

Jesus falou, tá falado.

Então ele lhe disse: “Por causa desta resposta, você pode ir; o demônio já saiu da sua filha”. Ela foi para casa e encontrou sua filha deitada na cama, e o demônio já a deixara. Marcos 7.29-30

A mesma fé que levou a mulher siro-fenícia a procurar Jesus também a levou a deixá-lo quando ele disse que sua filha estava bem. Ela creu que Jesus tinha curado sua filha. Continue lendo “Pode ir. Pode crer.”

Poucos são escolhidos

Jesus reitera o que falou no sermão do monte.

“Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”.
Mateus 22.14

Jesus falou estas palavras no final da parábola do banquete de casamento. Ilustrou o que tinha falado no sermão do monte: poucos serão salvos, Mateus 7.13-14. Deus quer que todos sejam salvos, mas poucos aceitam o chamado. Continue lendo “Poucos são escolhidos”

Nós voamos

Eis por que Jesus é tão superior a Moisés.

Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos! Salmo 90.10

O título deste salmo atribui a Moisés a autoria: “Oração de Moisés, homem de Deus”, o único salmo dele no livro todo. Embora ele tenha chegado aos 120 anos de idade, a maior parte da vida dele foi de adversidade. Continue lendo “Nós voamos”

A realidade distante

O homem natural anda nas trevas, sem entender nada.

A realidade está bem distante e é muito profunda; quem pode descobri-la? Ecclesiastes 7.24

A natureza da realidade e sua razão de existir é um mistério para o homem, sem haver uma revelação da parte de Deus. O rei Salomão, autor do livro, reconhece a obscuridade do ser. O ser humano não pode responder, por si só, a pergunta que se forma, inevitavelmente, nos seus lábios: “Por que existo? Por que estou aqui?” Continue lendo “A realidade distante”

Que devo fazer?

Uma boa pergunta, e uma ótima resposta.

Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’. Atos 22.10

Saulo, o perseguidor, viu o Senhor Jesus a caminho de prender cristãos na cidade de Damasco. Quando percebeu quem era o Senhor, ele fez uma pergunta de grande importância: Que devo fazer? Mas o plano de Deus determinou que os cristãos deveriam proclamar os termos do evangelho. Mesmo Jesus o respeitou. Alguns dias depois, um homem enviado pelo Senhor diria a Saulo o que fazer para ser salvo. Continue lendo “Que devo fazer?”

Julgando por si mesmos

É necessário julgar corretamente—especialmente em relação a Jesus.

“Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo?
Lucas 12.57

O ser humano foi criado para raciocinar e chegar a conclusões válidas, baseadas nas evidências que ele acumula. O Senhor Jesus repreendeu as pessoas do seu dia por não julgar corretamente. Elas deviam usar esta função divinamente concedida, ao invés de usar um raciocínio errôneo, especialmente em relação ao próprio Jesus, João 7.24. Continue lendo “Julgando por si mesmos”