‘Nada sou’

E nada inferior aos falsos mestres.

humildade espiritualPrograma para os jovens. Prédio bonito. Pregador que fala bem. Muitas atividades sociais. Muito movimento. Assim é como avaliamos uma igreja. E na medida em que essa tendência prevaleça entre nós, mais se aplica a nós 2 Coríntios, capítulos 10 a 13.

Fui insensato, mas vocês me obrigaram a isso. Eu devia ser recomendado por vocês, pois em nada sou inferior aos “super-apóstolos”, embora eu nada seja.
2 Coríntios 12.11 NVI

Paul comete a “estupidez” de se comparar aos falsos apóstolos que tinham se infiltrado no meio dos coríntios, para mostrar a hipocrisia e carnalidade deles. Ao lembrá-los da natureza verdadeira de um apóstolo — ele no meio deles — esperava que podiam reconhecer, e rejeitar, os falsos mestres, que humanamente ofereciam tudo o que se podia desejar.

Ao fazer a comparação, ele reconhece que nada é, que não tem nenhum mérito diante de Deus, que apenas faz, como Jesus tinha falado, o dever dele. E é justamente essa percepção de si mesmo que o permite a falar a seu próprio respeito.

Deus da verdade, obrigado por nos dar a liberdade de falar de tudo, inclusive nós mesmos, com a clareza da realidade que o Senhor nos revela.

Zelo que vem de Deus

Na luta pela fidelidade dos irmãos.

batalha espiritualO que você faz quando aparece uma ameaça à saúde ou à vida de um ente querido, digamos, um filho, ou o cônjuge? Você luta! Faz de tudo para protegê-lo. É isso que Paulo faz pelos convertidos a Cristo em Corinto.

O zelo que tenho por vocês é um zelo que vem de Deus. Eu os prometi a um único marido, Cristo, querendo apresentá-los a ele como uma virgem pura.
2 Coríntios 11.2 NVI

Como um pai cuida da filha até ela casar-se com o prometido, Paulo nunca deixou de trabalhar pelos coríntios, para que estes chegassem no dia final, preparados para encontrar-se com Cristo.

Quando via ensinamentos ou influências que ameaçavam o encontro dos coríntios com Cristo, ele entrava em ação para neutralizá-los.

Quem falta zelo pelos seus irmãos nada fará. Quem pensa mais em sua reputação ou em sua própria pele ficará em silêncio.

Deus que se tornou vulnerável pela salvação do mundo, faça-me zeloso, ciumento, prestativo, para não deixar que nada perturbe a caminhada dos meus irmãos.

Quem aprova?

É Quem conhece a todos.

Deus é juizNão importa o que você pensa de si mesmo. Aprovando ou não, sua opinião, por mais incrível que pareça, não é a que conta. Deus não carimba a opinião nossa a nosso respeito, seja de aprovação, seja de reprovação.

Pois a pessoa só é aprovada quando o Senhor a aprova e não quando é aprovada por si mesma.
2 Coríntios 10.18 NTLH

O Senhor não nos deixa no escuro quanto ao critério que ele usa para aprovar as pessoas. Ele julga conforme seu próprio carácter. Por isso, devemos ser como ele. Cristo nos santifica e o Espírito nos transforma na sua imagem. A Bíblia revela como é Deus.

Resta saber se faremos, ou não, a vontade de Deus conforme revelada nas Escrituras.

 

‘O carioca é preguiçoso’

Se pode neles, pode em vocês.

No Brasil existe, em maior ou menor grau, sentimentos competitivos entre as populações dos estados e preconceitos a respeito da cultura de cada região. Chega a ouvir afirmações absurdas sobre a preguiça do carioca ou o capitalismo do paulista.

Na antiguidade, tais sentimentos eram mais agudos. Ao longo dos séculos, existia animosidade entre os vizinhos da Acaia (Grécia) e da Macedônia. Os gregos, segundo Demóstenes, consideravam os macedônios como bárbaros. Filipe II e seu filho Alexandre Magno (foto) uniram os dois povos politicamente, mas não acabaram com as rivalidades.

