Por suas palavras

Mateus 12.36-37: Até nossas palavras serão julgadas no juízo final.

Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado. Pois por suas palavras vocês serão absolvidos, e por suas palavras serão condenados”. Mateus 12.36-37

Hoje é o Dia da Língua Nacional.

Preocupa-se mais com a boa gramática do que com a palavra verdadeira. Se a educação resolve os problemas da sociedade, os mais educados deveriam ser as pessoas mais corretas e devem falar sempre corretamente. Mas a verdade e a justiça não são qualidades só dos educados. Independem do nível educacional e social. A crise política é dos educados e dos ignorantes, pois faltam a verdade e a integridade tanto em quem é formado da faculdade como em quem nunca chegou a estudar nela. Continue lendo “Por suas palavras”

Fale a Bíblia

Salmo 49.1-3: Usemos sempre a Bíblia nas nossas conversas e palavras.

Ouçam isto vocês, todos os povos; escutem, todos os que vivem neste mundo, gente do povo, homens importantes, ricos e pobres igualmente: A minha boca falará com sabedoria; a meditação do meu coração trará entendimento.
Salmo 43.1-3

É difícil imaginar momento nas conversas quando uma citação da Bíblia ou referência às Escrituras não seja apropriada. Parafrasear o conteúdo das Sagradas Letras é bom; citar de memória é melhor ainda. Fazer leitura com a Bíblia na mão é sobremaneira excelente. Continue lendo “Fale a Bíblia”

O justo sabe falar bem

Provérbios 10.31-32: O justo fala pouco e fala bem.

A boca do justo produz sabedoria, mas a língua perversa será cortada.
Os lábios do justo sabem o que agrada, mas a boca dos ímpios fala perversidades.
Provérbios 10.31-32 A21

O justo usa palavras certas porque se relaciona com Deus e pensa em como abençoar a vida do próximo. Continue lendo “O justo sabe falar bem”

Efeitos permanentes

1 Crônicas 13.11: Tomemos cuidado com o que falamos no momento da irritação.

Cuidado com o que você diz na sua raiva ou na sua irritação, pois é possível que suas palavras tenham efeito permanente.

Davi ficou muito irritado por o Senhor ter castigado Uzá; e chamou àquele lugar o Castigo de Uzá. Assim se chama ainda hoje.
1 Crônicas 13.11 OL

O nome que Davi deu ao local onde morreu Uzá colou. O local ficou com o nome por muito tempo. (“Hoje” seria o tempo do exílio, séculos depois de Davi.)

Davi deu este nome ao local porque estava contrariado pelo que o Senhor fizera quando ele e os outros não obedeceram exatamente ao seu mandamento.

Quando ficamos em estado agitado ou irritado desta forma, melhor é ficar calado. Melhora ainda, acertar nossos erros.

Palavras que nos tornam impuros

Filipenses 2.14-15: Faça tudo sem reclamar.

sem-reclamarFazem uma enorme diferença as palavras que falamos.

Façam tudo sem queixas e sem discussões, para que vocês sejam inocentes e puros, como filhos inculpáveis de Deus que vivem numa geração cheia de pessoas desonestas e pervertidas.
Filipenses 2.14-15 VFL Continue lendo “Palavras que nos tornam impuros”

Tudo na ponta da língua

Provérbios 22.17-18: Ouvir primeiro, para depois falar.

Uma vez, eu estava numa sala com umas doze pessoas, todas falando ao mesmo tempo. Todas estavam felizes fazendo algum barulho, mas evidentemente ninguém se importava se havia quem escutava.

Ouça com atenção as palavras do sábio, e aplique o meu ensino em seu coração, porque vale a pena guardá-lo no íntimo e ter tudo na ponta da língua.
Proverbios 22.17-18 NBV

O sábio escuta primeiro e não a qualquer um. Escuta as palavras de sabedoria que vem de cima. Depois, ele as assimila internamente. Somente depois terá o que dizer.

E esta sabedoria, após ser compreendida e experimentada, ficará sempre na ponta da língua, pronta para abençoar aos outros.

Pai, que eu possa escutar primeiro ao Senhor, a fim de ter algo a dizer aos outros.

Segure essa ideia: A regra do sábio: ouvir primeiro; / Depois, dará conselho certeiro.

 

Não se envolvam em discussões

Palavras pesadas para papo leviano.

As brigas de palavras nunca chegam a uma conclusão, nunca resolvem um problema, nunca convencem um adversário. Palavras humanas não aproximam as pessoas de Deus; pelo contrário, as opiniões e especulações abrem caminho para a ruína.

Continue a lembrar essas coisas a todos, advertindo-os solenemente diante de Deus, para que não se envolvam em discussões acerca de palavras; isso não traz proveito, e serve apenas para perverter os ouvintes.
2 Timóteo 2.14 NVI

Isto não é meramente bom conselho. É uma conjuração (Almeida), que carrega o peso de um mandamento. Timóteo deve ordenar na presença do Senhor que terminem as brigas. Deus não quer ouvi-las!

