No princípio, a Palavra

João 1.1: Jesus expressa a mente de Deus.

No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no princípio. João 1.1-2

Formamos palavras para expressar os pensamentos. Às vezes, as palavras são mal escolhidas. Falamos assim: “Não foi isso que eu queria dizer”. Continue lendo “No princípio, a Palavra”

Por esta razão nasci

João 18.37: Jesus veio à terra com propósito de vida já estabelecido.

Em algumas sociedades, um recém-nascido não recebe nome até crescer, para ver que tipo de pessoa será. O nome dado reflete o caráter da criança.

Jesus não somente tinha nome antes de nascer, mas tinha também uma razão de nascer, que precedeu sua vinda. Os judeus o entregaram ao governador Pilatos para receber condenação. Na conversa entre os dois, Jesus revela quem é e o que veio realizar. Continue lendo “Por esta razão nasci”

Jesus espanta o medo

João 6.19-20: Jesus acalma mar, vento e mente perturbada.

Estava escuro já. O vento batia forte e o seu som devia dificultar qualquer conversa. As águas estavam agitadas. Os discípulos remavam fazia tempo. Quando Jesus aparece andando por sobre as águas, não o reconhecem. Pensam que seja fantasma. Continue lendo “Jesus espanta o medo”

Você já viu um anjo? Nem eu. Mas já segui Jesus.

Logo uma entidade dessa alimenta a obsessão popular por anjos.

Hoje mesmo, no Twitter, uma sociedade bíblica — logo uma entidade dessa! — perguntou aos seguidores se alguém já tinha visto um anjo. Pedia que se enviasse relato de supostos encontros com anjos. Continue lendo “Você já viu um anjo? Nem eu. Mas já segui Jesus.”

Jesus é mestre sobre toda a criação, inclusive o homem

Lucas 4.36: Jesus é Mestre, sobre tudo e todos.

Jesus é Mestre sobre os espíritos e sobre o mundo espiritual, bem como sobre toda a criação, inclusive o corpo humano e as doenças. Não há área ou esfera que escapa o seu poder. (Leia Lucas 4.31-41.) Jesus curava as pessoas, expulsava demônios, manipulava a criação (multiplicando pães e peixes, acalmando uma tempestade, por exemplo). Jesus é todo-poderoso. Continue lendo “Jesus é mestre sobre toda a criação, inclusive o homem”

O nascimento de Jesus comprovou sua divindade

Lucas 1.35: Jesus é Deus e merece nossa obediência.

O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com a sua sombra. Assim, aquele que há de nascer será chamado Santo, Filho de Deus.
Lucas 1.35

O nascimento de Jesus, por meio do Espírito Santo, e não pelo desejo humano, provou que ele era divino. O “Filho do Altíssimo” altíssimo é. Continue lendo “O nascimento de Jesus comprovou sua divindade”

Salmo 2

Comentário e aplicação deste salmo messiânico.

Alguns pensam que Salmos 1 e 2, pela sua estrutura, compõem um único salmo (ver NBV). Feliz formaria assim uma inclusão, no início, 1.1, e no fim, 2.12. O salmo trata da rebelião das nações contra o Senhor e o seu ungido, chamando-as à submissão. A aliança com Davi está por trás do salmo (ver 2.6). O mundo inteiro é o seu domínio, apontando dessa forma o cumprimento na pessoa de Jesus. Não há como resistir sua autoridade. A verdadeira felicidade está em submeter-se ao Soberano. O apelo mostra ainda a bondade de Deus em dar oportunidade do arrependimento, dando sinal da esperança e da vitória do rei. A estrutura mostra o movimento do início ao fim: a rebelião das nações na terra, 1-3; Deus no céu, 4-6; o decreto do Senhor, 7-9; o apelo aos reis das nações para submeter-se, 10-12. Em cada parte ouvimos os dizeres de cada um: os rebeldes, 3; Deus, 6-7; Deus, 7-9; o salmista, 10-12. Se de um lado o justo foge dos pecadores, 1.1, o Filho de Deus, por outro lado, destrói os rebeldes na sua ira, 9, 12, garantindo o sucesso dos que se refugiam nele. Apesar da instabilidade e do tumulto no mundo, o submisso desfruta da bênção e da paz do seu Senhor. Continue lendo “Salmo 2”