Irmãos, queremos que vocês saibam o que a graça de Deus tem feito nas igrejas da província da Macedônia.
2 Coríntios 8.1 NTLH

Mesmo durante o império romano, preconceitos e animosidades ainda existiam entre as regiões e províncias. E para cristãos duma região (os coríntios eram gregos) que se considerava o centro intelectual e artístico do mundo, o apelo ao exemplo duma região vizinha bárbara seria, de certa forma, um tapa no rosto para o esnobismo coríntio.

Se a graça de Deus tinha feito tão grandes feitos nos macedônios, o que ele poderia fazer nos coríntios?

Deus de todos os povos, que eu consiga ver a sua graça atuando nos santos em outros lugares, atuação esta que me inspira a obras no reino ainda maiores que já realizei.

Deus nos animou

Boa notícia é sempre bem-vinda.

conforto mútuoAlgumas pessoas nos animam pela presença, outras pelas palavra ou atos. Paulo ficou animado com a notícia que Tito trouxe de Corinto, após ser enviado por ele para trabalhar para o arrependimento da igreja naquela cidade.

Porém Deus, que anima os desanimados, nos animou com a chegada de Tito.
2 Coríntios 7.6 NTLH

Com esta boa notícia de Tito, da atenção e do amor dos coríntios, Paulo retorna a um tema que trabalhou no primeiro capítulo: o conforto que Deus nos dá por meio dos outros.

O amor se regozija com a justiça, isto é, “se alegra quando alguém faz o que é certo” (1 Coríntios 13.6 NTLH), quando as melhores esperanças a respeito dos outros se justificam.

Às vezes as pessoas desapontam, mas tem hora que cumprem a vontade de Deus e, pelas suas atitudes, nos trazem grande alegria. Pois o nosso desejo é o de ver todos andando de acordo com a verdade, para o seu bem eterno.

O que me anima

Arrependimento doi e dá alegria.

O que nos animaAlgumas coisas causam tristeza, em maior ou menor grau, como a aposentadoria do ônibus espacial Endeavor e, mais tarde neste ano, o fim da era destas naves. Outros momentos produzem grandes alegrias, sejam eles terrenos ou espirituais. Anima-nos muitíssimo a correção feita por pessoas desviadas do caminho de Cristo. Nem se compara a emoção animada de participar deste processo de trazer alguém de volta do mundo para a comunhão de Deus.

Tenho grande confiança em vocês, e de vocês tenho muito orgulho. Sinto-me bastante encorajado; minha alegria transborda em todas as tribulações.
2 Coríntios 6.4 NVI

Paulo escreveu e visitou aos coríntios, fez grandes esforços para que estes discípulos abandonassem o caminho do egoísmo e do orgulho, assim inovando na sua fé e deixando o modelo cristão. Também enviou Timóteo a eles para ajudar nesse processo. Seu filho na fé voltou com boas notícias do arrependimento da igreja. Paulo então fica encorajado com o resultado dos esforços pela fidelidade dos coríntios.

Tais alegrias não ocorrem por acaso, mas vêm por meio de grandes esforços. O bom é que estas perduram, enquanto as alegrias mundanas dissipam com o raiar do outro dia.

Recomendamo-nos de todas as formas

Tudo por Jesus, para ganhar a todos.

bom exemplo cristãoO cristão cuja motivação maior é servir a Deus e agradá-lo em todas as coisas não tem como meta exercer sua liberdade, nem aproveitar a vida, como fazem os pagãos. Sua meta não é progredir na profissão, ganhar dinheiro, garantir um certo nível de conforto, nem conquistar clientes. Sua disposição de sofrer pelo evangelho não tem limite.

