Se alguém decidir fazer a vontade de Deus

João 7.17: Para saber, é preciso antes decidir.

Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo. João 7.17

Jesus continua sua resposta à questão sobre como ele podia ensinar verdades tão poderosas, não sendo instruído formalmente, v 15. O Senhor afirma a possibilidade de saber qual ensinamento vem de Deus. Mas é necessário, primeiro, querer fazer a vontade de Deus para conhecê-lo. Continue lendo “Se alguém decidir fazer a vontade de Deus”

Com Deus o resultado

2 Samuel 10.12: Deus tem seu plano.

O seguidor de Cristo obedece ao seu Senhor e busca fazer toda a vontade do Pai. Mesmo assim, ele reconhece que Deus fará o que lhe aprovar. A iniciativa sempre fica com Deus e suas decisões soberanas são respeitadas pelo seu povo. Continue lendo “Com Deus o resultado”

‘Sem o Pai de vocês’: a Deus nada escapa

Mateus 10.29: A Deus nada escapa.

A mente humana, por mais impressionante que seja, é limitadíssima. Em anos recentes começou-se a procurar entendê-la melhor e afirma-se frequentemente como ela tem uma capacidade enorme e subutilizada. Mas como nos deixamos distrair! Como a mente esquece! Como tantas coisas a escapam! Continue lendo “‘Sem o Pai de vocês’: a Deus nada escapa”

Efetuando em nós o querer

Fp 4.13: Deus nos dá o desejo. Mas temos de querê-lo.

O autor A.B. Simpson escreveu que a promessa de Deus em Salmo 37.4, de dar os “desejos do coração”, pode significar, não somente o cumprimento dos nossos desejos, mas até mesmo a “inspiração dos nossos desejos”. Com isso ele quer dizer que Deus instaura em nós pensamentos “de modo que nossos orações sejam de acordo com a Sua vontade e nos devolva a resposta infalível da Sua providência poderosa”. Continue lendo “Efetuando em nós o querer”

Jesus nos revela o nosso futuro

O conhecimento é poder.

É comum não contar ao paciente quando a morte se aproxima. A família não quer que os últimos dias sejam dolorosos. Pensa que a ignorância traz a paz.

O conhecimento é poder. Saber o que acontecerá antemão permite estar preparado. Ficar firme.

“Eu lhes tenho dito tudo isso para que vocês não venham a tropeçar”.
João 16.1 NVI

O conhecimento das tribulações futuras diz ao santo que Jesus o sabe e inclui o sofrimento pela sua missão como parte do plano.

Jesus não é surpreendido pela perseguição; tampouco devemos ficar surpresos.

Ele nos diz a verdade, não amacia a dureza do caminho. O discipulado significa saber o que vem pela frente, tanto o bem como o mal, e estar pronto para enfrentá-lo.

Nosso Deus, serei fiel, não importa o que acontecer. Obrigado por me preparar para seguir Jesus por todo o caminho.

Segure este pensamento: Aquele que conhece o nosso futuro também o garante.[subscribe2]

Deus quer frutos

A paciência de Deus tem limite.

Jesus espera encontrar fruto na vida do seu povo. Se não achar, virá juízo.

Então Jesus contou esta parábola: —Certo homem tinha uma figueira na sua plantação de uvas. E, quando foi procurar figos, não encontrou nenhum.
Aí disse ao homem que tomava conta da plantação: —Olhe! Já faz três anos seguidos que venho buscar figos nesta figueira e não encontro nenhum. Corte esta figueira! Por que deixá-la continuar tirando a força da terra sem produzir nada?
Mas o empregado respondeu: —Patrão, deixe a figueira ficar mais este ano. Eu vou afofar a terra em volta dela e pôr bastante adubo. Se no ano que vem ela der figos, muito bem. Se não der, então mande cortá-la.
Lucas 13.6-9 NTLH

O Senhor mostra paciência, como ensina a parábola, mas a nota predominante é de juízo iminente. Deus é paciente, mas sua paciência tem limite. Jesus contou esta história contra Israel, que seria rejeitado como povo de Deus. A nação deixou de fazer a obra dele. Tinha uma última chance para mudar.

