Jesus foi

Tendo terminado de falar, um fariseu o convidou para comer com ele. Então Jesus foi, e reclinou-se í  mesa.
Lucas 11.37

Quantas vezes você já aceitou um convite quando Não queria ir? Foi por obrigação, sentindo que Não devia recusar, mas sem sentir a vontade de estar presente.

Quando convidado, Jesus foi í  casa de um fariseu. Tinha todo motivo para esperar passar momentos desagradáveis. Mas aceitou porque estava disposto a abençoar até os recalcitrantes, a falar a verdade mesmo no meio dos que a rejeitavam.

Jesus Não pensava em seu conforto nem em sentir-se bem.

Pense nisso no próximo convite que você receber.

Aumentando a multidão

Aumentando a multidão, Jesus começou a dizer: “Esta é uma geração perversa. Ela pede um sinal miraculoso, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas. …”
Lucas 11.29

Jesus ensina as multidoesOs religiosos adoram multidíµes e fazem de tudo para aumentar seus níºmeros. Fazem shows, promovem dança como parte dos seus cultos, manipulam as emoçíµes para conquistar audiências. Vale tudo para atrair mais pessoas.

As multidíµes deixavam Jesus ansioso. Embora para ele níºmeros sejam importantes, pois cada níºmero representa uma alma, raramente via as multidíµes com bons olhos.

Primeiro, na multidão perde-se o indiví­duo.

Segundo, a multidão desce ao impulso mais baixo contido nela. Aqui, é o desejo de ver milagres impressionantes, e Não atos de misericórdia.

Jesus rejeita até o elogio saí­do da multidão (verso 27-28). E recusa a agradá-la.

Melhor é ser fiel í€quele que nos enviou do que agradar a multidão.

Tocou

“Quem tocou em mim?”, perguntou Jesus. Como todos negassem, Pedro disse: “Mestre, a multidão se aglomera e te comprime”.
Lucas 8.45

Mulher toca JesusDezenas, talvez centenas, de pessoas tocavam em Jesus. Mas do meio da multidão havia um toque especial. Um toque necessitado. Um toque carente.

A esse toque Jesus permitiu que dele saí­sse poder para curar. Mas não permitiu que a pessoa beneficiada permanecesse oculta. Queria que ela soubesse que estava curada com a plena permissão e bênção dele.

Ninguém chega a Jesus despercebido. Não pode e nem precisa. Pois o que ele mais quer é que procuremo-no no momento da necessidade.

Mudando ou não nossa circunstância ou situação, Jesus não nos permite ir embora sem transmitir sua paz ao coração.

Que os avise

Ele respondeu: “Então eu te suplico, pai: manda Lázaro ir à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos. Deixa que ele os avise, a fim de que não venham também para este lugar de tormento”.
Lucas 16.27-28

O rico pede AbraãoAssim falou o rico, no tormento, a Abraão, ao lado de quem estava Lázaro.

Se os mortos pudessem falar conosco, o que falariam?

Não haveria conversa de saúde fí­sica, nem de ganhos financeiros.

Não haveria papo de futebol nem de candidato polí­tico.

Falariam uma coisa só: Deus nos deu esta vida a fim de que nos preparemos para a eternidade.

Os mortos não podem falar conosco.

Abraão deu uma resposta simples e contundente ao rico: para se prepararem para a eternidade, que os vivos leiam a Bí­blia (verso 29).

A mesma resposta ainda vale para nós.

Nenhum fio de cabelo

Contudo, nenhum fio de cabelo da cabeça de vocês se perderá.
Lucas 21.18

Jesus acabara de falar aos discí­pulos que seriam traí­dos pelos mais próximos e que alguns deles seriam entregues í  morte. Como é, então, que Não se perderia nenhum fio de cabelo da cabeça deles?

Ele usa aqui uma figura de linguagem para dizer: Deus conhece profundamente toda situação pela qual seus filhos teriam de passar; ele oferece completa proteção, garantindo tudo o que é essencial í  vida e í  paz.

Não constituem tais elementos essenciais os bons relacionamentos e a própria vida (verso 16), nem a boa reputação na sociedade (verso 17), mas sim a perseverança em agradar a Deus (verso 19).

Que garantia encorajadora para quem enfrenta tais afliçíµes por causa do nome de Jesus!

Convite

Jesus respondeu: “Certo homem estava preparando um grande banquete e convidou muitas pessoas”.
Lucas 14.16

O Senhor Não obriga ninguém. Ele estende um convite, o qual pode ser aceito ou rejeitado.

O convite é para desfrutar-se da sua presença e conviver com ele, com acesso a todas as bênçãos espirituais que ele oferece.

Ele nos impíµe apenas uma coisa: a conseqí¼ência da nossa escolha.

O convite tem condiçíµes: preparo, compromisso, dedicação, obediência, serviço, amor. Mas continua na qualidade de convite.

Desprezaremos um convite daquele que nos amou a ponto de morrer por nós?

Onde

“Onde está a sua fé?” perguntou ele aos seus discí­pulos.
Lucas 8.28a

Quando batem os ventos da adversidade, onde está a sua fé? Quando as ondas esfurecem o mar, onde está a sua fé? Quando as nuvens escurecem o dia e a tempestade desaba bem por cima de você, onde está a sua fé?

Jesus sempre aparece quando acontece o pior. Quando a fé está em Jesus, sua presença acalma o coração, suas palavras transformam a situação e seu poder traz bonança no lugar da desesperança.

Quando a fé está em Jesus.

Onde está a sua fé?