As denominações fizeram uma concessão aqui, outra ali, tudo para tentar uma modernização e alcançar os fiéis e principalmente os jovens que são bombardeados com tantos estímulos diferentes. O que percebemos são grandes atrações musicais, promessas de curas e prosperidade, palestras eloquentes e entusiastas que comovem grande número servindo apenas para sensibilizar pessoas. Conscientização é de caráter individual, assim como comprometimento. É preciso estudar a palavra e entender de uma vez por todas que não precisamos adequá-la ao mundo para que as pessoas queiram permanecer na “igreja”. Somos nós quem necessitamos de mudança urgente. A palavra é eficaz e seu conteudo é suficiente não sendo necessário que acrescentemos ou diminuamos qualquer coisa. Chega de buscar artimanhas para que os fiéis permaneçam em comunhão. E nos lembremos que a igreja se reúne no primeiro dia da semana para um culto de adoração ao Senhor e é Ele que deve ser agradado e receber com satisfação nossa adoração.