Que saí­sse

Então o povo começou a suplicar a Jesus que saí­sse do território deles.
Marcos 5.17

Manada de porcos

Os artistas apresentam quadros de Jesus como um homem afeminado e delicado. Nada que assustaria.

Mas na região dos gerasenos, Jesus restaura um homem possesso por uma legião de demí´nios, a quem ninguém podia dominar (verso 4). Jesus é responsável, indiretamente, pela morte de uma manada de dois mil porcos.

Espantados, os moradores da região pedem que Jesus vá embora.

Quando Jesus entra em nossa vida, ele faz “estragos”. Para arrumar, ele tem que derrubar muros, arrancar piso, varrer entulho. Para reformar um prédio, é necessário fazer estrago.

Mas alguns Não aceitam que Jesus assim mexa na vida. Acabam pedindo ele ir embora.

O que você quer que Jesus faça hoje: ir embora ou ficar para arrumar sua vida?

Nunca

Quanto a vocês, irmãos, nunca se cansem de fazer o bem.
2 Tessalonicenses 3.13

De fazer o bem, não se tira férias nem se aposenta, até o dia em que nosso Senhor vier.

O cristão não pergunta se adianta fazer o bem, pois sabe que Deus prometeu fazer frutificar a sua palavra, tal qual semente que brota e produz em abundância.

Não importa se outros desistem ou desanimam; não nos cansaremos por causa dos outros. Quanto a nós, continuaremos fazendo o bem por causa do nosso Senhor, que nunca deixou de agradar Aquele que o enviara.

Fazer o bem constitui parte da natureza do cristão, pois ele é filho de Deus. Os outros têm o diabo por pai e assim buscam o interesse próprio, mas o discí­pulos de Jesus nunca considera essa possibilidade.

O que você vai fazer hoje?

Lentos

Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difí­ceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender.
Hebreus 5.11

Mulher pensando na vidaQuem enche a cabeça com o mundo acha difí­cil de entender a Bí­blia. Pega-a na mão, abre em lugar qualquer e reclama que está difí­cil de compreender. E está mesmo. Mas o problema Não está com a Bí­blia.

As palavras Não fazem sentido. Falta conhecimento do contexto. Ignora-se a história da salvação desenvolvida pelo Senhor durante os séculos da perversidade humana.

O que fazer, então, para aprender?

Primeiro, ler, ler e ler de novo. A Bí­blia é sua própria intérprete e quem a conhece pela leitura consegue juntar as peças e perceber para onde quer nos levar.

Segundo, submeter-se e praticar. Deus nos deu as Escrituras para nos resgatar e oferecer a vida dele. Assim, a Bí­blia Não é uma curiosidade histórica, nem um manual interessante para tirar alguns princí­pios para serem colados ao que já ví­nhamos fazendo, nem um tapa-buraco para ajudar-nos a passar uma época ruim.

Se você é lento para aprender, apresse-se para entender qual é a vontade de Deus.

Cai sete vezes

Pois ainda que o justo caia sete vezes, tornará a erguer-se, mas os í­mpios são arrastados.
Provérbios 24.16

boxeador na lonaNo ringue o boxeador apanha, cai, levanta e apanha de novo. Parece que Não sabe quando ficar na lona. Levanta só para dar a cara para bater.

Este Não é o quadro do justo. Ele Não levanta para apenas apanhar de novo. Ergue-se porque, mesmo arrasado pelas adversidades ou pelas suas próprias fraquezas, ficará mais forte, mais bem-sucedido, mais sábio, mais focado no seu Deus.

O inimigo que fica de tocaia, achando que pela sua destreza e astíºcia, conseguirá derrubar o justo (verso 15), terá a grande surpresa de ver seu alvo dar a volta por cima enquanto ele é arrastado para a ruí­na. Como Satanás olhando para o Jesus crucificado.

Pois amanhã, o justo ressurgirá.

Aumentando a multidão

Aumentando a multidão, Jesus começou a dizer: “Esta é uma geração perversa. Ela pede um sinal miraculoso, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas. …”
Lucas 11.29

Jesus ensina as multidoesOs religiosos adoram multidíµes e fazem de tudo para aumentar seus níºmeros. Fazem shows, promovem dança como parte dos seus cultos, manipulam as emoçíµes para conquistar audiências. Vale tudo para atrair mais pessoas.

As multidíµes deixavam Jesus ansioso. Embora para ele níºmeros sejam importantes, pois cada níºmero representa uma alma, raramente via as multidíµes com bons olhos.

