Não somos objetivos sobre nós mesmos

2 Coríntios 10.18: Não temos condições de nos declarar bons.

A opinião que se tem a respeito de si próprio não tem efeito positivo no destino eterno. Não importa o que eu penso de mim mesmo. Tais opiniões geralmente aprovam a conduta, mas isso não significa que o Senhor aprova. Ele não carimba nossas conclusões a nosso próprio respeito.

pois não é aprovado quem a si mesmo se recomenda, mas aquele a quem o Senhor recomenda”.
2 Coríntios 10.18

Recomendar-se a si mesmo é declarar que suas intenções, motivações, atitudes e ações sejam boas. Tal tentativa é inútil pois o homem não é juiz objetivo sobre o que é bom. Mas Deus informa ao homem o que é bom, Miqueias 6.8. Sua vontade revelada é boa, Romanos 12.2. Então devemos examinar todas as coisas e reter o que é bom, 1 Tessalonicenses 5.21.

Na Bíblia descobrimos o que Deus considera como bom. As Escrituras nos informam plenamente o que o Senhor recomenda. Numa palavra, Deus é bom e faz somente o bem, Salmo 119.68. Ele, então, é a medida e o padrão. O que ele julga como bom é o que nos recomenda. A pessoa que faz o que ele recomenda é por ele aprovada.

Ser aprovado por Deus é ouvir dele: “Muito bem, servo bom e fiel! (…) Venha e participe da alegria do seu senhor!” Mateus 25.21, 23.

Se não soubermos, pelo estudo das Escrituras, o que o Senhor recomenda, e se não o praticarmos e ensinarmos, seremos envergonhados no últimos dia, 2 Timóteo 2.15.

2 comentários em “Não somos objetivos sobre nós mesmos”

Deixe uma resposta