Os modernos saduceus

Eles ainda existem!

Como é que dois grupos podem ler a mesma Bíblia e chegar a conclusões tão diferentes? Esta pergunta comum nos dias de hoje podia ser feita séculos atrás a respeito dos saduceus e fariseus. E mais: Paulo deixou claro que um lado estava com a razão.

(Os saduceus dizem que não há ressurreição nem anjos nem espíritos, mas os fariseus admitem todas essas coisas.)
Atos 23.8 NVI

A frase é colocada entre parênteses em algumas versões como a NVI, pois explica como Paulo conseguiu dividir o Sinédrio com sua afirmação sobre a ressurreição.

Ao mesmo tempo, a frase serve de triste testemunho de quão longe alguns do povo de Deus tinham se desviado das verdades reveladas nas Escrituras.

Aquele que Hebreus 12.9 chama o “Pais dos [nossos] espíritos” foi negado pelos saduceus, pois como os materialistas de hoje, não acreditavam além do que o olho podia ver.

Parece não ser à toa que tal negação veio da parte dos que procuravam soluções por meio do poder humano e da política. Quanto mais se confia no visível, menos se crê no invisível.

Neste sentido, existem entre nós modernos saduceus. Fala-se muito nos modernos fariseus, pois é popular condenar o legalismo, mas talvez o perigo maior seja na confissão que admite o lado espiritual, mas que vive como se ele não existisse.

Pai dos espíritos, a realidade está no Senhor, espírito divino que criou tudo o que se vê e o que é visto somente pelo Senhor. Creio, ó Deus, nesta realidade, ajude a minha incredulidade.

Segure este pensamento: Somente permanecerá o que não se pode ver agora.

 

As duas coisas

Deus quer um tanto quanto o outro.

A religião humana cai em um de dois extremos: o do ritualismo, fazendo valer o ato à parte da compreensão e do interior, e o da sinceridade, fazendo valer apenas a intenção e ignorando os mandamentos divinos. Os fariseus eram culpados do primeiro extremo.

Então o Senhor lhe disse: “Vocês, fariseus, limpam o exterior do copo e do prato, mas interiormente estão cheios de ganância e da maldade. Insensatos! Quem fez o exterior não fez também o interior? Mas dêem o que está dentro do prato como esmola, e verão que tudo lhes ficará limpo. Ai de vocês, fariseus, porque dão a Deus o dízimo da hortelã, da arruda e de toda a sorte de hortaliças, mas desprezam a justiça e o amor de Deus! Vocês deviam praticar estas coisas, sem deixar de fazer aquelas.
Lucas 11.39-41 NVI

Como em todo o evangelho, o princípio começa a partir de Deus, que “fez o exterior” e “também o interior”. Ele olha para os dois. Ele deseja que o sirvamos com mente e mão, por dentro e por fora, na ação e no coração. Um sem o outro não satisfaz o Deus que fez os dois.

Da mesma forma que Jesus condenou os fariseus que dependiam somente do exterior, ele condena toda e qualquer esforço religioso que exalta um, o exterior ou o interior, à negligência do outro. Devemos dar o que está dentro e o que está fora. Devemos praticar tanto um como o outro.

A tendência de hoje, a da sinceridade, é o contrário dos fariseus, mas é tão perigosa e tão condenada como a tendência do ritualismo. (Ver, por exemplo, Mateus 7.21.) As Escrituras estão repletas de exemplos de pessoas sinceras mas indispostas a obedecer, isto é, a comprometer-se a viver segundo os mandamentos de Deus. Então, é necessário falar hoje para esta tendência, da mesma forma que Jesus falou aqui em Lucas 11 para a outra.

Sejamos, por isso, completos ou perfeitos na vontade de Deus, entregando a ele que fez o exterior e o interior todo o nosso ser.

Criador de corpo e espírito, de alma e carne, entrego ao Senhor a minha vontade, o meu coração, a minha mente, as minhas forças. Torne-me uma pessoa perfeita nas coisas do Senhor, completamente habilitado para sua obra. Obrigado por esta realidade em Cristo. Amém.

Sempre existe o ‘mas’

Deus quer mais do que crença; ele quer fruto!

A pessoas cuja religião tinha virado um exercício de perfeccionismo e, portanto, uma competição com os outros (o que sempre gera conflitos e brigas), Paulo mostra o exercício do Espírito Santo na vida do cristão.

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.
Gálatas 5.22-23 NVI

A lei proíbe, mas não pode produzir.

As obras da carne são óbvias, mas o fruto do Espírito não grita nas praças.

As obras da carne são várias, mas o fruto do Espírito é uma só.

O fruto do Espírito é produzido no meio das obras da carne, não num vácuo ou longe do mundo. Por isso, sempre existe o “mas”.

O fruto do Espírito é recebido de Deus (amor, alegria, paz), transforma o tratamento ao próximo (paciência, amabilidade, bondade) e atinge a própria pessoa (fidelidade, mansidão, domínio próprio).

O fruto do Espírito serve para tudo e todos, a toda hora!

