Ensinava com autoridade

Mateus 7.28-29: A razão porque Jesus ensinou com autoridade.

Quando Jesus acabou de dizer essas coisas, as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei. Mateus 7.28-29

Jesus ensinava exatamente o que seu Pai lhe mandou dizer, João 12.49-50. Seu ensinamento não representava conclusões humanas e citações acadêmicas. Falava com segurança. Não oferecia listas de possíveis interpretações. Continue lendo “Ensinava com autoridade”

Ação: Manejar

2 Timóteo 2.15: Ensine a palavra da verdade com exatidão.

LER: “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade” 2Tm 2.15.

PENSAR: O manejo correto da palavra poupa o discípulo da vergonha e permite que ele seja por Deus aprovado. Ajuda-o a evitar também envolvimento em discussões e conversas inúteis, vv. 14, 16. Manejar é mais do que ler: significa um estudo cuidadoso para chegar à compreensão correta que permite comunicar “com exatidão” (CNBB). Continue lendo “Ação: Manejar”

Ação: Ensinar

Mateus 28.20: Torne-se apto, o mais rápido possível, de ensinar a verdade.

LER: “ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei” Mt 28.20.

PENSAR: O ensino é processo pelo qual se torna conhecida a vontade de Deus e todos os mandamentos de Cristo, contidos nas Escrituras. Pelo conhecimento destas, torna-se apto de ensinar, 2Tm 3.16-17. A matéria já é definida, e também o objetivo, o de obedecer a Cristo. Para aprender a atitude correta de temor a Deus é necessário ensinar, Sl 34.11; Pr 22.19. Continue lendo “Ação: Ensinar”

Do coração para a boca

Lucas 6.45: O coração é completa dedicação; a boca é o ensino.

Fala-se muito em ser uma pessoa do bem. O mundo, porém, tem pouca ideia do que significa ser boa pessoa. É mais do que bons modos. Algumas das pessoas mais ímpias são, nos tratos com elas, muito agradáveis. Continue lendo “Do coração para a boca”

O poder da sua influência é grande

2 Crônicas 26.5: Você muda a vida de muita gente.

Eu preciso de ajuda. Você também precisa. Não há quem não precisa de ajuda para chegar até Deus e continuar no bom caminho. Somos a cada momento influenciados por alguém. Cristo escolhe seus seguidores para ser pessoas que influenciam grandemente os outros, com efeito eterno.

Mesmo no Antigo Testamento, Deus colocou pessoas entre o povo para ter influência na vida dos outros. Continue lendo “O poder da sua influência é grande”

A explicação ilumina

Salmo 119.130: O que explicar e a quem?

palavra-deus-ilumina

Há explicação que confunde mais do que esclarece. Mas quem apresenta o significado das palavras de Deus aos outros surte efeito quase mágico. Continue lendo “A explicação ilumina”

Você poderá ajudar outras pessoas

Provérbios 22.20-21: Preste bem atenção e poderá ajudar outros dessa forma. (Parte 3 do trecho de Pr 22.17-21)

Hoje é o terceiro dia que examinamos o trecho de Provérbios 22.17-21, que é uma introdução a uma das divisões principais do livro. A terceira parte desse trecho cita um grande benefício e necessidade no mundo:

Lembre-se dos conselhos e instruções que eu lhe escrevi há muito tempo, que ajudarão você a saber o que é certo. E assim quando fizerem perguntas, você poderá ajudar outras pessoas.
Provérbios 22.20-21 NBV

O que passa por sabedoria no mundo, na verdade, é pouco mais do que o egoísmo disfarçado de discernimento, usando meia-verdades e sutilezas.

  • “Deus quer que eu seja feliz; portanto, o divórcio é permitido”.
  • “Tem que aproveitar a vida enquanto jovem”.
  • “É bom dar aos filhos aquelas coisas que nunca tivemos como crianças; é por isso que trabalho tanto”.
  • “A gente tem que jogar pelas regras do mundo; se não, não tem como ir para a frente”.
  • “É melhor não contrariar as pessoas e ofendê-las com a verdade, pois precisaremos delas no dia de amanhã”.
  • “Dá para eu me envolver nisso, pois estou ciente dos perigos e consigo controlar meu envolvimento”.

O conselho do sábio, registrado nas Escrituras, nos conduzirá à certeza do que é certo. Agiremos na confiança de agradar a Deus e com pleno conhecimento da sua vontade.

E não somente guiaremos nossos atos pela sabedoria divina, mas teremos como responder e orientar outros.

Assim, encontraremos nossa missão de vida, a de ajudar outros pessoas a viverem com Deus, por Deus e para Deus.

O saber que me traz certeza e que se aplica a todos, a fim de conduzir-nos nos seus caminhos, ó Senhor, é dádiva sua para nós e precioso aos nossos olhos.

Segure essa ideia: Quando a divina palavra escutar, / Ajudará a quem te perguntar.

Sim, você!

Provérbios 22.19: A razão de todo o ensino!

Ontem, nos versículos anteriores ao de hoje, lemos a recomendação de escutar aos conselhos do sábio. Hoje, descobrimos a importância de aceitar o ensino dele.

Quero hoje ensinar você — sim, você — para que a sua confiança esteja no Senhor.
Provérbios 22.19 BND

#1. O objetivo não é apenas o de se dar bem na vida e ter sucesso nos empreendimentos, e muito menos para satisfazer a curiosidade, mas sim confiar em Deus. (Ver 3.5.) Salomão procura aproximar o leitor de Deus. No verso, por trás do termo: “Senhor”, é o nome Javé, pelo qual ele é conhecido por seu povo.

De fato, no trecho dos versos 17-21, uma unidade literária que introduz uma nova seção do livro, há 36 palavras e o nome de Deus é a décima-oitava palavra, exatamente no meio do trecho. Por meio desta técnica, o autor ressalta a importância do objetivo na pessoa de Deus.

#2. O interesse é pessoal. Há ênfase na palavra “você”. Cada pessoa deve se colocar no lugar desse “você”. O autor não está interessado em se tornar grande mestre, mas quer produzir um bom resultado no seu leitor. O foco é quem recebe o ensinamento. Ele muito bem ter falado, pois é o sentido da frase: Eu quero que hoje você aprenda isso”.

#3. Neste ensino há urgência. Ele quer que o ensino aconteça “hoje”. Para muitas coisas, devemos esperar. A paciência é uma virtude. Mas para que haja ensino sobre o Senhor, hoje é o dia, antes que seja tarde.

Aprender e ensinar, para que tanto o aluno como o mestre, te conheçam, ó Deus, que assim seja!

Segure essa ideia: Para confiar no Senhor é preciso aprender.

Avaliação do professor

O que faz um mestre aprovado?

EnsinoSistemas educacionais e diretores de escolas, de tempos em tempos, criam vários métodos para avaliar o professor, seja no primário, seja na universidade. Os métodos variam, dependendo da filosofia pedagógica.

Expondo estas coisas aos irmãos, será um bom servo de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tem seguido tão diligentemente.
1 Timóteo 4:6 BND

Ser bom servo de Cristo significa falar o que as pessoas precisam ouvir, não o que querem ouvir. Significa falar a boa doutrina, não ceder aos falsos ensinamentos populares.

Quando usado para se referir a um mestre, o adjetivo “bom” transmite a idéia de que ele faz bem seu trabalho aos olhos de Deus. O mestre é bom quando transmite fielmente o ensinamento divino, não quando ele impressiona ou agrada aos ouvintes.

Este método de avaliação não mudará nunca.