A prostituta esquecida

Ela somos nós que nos orgulhamos nas riquezas.

Algumas pessoas vendem o corpo, outros, a alma. Por isso, foi apropriado Isaías usar a imagem de uma prostituta que perdia seus atrativos e aplicá-la à cidade de Tiro:

“Pegue a harpa, vá pela cidade, ó prostituta esquecida; toque a harpa, cante muitas canções, para se lembrarem de você”.
Isaías 23.16 NVI

Tiro era cidade comercial e marítima, poderosa pela riqueza que ganhava nos negócios. Sua queda vinha, porém, não por ser empreendedora, mas sim por ser orgulhosa.

O capítulo 23 de Isaías narra o castigo de Deus sobre a cidade. Uma das cidades mais antigas, Tiro serviria como exemplo do plano mundial de Deus para opor-se a toda manifestação do orgulho humano: “O Senhor dos Exércitos o planejou para abater todo orgulho e vaidade e humilhar todos os que têm fama na terra” (verso 9).

Não traz a condenação de Deus uma pessoa ou uma nação fazer negócios e se enriquecer, mas sim o mau uso e o orgulho que centra nela a capacidade.

Por isso, os lucros devem ser “separados para o Senhor” (verso 18).

De outro modo, seremos prostitutas velhas sem cliente.

Deus dos exércitos, o orgulho se levanta contra o Senhor e proclama a independência. Que eu me lembre que tudo vem do Senhor e a inteligência, a força física, a saúde e os lucros são dádivas suas.

Segure este pensamento: Não o que se ganha, mas como se gasta, que condena.

Meu Deus

Ele é mais presente do que qualquer presença física.

Meu Deus. Pagãos usam em vão as palavras. Cristãos encontram nestas duas palavras sua maior alegria. Nenhum pensamento maior que este tem sido considerado, que Deus é meu, e eu sou dele.

É grande o meu prazer no Senhor!
Regozija-se a minha alma em meu Deus!
Isaías 61.10 NVI

Todas as outras alegrias nada são além de satélites pálidos deste grande sol da verdade. Com Deus como companheiro, nenhum mal pode me roubar desta alegria.

Quaisquer que sejam as perdas desta vida que eu tenha de sofrer, os vales escuros que deva percorrer, os espinhos perfurantes nos meus pés, as pedras que me machuquem as costas, Deus é meu.

Dizer que Deus é meu não significa que ele fosse diminuído, como se eu pudesse, ao possuí-lo, controlá-lo ou direcioná-lo. Significa que fui exaltado. Enobrecido. Santificado. Celestializado.

Deus é meu, para sempre. Ninguém pode tirá-lo de mim.

Nosso Pai que está nos céus, da sua glória mais altiva, desceu até mim, fez-se presente—mais presente, mais engajador, mais afiador do que qualquer presença física. Mesmo que minha vida fosse desprovida de tudo, alegrar-me-ei no Senhor, pois a alegria no Senhor é maior do que todas as outras combinadas. Amém.

Segure este pensamento: Possuindo a Deus, possuo tudo o que importa.

[subscribe2]

Até as fontes

Isaías prevê a abundância da salvação.

O medo mata a alegria. A confiança a alimenta. No final do primeiro bloco principal de Isaías (capítulos 1-12), o profeta descreve a salvação de Deus (“Deus é a minha salvação”, verso 2) por meio da figura de fontes d’água.

Cheios de alegria, todos irão até as fontes e beberão da água que os salvará.
Isaías 12.3 NTLH

Neste capítulo de apenas seis versículos, o hino de gratidão derrama os sentimentos do povo pela sua salvação.

O cristão lembra que Aquele que teve sede na cruz trouxe ao mundo as águas da vida.

Pai, não terei medo, mas confiarei na sua promessa, e me alegro na salvação que temos em Cristo. Amém.

 

A iniciativa do profeta

A palavra é prontidão.

IniciativaO Deus que nos amou primeiro procura no homem a mesma iniciativa que marca suas próprias atitudes.

