Com Deus o resultado

2 Samuel 10.12: Deus tem seu plano.

O seguidor de Cristo obedece ao seu Senhor e busca fazer toda a vontade do Pai. Mesmo assim, ele reconhece que Deus fará o que lhe aprovar. A iniciativa sempre fica com Deus e suas decisões soberanas são respeitadas pelo seu povo. Continue lendo “Com Deus o resultado”

Quem conquista seu coração?

2 Samuel 15.6: Qual o amigo que você prefere?

O que você prefere: alguém que lhe fala a verdade ou alguém que fala o que você quer ouvir? O primeiro provavelmente tem o seu bem como objetivo. O segundo tem uma agenda e usará você como peça para avançar seus propósitos escusos.

Absalão fazia isso com todos os israelitas que iam pedir ao rei Davi que fizesse justiça, e assim ele conquistava o coração do povo de Israel.
2 Samuel 15.6 NTLH

Absalão falava o que o povo queria ouvir e exagerava nos cumprimentos, bajulando e ganhando o apoio popular. Depois de quatro anos, proclamou-se rei e fez com que o seu pai, o rei Davi, fugisse de Jerusalém.

Cuidado com aquele que sempre toma seu lado. Ele não é amigo, mas sim traidor do reino de Deus.

Abra meus olhos, Pai celestial, para que eu não seja levado ao erro pelo engano das pessoas.

Segure essa ideia: Melhor o amigo que fala verdade, / Que o apoio da falsa sinceridade.

O banido pode ser restaurado

2 Samuel 14.14: Uma grande verdade surge do meio de uma manobra de engano.

Joabe mandou que uma mulher não identificada aparecesse perante o rei Davi. Ela levou um falso pedido para lhe restaurar o único filho e protegê-lo dos que queriam matá-lo por ele ter matado o irmão dele. No final, Davi percebe quem estava por trás da jogada. Mas no meio do diálogo a mulher fala algumas palavras poderosas de sabedoria.

Que teremos que morrer um dia, é tão certo como não se pode recolher a água que se espalhou pela terra. Mas Deus não tira a vida; ao contrário, cria meios para que o banido não permaneça afastado dele.
2 Samuel 14.14 NVI

Joabe usava esta mulher para conseguir que Davi aceitasse de volta seu filho Absalão, restaurando-lhe às boas graças do rei. Então, neste versículo, na referência ao banimento e restauração, ele está falando sobre a situação do rei.

Na manobra do caso dela para a situação de Davi, estas palavras soam as mais verdadeiras.

O negócio de Deus é restaurar o homem à sua presença. Não se ignora a justiça, como o homem a deixa de lado para fazer as pazes. Pois Deus é tanto justo como justificador, como Paulo nos informaria mais tarde.

Em Cristo, porém, ele criou meios para nos trazer de volta à presença dele.

Tanta coisa não pode ser desfeita nesta vida, ó Senhor, mas em Cristo tu desfizeste as consequências dos nossos pecados. Louvado seja ao Senhor por nos restaurar por meio da Cruz!

Segure esta ideia: O banido Deus restaura, / A Cruz de Cristo é nossa aura.

 

Mais uma vez consultou o Senhor

“Pois quem conhece a mente de Deus?”

Embora criado à imagem de Deus, o ser humano não sabe o que Deus pensa. O Senhor revela seus pensamentos, mas ele tem de ser consultado. Ele pode ser ignorado ou esquecido, mas sempre para o nosso prejuízo. Foi assim também com Davi:

Mais uma vez Davi consultou o Senhor, …
2 Samuel 5.23a, NLTH

Quando o rei Davi consultava o Senhor, ia bem com ele. Quando deixava de consultá-lo, havia problemas, como no transporte da arca (capítulo 6). Ele aprendeeu que “o Senhor, nosso Deus, nos castigou por não o termos consultado como devíamos” (1 Crônicas 15.13).

E quando ele quis construir um templo para o Senhor, ele fez certo, consultando o profeta Natã (2 Samuel 7.1ss). Só que o profeta se esqueceu de consultar o Senhor e de imediato deu o seu aval. Afinal, ele imaginava que tal desejo tivesse de ser agradável ao Senhor. Mas o Senhor não quis que Davi construísse o templo.

A grande lição ensinada no início do reinando de Davi é esta: para termos o sucesso de Deus, temos de consultá-lo. Ele nos revela o que fazer (construir ou não, capítulo 7) e como fazê-lo (como atacar os inimigos, capítulo 5; como carregar a arca, capítulo 6).

Você já consultou o Senhor hoje, pela leitura da sua Palavra?