Primeiro, na multidão perde-se o indiví­duo.

Segundo, a multidão desce ao impulso mais baixo contido nela. Aqui, é o desejo de ver milagres impressionantes, e Não atos de misericórdia.

Jesus rejeita até o elogio saí­do da multidão (verso 27-28). E recusa a agradá-la.

Melhor é ser fiel í€quele que nos enviou do que agradar a multidão.

Veloz

Ele envia sua ordem à  terra, e sua palavra corre veloz.
Salmo 147.15

Corredor
Como mensageiro com mensagem importante a entregar, a palavra de Deus chega logo ao seu destino e efetua o resultado que seu Dono deseja.

Essa palavra cuida da terra e abençoa o povo de Deus.

Assim, não devemos pensar que o Senhor demore nas suas deliberações nem retenha de nós o que promete.

O Criador do universo é ágil no que faz.

Sejamos nós ágeis em nossa obediência a ele.

Encontrarão

O amor e a fidelidade se encontrarão; a justiça e a paz se beijarão.
Salmo 85.10

“Tudo se encaixou perfeitamente”. Assim dizemos quando um projeto dá certo ou as condições para determinado esforço foram favoráveis.

Para quem teme a Deus, tudo se encaixa perfeitamente. O favor do Senhor está conosco. Suas qualidades, personificadas no verso acima, se juntam num grande encontro alegre para despejar sobre seu povo sua bênção.

Essa cena é que nos leva ao arrependimento (versos 1-7), deixando de tocar a própria vida para confiar no Senhor (verso 8).

Neste momento está marcado o grande encontro quando tudo se encaixa.

Pé no pescoço

Os cinco reis foram tirados da caverna. Eram os reis de Jerusalém, de Hebrom, de Jarmute, de Láquis e de Eglom. Quando os levaram a Josué, ele convocou todos os homens de Israel e disse aos comandantes do exército que o tinham acompanhado: “Venham aqui e ponham o pé no pescoço destes reis”. E eles obedeceram.
Josué 10.23-24

Pe no pescocoJosué e o povo de Israel estavam conquistando a terra de Canaã, conforme promessa e ordem do Senhor Deus. Tinham vencido a liga dos cinco reis das cidades mencionadas acima.

Josué quer que os comandantes sintam o sabor da vitória que Deus lhes dera. Assim, criariam mais confiança ainda no poder do Senhor.

Hoje, nossa guerra não é travada contra seres humanos, mas contra as forças malignas do mundo espiritual. Não basta vencer contra elas, mas precisamos pôr o pé no pescoço.

Quer dizer, precisamos perceber quão grande vitória Deus nos dá. É importante saborear os feitos maravilhosos que ele opera em nossa vida, vencendo sobre tentações, ví­cios, hábitos nocivos e situações difí­ceis.

Nossa luta é demorada e desgastante, mas nunca devemos nos esquecer de ter colocado o pé no pescoço do inimigo.

Tocou

“Quem tocou em mim?”, perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: “Mestre, a multidão se aglomera e te comprime”.
Lucas 8.45

Mulher toca JesusDezenas, talvez centenas, de pessoas tocavam em Jesus. Mas do meio da multidão havia um toque especial. Um toque necessitado. Um toque carente.

A esse toque Jesus permitiu que dele saí­sse poder para curar. Mas não permitiu que a pessoa beneficiada permanecesse oculta. Queria que ela soubesse que estava curada com a plena permissão e bênção dele.

Ninguém chega a Jesus despercebido. Não pode e nem precisa. Pois o que ele mais quer é que procuremo-no no momento da necessidade.

Mudando ou não nossa circunstância ou situação, Jesus não nos permite ir embora sem transmitir sua paz ao coração.

Egoí­stas

Saiba disto: nos últimos tempos sobrevirão tempos terrí­veis. Os homens serão egoí­stas, …
2 Timóteo 3.1-2a

Normalmente, não associamos “tempos terrí­veis” com o egoí­smo. Para o mundo, o egoí­smo é algo que todos temos. Até dizem que temos que zelar pelo “número um”, isto é, pelo nosso próprio interesse.

O termo “egoí­stas” acima encabeça uma longa lista de pecados, pois quem ama a si próprio (o significado literal do termo) comete todo tipo de transgressão.

Destes, o cristão deve ficar longe (verso 5). E deve saber que o amor próprio nada tem a ver com sua vida em Cristo.