Então ouvi a voz do Senhor, conclamando: “Quem enviarei? Quem irá por nós?” E eu respondi: “Eis-me aqui. Envia-me!”
Isaías 6.8 NVI

Talvez por isso que, ao invés de dar a ordem a Isaías, Deus faz a pergunta. Não podemos ter certeza, pois o texto não dá indícios claros, mas parece que o Senhor quer que o profeta faça a ligação entre o sentimento profundo da gratidão pelo perdão e a necessidade de servir ao Senhor.

E Isaías faz a ligação: “Eis-me aqui. Envia-me!” Ele se oferece.

Nunca ninguém falou palavras mais puras, de lábios purificados.

É como se o Senhor estivesse falando entre seus conselheiros celestiais, perguntando quem seria disposto entre suas pobres criaturas para uma obra tão desafiadora e difícil, uma pessoa qualificada para uma tarefa de tão grandiosa envergadura.

Quase se pode sentir o sorriso de Deus quando o pequeno homem de lábios recém-purificados toma um passo para a frente.

Será que nós também, como Isaías, já fizemos a ligação?

Ele procura o homem e a mulher que vai ver a cidade vizinha, a região distante, sem o evangelho e dirá: “Quero ir lá”. Ele busca a iniciativa de um discípulo que, como seu Mestre, diz: “Vamos para as cidades vizinhas, para lá pregar também, pois para isso nós viemos” (cp. Marcos 1.38).

Deus que purifica e perdoa, ouço a sua voz e peço que me envie para seu trabalho. Aqui estou para agradá-lo e para cumprir seu propósito. Como Jesus fez. Amém.

Andemos na luz do Senhor

Um convite ao arrependimento e à obediência.

Andar na luzLuz quer dizer vida, alegria, entendimento e pureza. Deus é luz. É da sua natureza, luz significa encontro, enquanto as trevas significam tropeço e desencontro. Passamos um ao outro no escuro sem ver, sem nos conhecer.

Venha, ó descendência de Jacó, andemos na luz do Senhor!
Isaías 2.5 NVI

O chamado de Isaías para andar na luz é um convite ao arrependimento, ao retorno à obediência, ao abandono da escuridão da idolatria e da arrogância da rebeldia.

Deixo hoje esta citação da Bíblia de estudo da New living translation:

Andar na luz de Deus (sua revelação) levará à participação gloriosa no seu reino (ver 60.1; 1 João 1.7). Deus é o único luz que vence a escuridão do pecado e do mal (9.2). As pessoas não podem produzir tal luz por si mesmas (59.9), mas têm de andar na luz que Deus provê, ao confiar nele e viver em obediência à sua vontade (50.10). A frase “descendência de Jacó” se refere ao relacionamento histórico especial de Israel com o Senhor, bem como sua história de pecaminosidade e rebelião (ver 14.1; 48.1).

Pai, escolhemos a sua luz. Obrigado por nos dar o brilho da sua glória. Somos o povo do dia. Que sua luz brilhe de nós para o mundo, em Cristo. Amém.

[subscribe2]

Só gente bonita, favor

Quem pode receber a bênção de Deus?

ObediênciaDois dos meus filhos já foram convidados a fazer testes em agência de modelo. Mas eu nunca fui convidado, não. (Os filhos puxaram a mãe.) Tem lugar onde a gente não será convidado nunca para entrar. Agora, com Deus funciona diferente: entra quem obedece:

Pois assim diz o Senhor: “Aos eunucos que guardarem os meus sábados, que escolherem o que me agrada e se apegarem à minha aliança, a eles darei, dentro de meu templo e dos seus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas, um nome eterno, que não será eliminado.
Isaías 56.4-5 NVI

Aos que não têm esperança de nada, Deus promete algo maior do que se possa sonhar. E, diferente da palavra do ser humano, suas promessas sempre são cumpridas (Isaías 55).

O que Deus oferece para nos satisfazer é maior e melhor do que qualquer realização desta vida. O eunuco, impossibilitado de ter filhos, podia apenas sonhar com filhos, mas Deus enche o coração com sua presença, fazendo-nos esquecer de todo vazio que sentimos.

Ninguém será excluído. No sistema judaico, os fisicamente imperfeitos não podiam aproximar-se de Deus no templo. Mas agora todos são convidados a desfrutar de suas promessas de ficarem inteiros, completos e felizes no conhecimento dele.