Este verso faz contraste com o 15, que aponta as Escrituras como o caminho para a aprovação de Deus e a salvação dos outros.

Deus que fala a verdade salvadora, que suas palavras sejam nossas, que falemos quando a Bíblia fala, que nos silenciemos quando a Bíblia se silencia.

Segure este pensamento: Quando é Bíblia está fechada, fecha a boca.

Sobre este assunto, fale muito

Qual a exceção de Eclesiastes: "Fale pouco"?

“Fale pouco”, escreveu o Pregador (Eclesiastes 5.2), e como ele tinha razão de dar este conselho! Como o mundo seria melhor se as pessoas falassem menos, se parassem de jogar a conversa fora! Contudo, tem uma exceção:

Com muitas outras palavras os advertia e insistia com eles: “Salvem-se desta geração corrompida!”
Atos 2.40 NVI

Quando se trata do evangelho, devemos falar muito. Pedro pregou sobre Jesus e as pessoas ficaram sensibilizadas com a sua necessidade de obedecer à vontade de Deus.

Eu muito preferia chatear alguém por falar muito de Jesus do que deixar de falar e deixar a pessoa ir tranquilamente para o inferno.

Pedro falou muito sobre Jesus e três mil pessoas foram batizadas.

Pode você falar tanto?

Pai querido, quando se trata do meu Senhor Jesus Cristo, que eu nunca me cale, pois ele é a única esperança que temos para a salvação eterna. Amém.

Segure este pensamento: Nunca se pode falar demais sobre Jesus Cristo.

Não pode ser assim

Seja coerente. Ou então ...

coerênciaFaz diferença como nos portamos no mundo? Como agimos e falamos?  Será que a graça de Deus vai resolver tudo ou precisamos dar atenção aos detalhes da fé?

Meus irmãos, não pode ser assim!
Tiago 3.10b NVI

Tiago não admite que o cristão seja incoerente. É um estado inaceitável para Deus. Deus é luz e nele não há trevas (1 João 1.5). Como pode então seu filho permitir uma mistura do bem e do mal, do louvor a Deus e da maldição do próximo?

Muitos cristãos são como uma facção dos antigos gnósticos, que acreditavam que o corpo era mau por natureza, então, o espírito bom podia ignorá-lo, deixá-lo fazer qualquer coisa. Assim, entregavam seus corpos à imoralidade. Muitos cristãos acham que as palavras não valham nada, que se possa jogá-las fora, e possam portanto falar qualquer coisa.

Para Deus, a palavra é um ato. Nossas palavras serão julgadas, bem como as ações. Jesus disse: “Eu afirmo a vocês que, no Dia do Juízo, cada pessoa vai prestar contas de toda palavra inútil que falou” (Mateus 12.36 NTLH). Parece uma coisa que não faz diferença? Faz, e como faz!

Pai, dê-me a sua luz, para que as trevas não venham a me dominar, para que eu seja coerente nas palavras e nas ações. Que eu dê atenção a cada área da minha fé. Porque Cristo morreu por mim. Amém.

Palavras impetuosas de Jó

Quatro lições das palavras de Jó.

provaçõesJá chegou a um momento na vida quando ela não fazia sentido? Quando a dor era pesada demais? Quando ninguém entendia, e palavras de conforto só pioravam a aflição?

Então Jó respondeu: “Se tão-somente pudessem pesar a minha aflição e pôr na balança a minha desgraça! Veriam que o seu peso é maior que o da areia dos mares. Por isso as minhas palavras são tão impetuosas.
Jó 6.1-3 NVI

O Senhor não ficou chocado com as palavras de Jó, mas os amigos dele, que nunca tinham passado por aquilo, lhe responderam duramente.

O que podemos aprender com as palavras de Jó?

#1. Nem todos têm condições de ouvir. Não significa que não devemos falar, mas podemos nos preparar para uma reação negativa dos que nos consideram longe da verdade, mesmo de pessoas da nossa intimidade. Alguém disse uma vez que, como amigos assim, nem precisa de inimigos.

#2. O Senhor Deus nos permite sentir e expressar o coração. Jó não pecou nas suas palavras, mas tentou entender sua situação. Sua teologia da prosperidade não podia explicar a sua realidade, então, ele tinha de buscar ao Senhor. Foi isso que Deus quis.

#3. Outros não sabem a aflição que alguém sente. Não convém dizer para quem sofre: “Sei como você sente”. Jó nos lembra que nem imaginamos. Só podemos confessar: “Nem imagino como você sente, mas sei que Deus está presente”.

#4. As palavras de Jó ilustram bem a verdade de Romanos 8.28. Deus usa o mal para nosso bem.

Os maiores autores da História já reconheceram no livro de Jó uma obra-prima, mas mais que isso o livro é a obra de Deus na vida de um homem que ele quer aperfeiçoar.

E o Senhor escreve outro livro assim na vida de cada um de nós.