Louvor inclui mais

Naquela ocasião Jesus disse: “Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque …”
Mateus 11.25

Alguns têm o mau hábito, adquirido de certos grupos religiosos, de chamar de louvor apenas o cântico nas reuniões dos cristãos.

O louvor inclui mais do que os cânticos. A prática indica uma super-valorização dos cânticos nas reuniões.

E nem todos os cânticos são de louvor. Alguns buscam edificar aos irmãos, ensinar aos presentes e reforçar a esperança e a fé.

Jesus louvou ao seu Pai em oração. Por que, então, insistir em reservar o louvor aos cânticos? Os outros atos — oração, ceia do Senhor, oferta e pregação e ensino — também não são louvor? Por que não chamamos estes também de louvor?

Falemos como a Bí­blia fala.

Abra os nossos olhos

Responderam eles: “Senhor, queremos que se abram os nossos olhos”.
Mateus 20.33

Perto de Jericó, dois cegos criaram um escí¢ndalo para chegarem perto de Jesus. Eram persistentes. Ninguém pí´de impedi-los.

Conseguiram lhe apresentar seu pedido. Simples. Especí­fico. Direto.

Jesus se tocou com sua necessidade. Tocou-lhes os olhos e restaurou-lhes a visão.

Preciso levar a minha cegueira espiritual a Jesus. Sem deixar ninguém impedir-me. Preciso contar-lhe exatamente o que necessito. Sem rodeios. Sem vergonha. Sem embaraços.

Afinal, ele já sabe do que preciso. Só aguarda para ver o quanto quero que se abram os meus olhos.

Gritavam mais alto

“Por quê? Que crime ele cometeu?”, perguntou Pilatos. Mas eles gritavam ainda mais: “Crucifica-o!”
Mateus 27.23

Quando a emoção grita mais alto que a razão, as coisas vão andar mal.

Embora Pilatos se interessasse apenas na auto-preservação, ele tentou o diálogo com os judeus. Manipulada pelos lí­deres religiosos, a multidão Não queria conversar, apenas ação. Não importava que a crucificação que pedia condenaria um homem inocente.

Era plano de Deus que Jesus fosse crucificado, mas a grande injustiça cometida deixou todos responsáveis pelas atitudes demonstradas no dia.

Pois a paixão forte os dominou.

Qual emoção você sente hoje que está vencendo a razão?

Diabo nos detalhes

Digo-lhes a verdade: Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo se cumpra.
Mateus 5.18

placaUm Toyota Corolla, roubado no mês passado, foi apreendido pela polí­cia na sexta-feira passada. A pista que levou í  apreensão do carro foi erro de grafia na placa falsificada.

O nome da cidade foi soletrado como “Frorianópolis”.

Dizem que o diabo mora nos detalhes. Em outras palavras, quem se prende aos detalhes tende a ir para o inferno.

A Bí­blia — e a notí­cia do carro roubado — apresentam-nos outra realidade.

Quem Não cuida dos detalhes paga o preço.

Jesus se preocupava com os detalhes. Até com a menor letra e o menor traço da Lei.

Nossa obediência deve também se “prender” aos detalhes.

Pois nos detalhes mora Deus.

O Criador os fez

Do jeito que Deus fez as coisas no princípio é como ele quer que elas funcionem hoje ... inclusive o casamento, conforme Jesus disse em Mateus 19.4.

Ele respondeu: “Vocês não leram que, no princí­pio, o Criador os fez homem e mulher’ …?”
Mateus 19.4

Deus criou todas as coisas. Somente ele não foi criado, sendo aquele que era, que é e que há de ser. O Eterno.

Ele não somente nos criou, mas estabeleceu para nós um padrão de vida. Quando seguimos este padrão, teremos a alegria, a paz e o contentamento.

Jesus disse que o Criador fez o ser human como homem e mulher. O lar, compondo um homem casado com uma mulher, serve de base para a humanidade, para sua continuidade, para sua felicidade.

A fuga desse plano traz grandes prejuí­zos a todos. Por isso, não somente cristãos, mas a própria sociedade tem como dever preservar e incentivar o casamento e seu bom funcionamento.

Nenhum pequenino

Na igreja, nenhuma lista dos "10 mais".

Da mesma forma, o Pai de vocês, que está nos céus, não quer que nenhum destes pequeninos se perca.
Mateus 18.14

O mundo cria as listas dos “10 mais” ou dos “100 mais”. Os mais bonitos, mais ricos, mais poderosos, mais populares. Assim, despreza os que não contribuem para seu mundo mágico. Olha apenas os que estão “em alta”.

Os seguidores de Jesus fazem como seu Pai celestial: preocupam-se com os pequeninos do reino de Deus.

Todo esforço é pouco para manter o pequenino de Deus em segurança. Até confrontá-lo com seu pecado. Até levar outros dois para estabelecer o fato. Até contar à igreja e, caso não haja arrependimento, tratá-lo como um excluí­do, na esperança de recuperá-lo depois (versos 15-17).

O mundo não se perturba com os pequeninos. Como seu Pai, a igreja não quer que nenhum pequenino se perca.