Aprendam a fazer o bem

Vai fazer bem ou mal. Aprenda o bem.

aprender o bemFazer duas coisas ao mesmo tempo pode ser grande perigo, como, por exemplo, dirigir um veículo e enviar texto por celular. Outras coisas são impossíveis de fazer ao mesmo tempo, digamos, dirigir um veículo e nadar o borboleta. (Mas sempre tem quem tente, não é?) Eis duas coisas impossíveis de praticar simultaneamente:

Parem de fazer o mal, aprendam a fazer o bem!
Isaías 1.16-17 NVI

Fazer o bem tem de ser aprendido. O ser humano tem sua definição do que é bom, mas suas ideias, no âmbito espiritual, estão quase sempre erradas.

Não é suficiente parar de fazer o mal. Ou se faz uma coisa ou outra. O fazer é sempre presente, pois o ser humano não fica parado. Se não está fazendo o bem, conforme Deus determina, está fazendo, necessariamente, o mal.

Aplica-se isso também ao povo de Deus, tanto quanto ao pagão. Pois Isaías escreveu essas linhas para Israel. A igreja tem de aprender também a rejeitar o mal para acolher o bem.

Qual você está fazendo neste momento?

Mantenha o curso

A salvação está perto.

mantenha cursoO que fazer quando parece que as coisas não vão como se esperava, quando dá todo sinal de que as promessas de Deus não se cumprirão?

Assim diz o Senhor: “Mantenham a justiça e pratiquem o que é direito, pois a minha salvação está perto, e logo será revelada a minha retidão. Feliz aquele que age assim, o homem que nisso permanece firme, …
Isaías 56.1-2a NVI

O povo de Israel duvidava da ação de Deus a seu favor e perguntava o que adiantava adorar a Deus. A igreja hoje deve aprender da falta de fé dos israelitas, para descartar a possibilidade do não cumprimento da palavra de Deus.

Mantenha o curso! Continue servindo ao Senhor! Permaneça firme!

Deus é fiel, seja você fiel também.

 

Por um par de sapatos

Gastou a grana. Resolveu?

o que satisfazUm par de sapatos. Um jet-ski. Uma viagem ao exterior. Um ingresso para ver a última banda de roqueiros. Compramos e compramos e não estamos satisfeitos. Trabalhamos horas a fio para providenciar coisas materiais e gastar em nulidades.

Por que gastar dinheiro naquilo que não é pão e o seu trabalho árduo naquilo que não satisfaz? Escutem, escutem-me, e comam o que é bom, e a alma de vocês se deliciará na mais fina refeição.
Isaías 55.2 NVI

Isaías não está criticando as compras de coisas não essenciais, mas sim a idolatria das coisas materiais, das coisas que não têm condições de satisfazer o espírito.

O que satisfiz é o conhecimento de Deus. Mas estamos sentados em carteiras de outra escola. O que alegra hoje e amanhã e depois de amanhã se encontra somente na loja de artigos da fé. Mas gastamos os esforços e dinheiro no Shopping Agora e no Mercado das Emoções Fortes.

E ainda questionamos porque andamos tão insatisfeitos e chateados.

Esaú vendeu sua herança por um prato de comida.  Vai vender a sua alma por um par de sapatos?

Pai, faça-me entender que as coisas deste mundo me deixam frustrado e vazio. Dê-me o pão que vem do céu.

Caminho fácil

Como uma estrada recém-asfaltada.

O cristão que conhece os compromissos e dificuldades do caminho do Senhor Jesus se estranha com as palavras de Isaías:

O caminho das pessoas direitas é fácil; tu, ó Deus justo, tornas plano o caminho por onde elas andam.
Isaías 26.7 NTLH

Mas quando lembramos que o próprio Jesus falou do seu jugo suave e fardo leve (Mateus 11.30), e que João disse que os mandamentos divinos não são pesados (1 João 5.3), temos mais condições de apreciar a declaração do profeta.

Quando temos na nossa vida o próprio Deus e sua paz e amor, as saliências do caminho realmente se tornam mais suaves.