O entusiasmo do torcedor

A Bíblia recomenda o entusiasmo do torcedor.

zeloJá sentiu que o fanatismo é qualidade reprovável em tudo, menos o futebol? O torcedor se entusiasma com o time em época de sucesso ou de derrota, não perca um jogo sequer, e veste a camisa a todo momento.

Ele se entregou a si mesmo por nós, para nos resgatar de toda iniqüidade e para purificar um povo que lhe pertence, e que seja zeloso nas boas obras.
Tito 2.14 EP

Tal entusiasmo na Bíblia pelas coisas de Deus se chama “zelo”. Combina os sentimentos calorosos e intensos com a atividade assídua pelo obra de Deus. (No reino, não só torce, mas faz.)

As boas obras são aquelas que Deus define como sendo boas, não pelas ideias humanas. A igreja pertence ao Senhor, então, ele é quem a direciona para o bem.

A vantagem que o cristão tem sobre o torcedor de futebol: Seu treinador nunca teve um time perdedor.

Na academia com Deus

Compare tempo de academia com o da piedade.

PiedadeTem gente que consegue ficar uma hora na academia, mas não aguenta dez minutos com a palavra de Deus. Assiste a televisão por horas a fio, mas dorme no meio da oração. Por quê? Mente depravada. Carnalidade. Dissolução.

O exercício físico é de pouco proveito; a piedade, porém, para tudo é proveitosa, porque tem promessa da vida presente e da futura.
1 Timóteo 4.8 NVI

Não nos falta oportunidades para exercitar a piedade, a devoção, a dedicação a Deus. Cópias das Escrituras estão por todo lado. Aulas bíblicas estão sempre sendo oferecidas. Cada dia apresenta portas abertas para o serviço, para proferir uma palavra da salvação.

Diga não à adoração do corpo, e sim à dedicação às boas obras em Cristo Jesus.

Por um par de sapatos

Gastou a grana. Resolveu?

o que satisfazUm par de sapatos. Um jet-ski. Uma viagem ao exterior. Um ingresso para ver a última banda de roqueiros. Compramos e compramos e não estamos satisfeitos. Trabalhamos horas a fio para providenciar coisas materiais e gastar em nulidades.

Por que gastar dinheiro naquilo que não é pão e o seu trabalho árduo naquilo que não satisfaz? Escutem, escutem-me, e comam o que é bom, e a alma de vocês se deliciará na mais fina refeição.
Isaías 55.2 NVI

Isaías não está criticando as compras de coisas não essenciais, mas sim a idolatria das coisas materiais, das coisas que não têm condições de satisfazer o espírito.

O que satisfiz é o conhecimento de Deus. Mas estamos sentados em carteiras de outra escola. O que alegra hoje e amanhã e depois de amanhã se encontra somente na loja de artigos da fé. Mas gastamos os esforços e dinheiro no Shopping Agora e no Mercado das Emoções Fortes.

E ainda questionamos porque andamos tão insatisfeitos e chateados.

Esaú vendeu sua herança por um prato de comida.  Vai vender a sua alma por um par de sapatos?

Pai, faça-me entender que as coisas deste mundo me deixam frustrado e vazio. Dê-me o pão que vem do céu.

A pessoa certa para a tarefa

Duas lições quando Cornélio escolheu a pessoa certa.

O centurião CornélioConfie um trabalho espiritual a uma pessoa espiritual. Cuidar das viúvas foi um trabalho espiritual (Atos 6), que exigiu, não um currículo de administrador de empresa, mas sim qualidades de um homem de Deus.

Da mesma forma, quando o anjo de Deus ordenou que Cornélio chamasse Pedro para pregar-lhes o evangelho, veja o que ele fez:

Depois que o anjo que lhe falou se foi, Cornélio chamou dois dos seus servos e um soldado piedoso dentre os seus auxiliares, e, contando-lhes tudo o que tinha acontecido, enviou-os a Jope.
Atos 10.7-8 NVI

Esse soldado saberia, mais do que outros, como tratar com Pedro. Ele iria apreciar, quando os outros achariam bobagem, o objetivo da viagem. Ele tomaria mais cuidado, faria mais esforço, mostraria mais interesse em cumprir a ordem do seu superior.

Sejamos nós pessoas piedosas e devotas para sermos dignos de recebermos tarefas no reino de Deus.

E confiemos as obras do reino a pessoas de igual índole, para que seja cumprido da melhor forma possível o trabalho de Deus.

Faça de mim, ó Pai, a pessoa que eu deveria ser. Santifico-me para ser instrumento útil no seu serviço. Amém.

Mudos

Vocês sabem que, quando eram pagãos, de uma forma ou de outra eram fortemente atraídos e levados para os ídolos mudos.
1 Coríntios 12.2

O que é espiritualidade? Essa foi uma questão crítica em Corinto. Paulo estabelece o critério: é quem ouve a revelação de Deus por meio do Espírito quando fala a respeito de Jesus (v. 3). Continue lendo “Mudos”