O mesmo princípio se aplica à igreja e aos cristãos. Se deixarmos de cumprir a vontade dele na terra e de fazer a obra dele, ele nos cortará.

A paciência de Deus resultará em nosso arrependimento, ou continuaremos na improdutividade?

[subscribe2]

Busquem e recebam

Podemos achar porque Deus dá.

Geralmente, associamos o verbo “achar” com o imperativo: “busquem”. E está certo, pois o próprio Jesus disse: “Busquem e acharão”. Mas não nos esqueçamos de outro termo associado.

Portanto, busquem o Reino dele, e Deus dará a vocês essas coisas em acréscimo. Não tenha medo, pequeno rebanho, porque o Pai de vocês tem prazer em dar-lhes o Reino.
Lucas 12.31-32 EP

Podemos “achar” o reino e podemos ter as necessidades da vida porque Deus tem prazer em nos dar.

A natureza da nossa busca, portanto, é a de receber do Pai. Nós não a definimos, não escolhemos o que, entre tudo o que ele nos oferece, queremos, não barganhamos.

A nossa busca é a busca de receber.

Interessante, não?

Que nenhum se perca

O que o Pai quer, os filhos devem trabalhar a favor.

vontade de DeusNinguém é indispensável, mas para Deus cada um é desejável, ou seja, ele tem prazer em todos os seus filhos, mesmo os menos reconhecidos e os mais humildes.

Da mesma forma, o Pai de vocês também não quer que nenhum destes pequeninos se perca.
Mateus 18.14 VFL

Como o quarto bloco maior de discursos, o capítulo 18 do evangelho de Mateus diz respeito a vida na comunidade dos cristãos. Esta vida se rege pelos desejos do Pai de todos. Seu desejo é que todos sejam salvos. Por isso, todo esforço é pouco para manter todos dentro da graça divina.

Com isso em mente, e com a humildade duma criança (18.1-5), cientes do grande peso do pecado (18.6-9), os cristãos fazem de tudo para recuperar o irmão que comete pecado (18.15-17).

Ninguém tem prazer, por assim dizer, de seguir o procedimento estabelecido pelo Senhor Jesus de confrontar um irmão. Mas a comunidade se sente motivada pela vontade do Pai para não perder ninguém.

Isso é o que nos leva à casa do irmaõ pecador.

O Senhor já nos mostrou

Ufa! Não tenho que ficar advinhando.

revelação de DeusO bem não é difícil perceber, mas não é óbvio. Todo mundo acha que sabe a diferença entre o bem e o mal. Todo mundo se julga praticante do bem. Cada opinião é mais certa do que a outra. Mas saber a verdade e conhecer o bem não é processo automático. Temos que aprender essas coisas. Paulo nos disse em Efésios 5.17 que temos que aprender a fazer o que agrada a Deus. E onde é que vamos aprender?

O SENHOR já nos mostrou o que é bom, ele já disse o que exige de nós. O que ele quer é que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus.
Miquéias 6.8 NTLH

Somente Deus é bom. E somente ele sabe o que é bom. Mas ele não nos deixa no escuro. Ele nos declara, nos revela, nos ensina o que é bom.

No contexto de Miquéias, o profeta chega ao nosso texto com uma série de perguntas: devo fazer isso? devo fazer aquilo? Deus vai gostar disso? Ah! mas não tenho que ficar advinhando ou fazendo experimentos espirituais até eu acertar e achar o que agrada a Deus. Na sua bondade, ele já me mostrou!

Resta a mim aprender e fazer.

Às 9h30 hoje, horário de Brasília, vamos ler e comentar AO VIVO esta meditação. Participe!