Santo e temível é o nome de Deus

Salmo 111.9: Nas suas obras e palavras Deus inspira temor.

Ele trouxe redenção ao seu povo e firmou a sua aliança para sempre. Santo e temível é o seu nome!
Salmo 111.9

Este salmo de sabedoria é um acróstico, junto com o 112. O salmo reconhece a grandeza dos feitos maravilhosos de Deus, bem como os seus preceitos, v. 7. Estes “devem ser cumpridos com verdade e honestidade” v. 8b VFL. Continue lendo “Santo e temível é o nome de Deus”

Treme diante da minha palavra

Isaías 66.2: O que significa isso? Por que Deus exige tal atitude?

“Não foram as minhas mãos que fizeram todas essas coisas, e por isso vieram a existir?”, pergunta o Senhor. “A este eu estimo: ao humilde e contrito de espírito, que treme diante da minha palavra”. Isaías 66.2

O Senhor sempre tem definido de forma nítida quem são aqueles por ele aprovados e abençoados. No Antigo Testamento, ele não estava interessado apenas em ter construído para ele uma casa de adoração, v. 1, ou em ritual religioso, v. 3. Tremer diante da sua palavra significa respeito e obediência. Continue lendo “Treme diante da minha palavra”

Deus e Jesus Cristo

1 Coríntios 1.1-3: Deus é mencionado três vezes.

Paulo, chamado para ser apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, e o irmão Sóstenes, à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus e chamados para serem santos, juntamente com todos os que, em toda parte, invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: A vocês, graça e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.
1 Coríntios 1.1-3

Na saudação de 1 Coríntios, Paulo menciona Deus três vezes e Jesus, quatro. Veja as três menções de Deus. Continue lendo “Deus e Jesus Cristo”

Se alguém decidir fazer a vontade de Deus

João 7.17: Para saber, é preciso antes decidir.

Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo. João 7.17

Jesus continua sua resposta à questão sobre como ele podia ensinar verdades tão poderosas, não sendo instruído formalmente, v 15. O Senhor afirma a possibilidade de saber qual ensinamento vem de Deus. Mas é necessário, primeiro, querer fazer a vontade de Deus para conhecê-lo. Continue lendo “Se alguém decidir fazer a vontade de Deus”

O que Deus fez

Atos 5.30-31: O foco da pregação é o que Deus fez em Cristo.

O Deus dos nossos antepassados ressuscitou Jesus, a quem os senhores mataram, suspendendo-o num madeiro. Deus o exaltou, colocando-o à sua direita como Príncipe e Salvador, para dar a Israel arrependimento e perdão de pecados. Atos 5.30-31

Perante o Sinédrio, autoridade máxima entre os judeus, Pedro e os outros apóstolos responderam, pela segunda vez, por sua pregação a respeito de Jesus. Com coragem e verdade, deixaram claro os grandes atos de Deus, apesar das ações do conselho. Continue lendo “O que Deus fez”

O Senhor cooperava com eles

Marcos 16.20: O Senhor coopera com os cooperadores no evangelho.

Então, os discípulos saíram e pregaram por toda parte; e o Senhor cooperava com eles, confirmando-lhes a palavra com os sinais que a acompanhavam. Marcos 16.20

O último verso do evangelho de Marcos observa que os discípulos obedeceram à ordem do Senhor Jesus e este por sua vez cumpriu sua promessa de sinais miraculosos para acompanhar seu trabalho. Continue lendo “O Senhor cooperava com eles”

Veja a sua glória

João 1.14: Jesus Palavra expressa a glória de Deus.

Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade. João 1.14

Tornar-se carne significa que Jesus se tornou ser humano. Ele nasceu também da vontade de Deus e não por meios humanos, João 1.13. Ele participou plenamente da vida humana. Viveu entre nós e teve todas as experiências que os homens têm—fome, sede, cansaço, emoções, sofrimento—menos uma—o pecado. Era Deus e era homem. Continue lendo “Veja a sua glória”

Como pode o Senhor ser ‘Deus dos deuses’?

Deuteronômio 10.17: Como entender essa frase de Moisés, dos Salmos e de Daniel?

Quatro vezes na NVI é usada a frase: “Deus dos deuses”, todas elas no Antigo Testamento. É usada uma vez por um rei pagão, mas as outras, por Moisés, por um dos salmistas e por um anjo. Os quatro textos são Deuteronômio 10.17; Salmo 136.2; Daniel 2.47; e Daniel 11.36. Continue lendo “Como pode o Senhor ser ‘Deus dos deuses’?”

Nem sempre Deus precisa fazer milagre

Atos 5.40: Deus usou uma das pessoas menos esperadas.

A pregação da Boa Nova de Cristo devia ter convencido os judeus, pois esperavam o Messias, tinham as Escrituras que falavam dele e testemunharam os milagres do Senhor. Mas não! Mataram-no e teriam feito o mesmo com os apóstolos. Os membros do Sinédrio “ficaram furiosos e queriam matá-los” Atos 5.33.

Somente não mataram porque Deus agiu. Quer ver como ele fez para salvar os Doze? Continue lendo “Nem sempre Deus precisa fazer milagre”

O que é bom e tudo o que preciso?

Salmo 73.28: Depois de muita luta, eis a conclusão.

O ser humano tem mil definições do bem e do mal. No final, sem um padrão exterior e objetivo, ele acaba definido o que é bom em termos das suas preferências.

No meio duma experiência difícil, um escritor luta com a questão da bondade de Deus, Salmo 73.1, e chega à seguinte conclusão: Continue lendo “O que é bom e tudo o que preciso?”