Sob autoridade (Mt 8.9)

Texto: Mateus 8.5-13

Memorize: “Pois eu também sou homem sujeito à autoridade e com soldados sob o meu comando. Digo a um: Vá, e ele vai; e a outro: Venha, e ele vem. Digo a meu servo: Faça isto, e ele faz”. Mateus 8.9 NVI

O soldado tem compromisso de manter a disciplina militar. Ele se compromete, segundo um site militar brasileiro, à “rigorosa obediência às leis, aos regulamentos, normas e disposições” e à “pronta obediência às ordens dos superiores”.

O setor militar é uma hierarquia. O treinamento garante que o recruta obedeça a seus superiores imediatamente, sem questionamento. Continue lendo “Sob autoridade (Mt 8.9)”

Pare de criticar (Mt 7.1-6)

Texto: Mateus 7.1-6

Memorize: “Não julguem os outros para vocês não serem julgados por Deus. Porque Deus julgará vocês do mesmo modo que vocês julgarem os outros e usará com vocês a mesma medida que vocês usarem para medir os outros”. Mateus 7.1-2 NTLH

A respeito do pregador do evangelho T.W. Brents, foi dito: “Para com o erro ele foi absolutamente sem misericórdia, mas não era assim para com as pessoas; um homem de caridade para com a fraqueza e fragilidade humana, mas ai daquele que ficou na sua frente para lutar por uma posição anti-bíblica!” Continue lendo “Pare de criticar (Mt 7.1-6)”

Surgiu João Batista (Mt 3.1)

Naqueles dias surgiu João Batista, pregando no deserto da Judéia.
Mateus 3.1 NVI

Como na história de Jesus, a narrativa sobre João pula do seu nascimento para seu ministério. Nada se sabe sobre os anos da juventude, adolescência e primeiros anos da sua maioridade.

Mas essas décadas foram importantes do seu modo. Permitiram que João e Jesus se fortalecessem para seu serviço público. Longe dos holofotes, aprenderam a ouvir a voz divina e buscar unicamente a a vontade de Deus. Continue lendo “Surgiu João Batista (Mt 3.1)”

Louvor inclui mais

Naquela ocasião Jesus disse: “Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque …”
Mateus 11.25

Alguns têm o mau hábito, adquirido de certos grupos religiosos, de chamar de louvor apenas o cântico nas reuniões dos cristãos.

O louvor inclui mais do que os cânticos. A prática indica uma super-valorização dos cânticos nas reuniões.

E nem todos os cânticos são de louvor. Alguns buscam edificar aos irmãos, ensinar aos presentes e reforçar a esperança e a fé.

Jesus louvou ao seu Pai em oração. Por que, então, insistir em reservar o louvor aos cânticos? Os outros atos — oração, ceia do Senhor, oferta e pregação e ensino — também não são louvor? Por que não chamamos estes também de louvor?

Falemos como a Bí­blia fala.

Abra os nossos olhos

Responderam eles: “Senhor, queremos que se abram os nossos olhos”.
Mateus 20.33

Perto de Jericó, dois cegos criaram um escí¢ndalo para chegarem perto de Jesus. Eram persistentes. Ninguém pí´de impedi-los.

Conseguiram lhe apresentar seu pedido. Simples. Especí­fico. Direto.

Jesus se tocou com sua necessidade. Tocou-lhes os olhos e restaurou-lhes a visão.

Preciso levar a minha cegueira espiritual a Jesus. Sem deixar ninguém impedir-me. Preciso contar-lhe exatamente o que necessito. Sem rodeios. Sem vergonha. Sem embaraços.

Afinal, ele já sabe do que preciso. Só aguarda para ver o quanto quero que se abram os meus olhos.

Gritavam mais alto

“Por quê? Que crime ele cometeu?”, perguntou Pilatos. Mas eles gritavam ainda mais: “Crucifica-o!”
Mateus 27.23

Quando a emoção grita mais alto que a razão, as coisas vão andar mal.

Embora Pilatos se interessasse apenas na auto-preservação, ele tentou o diálogo com os judeus. Manipulada pelos lí­deres religiosos, a multidão Não queria conversar, apenas ação. Não importava que a crucificação que pedia condenaria um homem inocente.

Era plano de Deus que Jesus fosse crucificado, mas a grande injustiça cometida deixou todos responsáveis pelas atitudes demonstradas no dia.

Pois a paixão forte os dominou.

Qual emoção você sente hoje que está vencendo a razão?

Diabo nos detalhes

Digo-lhes a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra.
Mateus 5.18

placaUm Toyota Corolla, roubado no mês passado, foi apreendido pela polí­cia na sexta-feira passada. A pista que levou í  apreensão do carro foi erro de grafia na placa falsificada.

O nome da cidade foi soletrado como “Frorianópolis”.

Dizem que o diabo mora nos detalhes. Em outras palavras, quem se prende aos detalhes tende a ir para o inferno.

A Bí­blia — e a notí­cia do carro roubado — apresentam-nos outra realidade.

Quem Não cuida dos detalhes paga o preço.

Jesus se preocupava com os detalhes. Até com a menor letra e o menor traço da Lei.

Nossa obediência deve também se “prender” aos detalhes.

Pois nos detalhes mora Deus.

O Criador os fez

Do jeito que Deus fez as coisas no princípio é como ele quer que elas funcionem hoje … inclusive o casamento, conforme Jesus disse em Mateus 19.4.

Ele respondeu: “Vocês não leram que, no princí­pio, o Criador os fez homem e mulher’ …?”
Mateus 19.4

Deus criou todas as coisas. Somente ele não foi criado, sendo aquele que era, que é e que há de ser. O Eterno.

Ele não somente nos criou, mas estabeleceu para nós um padrão de vida. Quando seguimos este padrão, teremos a alegria, a paz e o contentamento.

Jesus disse que o Criador fez o ser human como homem e mulher. O lar, compondo um homem casado com uma mulher, serve de base para a humanidade, para sua continuidade, para sua felicidade.

A fuga desse plano traz grandes prejuí­zos a todos. Por isso, não somente cristãos, mas a própria sociedade tem como dever preservar e incentivar o casamento e seu bom funcionamento.