A história mais comovente

1 Pedro 2.25: O apóstolo declara um propósito de vida do cristão.

Ele mesmo carregou em seu corpo, sobre a cruz, os nossos pecados. Ele fez isso para que nós pudéssemos morrer para os pecados e viver para a justiça. Foi pelas suas feridas que vocês foram curados. 1 Pedro 2.24 VFL.

De vez em quanto contam-se histórias comoventes de pessoas que se colocam em perigo, ou mesmo morrem, para salvar outros. Por exemplo, um juiz condenou seu amigo a pagar a multa máxima pelo seu delito, para, logo em seguida, descer do tribunal e pagar ele mesmo a multa que tinha acabado de aplicar no amigo. Continue lendo “A história mais comovente”

Deus justo e justificador

Romanos 3.25-26: Deus já me declarou justo?

Com a morte de Cristo, Deus o apresentou como um sacrifício que traz o perdão dos pecados através da fé. Com este sacrifício, Deus provou que Ele é justo mesmo quando, em tempos passados, teve paciência com os homens e não lhes deu o castigo que seus pecados mereciam. Com este sacrifício, Deus também provou que Ele é justo nos tempos presentes, quando Ele perdoa os homens. Por causa deste sacrifício, Deus se mantém justo e, ao mesmo tempo, declara justos aqueles que têm fé em Jesus.
Romanos 3.25-26 VFL

Deus é justo e justificador. Merecemos morrer — estar eternamente separados do Senhor. Cristo morreu em nosso lugar, tomou sobre si o nosso castigo. Assim, ele pode nos declarar e tornar justos ao mesmo tempo em que ele mantém a sua justiça. Continue lendo “Deus justo e justificador”

Justos firmes

Jó 17.9: A firmeza está no compromisso da retidão.

Mas os justos se manterão firmes em seus caminhos, e os homens de mãos puras se tornarão cada vez mais fortes.
Jó 17.9

Estava Jó falando ironicamente aqui, no meio do seu desespero? (Ver vv. 10-16.) Estava jogando no rosto dos amigos o que eles mesmos lhe falavam? Ou foi este texto uma centelha de esperança, antes de toda a esperança morrer? Continue lendo “Justos firmes”

‘Para cumprir toda a justiça’

Mateus 3.15: Jesus não questionou nenhum mandamento do Pai.

Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou.
Mateus 3.15

Jesus não tinha pecado que devia confessar ou pelo qual devia receber o perdão. João batizava as pessoas que se arrependiam dos pecados. Ele reconhecia que o Senhor não tinha pecado e não tinha necessidade da imersão na água. Protestou quando Jesus se apresentou para o batismo. É compreensível seu protesto e ele tinha certa razão. Continue lendo “‘Para cumprir toda a justiça’”

Cuidado com as obras da justiça

Mateus 6.1: Faz uma diferença por que fazemos as nossas obras.

Evitem praticar as suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles; porque, sendo assim, vocês já não terão nenhuma recompensa junto do Pai de vocês, que está nos céus.
Mateus 6.1 NAA

Jesus espera que façamos obras de justiça. Ou, literalmente, praticar a “justiça”. Nossa justiça tem de ser “muito superior” que a dos religiosos, para entrarmos no reino de Deus, Mateus 5.20. O termo nos dois versos é o mesmo. Uma das maneiras, portanto, como ela (ou elas, no caso) tem de ser superior é a motivação por trás dela. Continue lendo “Cuidado com as obras da justiça”

O justo conduz à ruína

Provérbios 21.12: Mas o justo não faz mal a ninguém?

justo-ruina“Ele nunca faria mal a ninguém”. Ouve-se a frase de vez em quando sobre certas pessoas. Mas, certamente, tal pessoa não seria serva de Deus.

O justo observa a casa do perverso e conduz os ímpios à ruína.
Provérbios 21.12 A21

Algumas versões entendem que “justo” se refere a Deus, mas parece que Provérbios não usa o termo em relação ao Senhor. Recorrem a esta possibilidade, evidentemente, por causa das sensibilidades modernas que não cogitam a possibilidade do justo fazer mal a ninguém. Continue lendo “O justo conduz à ruína”

Elimine os maus!

Salmo 101.8: Para cultivar a justiça, é necessário retirar os maus.

dcon-eliminar

Sl 101. O rei, como responsável pelo bem-estar espiritual da nação de Israel, declara sua intenção de fazer valer a vontade de Deus entre o povo e de manter a lealdade e a justiça (1). Ciente da influência forte que os outros exercem, ele quer se cercar pelos fiéis e íntegros (6).

A cada manhã, destruirei todos os ímpios da terra, para eliminar da cidade do SENHOR todos os que praticam o mal.
Salmo 101.8, A21

8. A tarefa diária (NLT) do rei seria a de eliminar os maus dentro da nação. Seria algo que faria com zelo, sem descanso, dia a dia (OL).

Se o rei de Israel tinha tanto cuidado assim, quanto mais devem os supervisores retirar, sem demora, do meio das congregações pelos quais têm responsabilidade os infiéis e perversos de coração!