Muitas coisas acontecem ao mesmo tempo

Mateus 22.29: Muita coisa acontece quando lemos a Bíblia.

Jesus respondeu: “Vocês estão enganados porque não conhecem as Escrituras nem o poder de Deus!” Mateus 22.29

A frase de um escritor provoca reflexão sobre os leitores das Escrituras: “Amo textos que permitem que muitas coisas aconteçam tudo ao mesmo tempo”.

Quando lemos a palavra de Deus com mente e coração abertos, ela permite que muitas coisas aconteçam ao mesmo tempo: Continue lendo “Muitas coisas acontecem ao mesmo tempo”

Tomou o menino

Mateus 2.14-15: Jesus ficou vulnerável na sua condição humana.

Então ele [José] se levantou, tomou o menino e sua mãe durante a noite, e partiu para o Egito, onde ficou até a morte de Herodes.
Mateus 2.14-15

Como criança, Jesus ficava dependente dos outros para cuidar dele. Precisava que outros zelassem pela sua segurança. José o tomou, junto com sua mãe, e o levou para o Egito, para escapar do plano maligno de Herodes de matá-lo. Jesus veio à terra já sabendo que seria gerado pelo Espírito Santo e que passaria uma vida humana normal, em termos da vida física, emocional e espiritual. Continue lendo “Tomou o menino”

Por suas palavras

Mateus 12.36-37: Até nossas palavras serão julgadas no juízo final.

Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado. Pois por suas palavras vocês serão absolvidos, e por suas palavras serão condenados”. Mateus 12.36-37

Hoje é o Dia da Língua Nacional.

Preocupa-se mais com a boa gramática do que com a palavra verdadeira. Se a educação resolve os problemas da sociedade, os mais educados deveriam ser as pessoas mais corretas e devem falar sempre corretamente. Mas a verdade e a justiça não são qualidades só dos educados. Independem do nível educacional e social. A crise política é dos educados e dos ignorantes, pois faltam a verdade e a integridade tanto em quem é formado da faculdade como em quem nunca chegou a estudar nela. Continue lendo “Por suas palavras”

Jesus prega; pregue como Jesus

Mateus 4.17: Devemos pregar o que Jesus pregou.

Daí em diante Jesus começou a pregar: “Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo”. Mateus 4.17

Jesus vivia para o reino de Deus, pregava o reino e, pela sua morte, trouxe o reino aos homens. Israel era o reino pela aliança antiga de Moisés. Em Jesus uma nova manifestação do reino seria estabelecida. Continue lendo “Jesus prega; pregue como Jesus”

‘Para cumprir toda a justiça’

Mateus 3.15: Jesus não questionou nenhum mandamento do Pai.

Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou.
Mateus 3.15

Jesus não tinha pecado que devia confessar ou pelo qual devia receber o perdão. João batizava as pessoas que se arrependiam dos pecados. Ele reconhecia que o Senhor não tinha pecado e não tinha necessidade da imersão na água. Protestou quando Jesus se apresentou para o batismo. É compreensível seu protesto e ele tinha certa razão. Continue lendo “‘Para cumprir toda a justiça’”

Cuidado com as obras da justiça

Mateus 6.1: Faz uma diferença por que fazemos as nossas obras.

Evitem praticar as suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles; porque, sendo assim, vocês já não terão nenhuma recompensa junto do Pai de vocês, que está nos céus.
Mateus 6.1 NAA

Jesus espera que façamos obras de justiça. Ou, literalmente, praticar a “justiça”. Nossa justiça tem de ser “muito superior” que a dos religiosos, para entrarmos no reino de Deus, Mateus 5.20. O termo nos dois versos é o mesmo. Uma das maneiras, portanto, como ela (ou elas, no caso) tem de ser superior é a motivação por trás dela. Continue lendo “Cuidado com as obras da justiça”

‘Entregues por meu Pai’

Mateus 11.27: Somente Jesus conhece, e pode.

Todas as coisas me foram entregues por meu Pai. Ninguém conhece o Filho a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar. Mateus 11.27

Jesus disse possuir todo o conhecimento divino para cumprir a sua missão e revelar o Pai aos pequeninos que ouvem humildemente a Palavra. O conhecimento recíproco entre o Pai e o Filho demonstra um relacionamento especial. Se alguém quer chegar até Deus, tem que passar, necessariamente, por Jesus. Continue lendo “‘Entregues por meu Pai’”

Fuja para o Egito

Mateus 2.13: Deus frustra os planos malignos contra sua vontade.

Depois que [os magos] partiram, um anjo do Senhor apareceu a José em sonho e lhe disse: “Levante-se, tome o menino e sua mãe, e fuja para o Egito. Fique lá até que eu lhe diga, pois Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. Mateus 2.13

O Senhor Deus cuida dos seus. Quando os magos chegaram do Oriente a Jerusalém perguntando sobre o recém-nascido rei dos judeus, a cidade ficou alvoroçada. O rei Herodes ficou perturbado. Planejou matar a criança para preservar seu posto. Pediu que os magos encontrassem o menino e voltassem para lhe informar. Disse que queria adorá-lo também, mas na verdade queria matá-lo. Continue lendo “Fuja para o Egito”

Garantia de destruição

Mateus 24.2: Jesus joga por terra o orgulho do homem.

“Vocês estão vendo tudo isto?”, perguntou ele. “Eu lhes garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas”.
Mateus 24.2

Jesus quer destruir aquilo em que temos orgulho, para que possamos orgulhar-nos somente nele. Numa visita a Jerusalém, seus discípulos “aproximaram-se dele para lhe mostrar as construções do templo” v. 1. Não se sabe por que fazem isso agora, no final do ministério do Senhor, pois tinham vindo junto com ele várias vezes ao longo do seu tempo com ele. Talvez por haver algum progresso na construção? De qualquer maneira, estavam alegres de ver a construção e pensavam que o Senhor compartilharia sua alegria. Continue lendo “Garantia de destruição”

Ensinava com autoridade

Mateus 7.28-29: A razão porque Jesus ensinou com autoridade.

Quando Jesus acabou de dizer essas coisas, as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei. Mateus 7.28-29

Jesus ensinava exatamente o que seu Pai lhe mandou dizer, João 12.49-50. Seu ensinamento não representava conclusões humanas e citações acadêmicas. Falava com segurança. Não oferecia listas de possíveis interpretações. Continue lendo “Ensinava com autoridade”