Não damos motivo de escândalo a ninguém, em circunstância alguma, para que o nosso ministério não caia em descrédito. Pelo contrário, como servos de Deus, recomendamo-nos de todas as formas: …
2 Coríntios 6.3-4a NVI

Seguindo a afirmação de Paulo vem uma lista extensa das formas pelas quais eles se recomendavam como servos de Deus. A lista é tão grande que não é possível reproduzir neste espaço, mas leia-a agora nesse link.

Tão grande esforço de zelar pela reputação própria por amor do evangelho não evitará os ataques dos falsos cristãos. Poderá até servir para outros ângulos de crítica, mas o bom exemplo desmentirá os críticos para quem quer saber. Pois é mais que um bom exemplo: é uma vida tomada totalmente pela graça de Deus.

Tal auto-recomendação serve ao evangelho e não à própria pessoa. Jesus é tudo, e para ele fazemos de tudo para que sua mensagem seja aceita por todos.

Futuristas

O relógio cristão: Logo.

esperança cristãO cristão não vive para o momento presente, mas sim para um futuro próximo e eterno quando herdará a perfeição na presença de Deus. Tudo o que Deus fez no passado, e no presente faz, tem este propósito em mente.

Foi Deus que nos preparou para esse propósito, dando-nos o Espírito como garantia do que está por vir.
2 Coríntios 5.5 NVI

Paulo tinha acabado de descrever o propósito: “para que aquilo que é mortal seja absorvido pela vida” (v. 4). Por mais alegre que seja o presente, aguarda-nos o futuro onde todos os sonhos serão realizados, e muito mais.

Sendo assim, como podemos nos esquecer de trabalhar para aquele futuro e conduzir-nos no presente para que sejamos dignos de recebê-lo?

Pai celeste, faça-me olhar sempre para a frente, para o futuro, para o momento em que o tempo vire eternidade, o mortal se transforme em imortalidade, e a esperança brote em realidade.

Cada coisa no seu lugar

No evangelho, nada de bagunça.

o evangelho organizadoTem gente desorganizada, e tem pessoas que têm um lugar para casa coisa. No evangelho, sem desprezar as diferenças de personalidade, cada coisa ou, melhor, pessoa, tem seu lugar.

Porque nós não pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor, e a nós mesmos somos os servos de vocês, por causa de Jesus.
2 Coríntios 4.5 BND

Os coríntios estavam bagunçados, espiritualmente. Não tinham as pessoas nos lugares certos. Exaltavam alguns servos no lugar de senhor. Isso Paulo não admite.

Pregavam Jesus como Senhor. Aplicado a Jesus, Senhor significa divino e soberano. Essa verdade significa que todas as pessoas têm que obedecê-lo, para receber a salvação. Isso não é opcional.

Pregavam a si mesmos como servos, não somente de Deus, mas dos próprios convertidos. Essa pregação exclui a arrogância e a falsa humildade.

A mesma pregação hoje é fiel ao evangelho de Cristo.

Meu Deus, que minha mensagem ao mundo seja organizada em torno do Senhorio de Cristo e da minha servidão em favor do seu povo, por causa de Jesus.

15 minutos de fama

Jesus segura a atenção.

glória divinaO artista Andy Warhol disse em 1968 que, no futuro, toda pessoa teria seus 15 minutos de fama mundial. Hoje, brilha uma pessoa por seus atos ou beleza, até cair logo do radar da atenção pública e ser substituída por outro. Comparado ao ministério de Moisés, que tinha seu momento de glória no plano de Deus, o ministério do Espírito — o evangelho de Cristo — tem uma glória muito maior e duradoura.

Não será o ministério do Espírito ainda muito mais glorioso?
2 Coríntios 3.8 NVI

A atenção humana troca frequentemente os objetos de seu foco. As tendências de moda, entretenimento e música refletem essa inconstância. Mas Jesus tem a glória capaz de segurar nossa atenção para sempre. Mais ainda, é uma glória transformadora (v. 18), fazendo nosso serviço no reino de Deus superior a todos os outros.

Pai, quero que minha atenção seja sempre fixa em Jesus e nas grandezas espirituais que ele nos traz, pois ele brilha mais, eternamente.