Jesus falou contra a obediência?

João 8.51: Jesus nunca deu a entender que a obediência não fosse necessária à salvação. Pelo contrário!

Há nos evangelhos algum indício da parte de Jesus que a obediência à sua palavra não faria parte do evangelho? Ao contrário, ele dá múltiplos sinais que a obediência é de fato necessária à vida eterna. Continue lendo “Jesus falou contra a obediência?”

Cada um de acordo com o que faz

Salmo 62.11-12: Cuidado! Deus julga conforme sua natureza e os nossos atos.

deus-julga-conforme-obras

É bom escutar, mas temos grande responsabilidade pelo uso dos ouvidos. Devemos escutar com muito cuidado o que Deus diz.

Mais de uma vez tenho ouvido Deus dizer que o poder é dele e o amor, também. Tu, ó Senhor, recompensas cada um de acordo com o que faz.
Salmo 62.11-12 NTLH

Com estas palavras Davi conclui este salmo de confiança. Ele afirma que “Deus é capaz de libertar seu povo e sua libertação é um ato de amor” EBC. Deus castigará aqueles que resistem sua vontade e salvará quem confia nele e não no poder humano.

O termo traduzido como amor (hebraico: hesed) descreve a atitude de Deus dentro da sua aliança com Israel. Mas R.L. Harris amplia seu significado, descrevendo-o como

“um tipo de amor que inclui misericórdia, hannun, quando o objeto está numa condição lastimável. Frequentemente se usam verbos de ação, ‘fazer’, ‘guardar’, e desse modo a palavra refere-se a atos de amor bem como ao atributo de amor. A expressão ‘bondade amorosa’ (…) não está longe do sentido pleno de hesed’” DITAT.

A afirmação dupla sobre a pessoa de Deus, portanto, não é mera afirmação de fato, mas sim de fé.

O princípio do poder/amor divino, o qual o conduz a um juízo justo, se aplica também na nova aliança de Cristo. (Ver, por exemplo, Romanos 2.6ss.) Deus julga o homem pelo que este faz e não somente pelo que fala. Precisamos crer e obedecer a vontade de Deus.

Que alívio saber que, pelos termos da sua aliança bondosa, o Senhor nos julgará, pois podemos saber qual a base do juízo.

Segure esta ideia: Deus é bom e por isso julgará conforme nossos atos.

Chegamos!

Salmo 122.1-2: Alegria é o mandamento de Deus.

O que faz a festa são as pessoas que estão presentes. Nas três festas judaicas realizadas a cada ano por todo Israel em Jerusalém, o que trouxe alegria aos peregrinos era chegar na presença de Deus.

Fiquei alegre quando me disseram: “Vamos à casa de Deus, o SENHOR”. E agora aqui estamos, dentro de Jerusalém.
Salmo 122.1-2 NTLH

Continue lendo “Chegamos!”

Amigo dos que temem

Salmo 119.63: A relação entre solidariedade e obediência aos preceitos de Deus.

amigos-preceitos-deusNo meio do sofrimento, esquecemos às vezes que vivamos no meio da comunidade dos fiéis. Ou que exista tal comunidade. Sentimo-nos sós. O autor do Salmo 119 não se esqueceu disto.

Sou amigo de todos os que te temem e obedecem aos teus preceitos.
Salmo 119.63

Embora o salmo ressalte a confiança do indivíduo, apesar das suas provações, ele não perde de vista que faz parte duma comunidade. Continue lendo “Amigo dos que temem”

Consequências da obediência parcial

Juízes 2.2b-3: A obediência parcial traz a condenação de Deus.

Após 40 anos no deserto, o povo de Israel aprendeu pouco. Tiveram alguns sucessos sob a liderança de Josué na conquista da terra de Canaã, mas o livro de Juízes registra seu fracasso de exterminar completamente os pagãos da terra.

Mas vocês não me obedeceram. Por que fizeram assim? Por isso, também eu lhes digo: ‘Não expulsarei os cananeus diante de vocês. Eles continuarão ao lado de vocês, e os deuses deles serão armadilha para vocês’.
Juízes 2.2b-3 EP

“Vê-se as consequências da obediência parcial” (C.E. Amerding, “Judges,” International Bible Commentary, F.F. Bruce ed. [Zondervan 1986] 315).

À pergunta do Senhor há apenas um silêncio total. O povo não tem defesa. Se Deus tem sido, e continua sendo, fiel à aliança, como poderiam eles pensar na infidelidade ao Senhor?

Não é que Israel nada fez; o povo deixou de obedecer completamente o  Senhor.

A palavra chave que abre e fecha o parágrafo (versos 1, 5) é o nome do lugar onde o Senhor falou a Israel. O povo o chamou de “Boquim”, que significa pranto, ou pranteadores. Pelo uso deste nome como moldura para a passagem, enfatiza-se a profunda tristeza da desobediência.

Depois do choro do povo, não veio outra palavra de Deus. Assim as coisas ficariam a partir deste momento. Esta palavra explica a situação durante a era dos juízes.

Virão sobre a igreja também os tempos sombrios dos juízes, pela nossa obediência parcial à nova aliança baseada no sangue de Cristo? À pergunta do Senhor: “Como poderiam fazer tal coisa?”, pode haver apenas um silêncio culposo.

Ó Deus, se todos falharem, que eu seja fiel.

Segure esta ideia: Quando abandonarmos de Deus a trilha,/ Os ídolos serão para nós uma armadilha.

Se eu gosto, Deus deve gostar também

Quem pode ler a mente de Deus?

Jeffrey John, um religioso anglicano, diz estar em favor do casamento de homossexuais, e acrescenta: “Tenho certeza de que Deus também está a favor”. Tal afirmação parece como o que dizem alguns dos meus irmãos e muita gente religiosa: Eu gosto de instrumentos de música na adoração (ou preenche com outra preferência religiosa qualquer), então, Deus também tem de gostar. O que me agrada também agrada a Deus.

Há tantas coisas erradas com tais pensamentos, é difícil saber por onde começar.

Primeiro, quem pensa assim trata Deus como um reflexo, não de apenas um ser humano, mas de uma única pessoa, o eu. É profundamente errada a lógica que Deus deve pensar como eu, gostar das coisas de que eu gosto. As passagens de Jeremias 17.9 e Isaías 55.8-9 devem ter acabado com tais ideias, mas parece haver bastante gente ignorante da história sagrada e fadada a repeti-la.

Segundo, quem pensa assim coloca suas próprias paixões e desejos no lugar de Deus e, ainda, lhes dá o nome de deus. Fica no mesmo nível da prostituição sagrada das religiões idólatras da antiguidade ou, mais perto de nós por alguns séculos, as Cruzadas da Igreja Católica.

Tudo isso é feito do mesmo pano. A vontade própria. O reinado da paixão. Os que vivem sob ela não conhecem a Deus e não pertencem a Cristo.

“Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos” (Gálatas 5.24 NVI).

Pai santo, que o pecado não tenha mais vez comigo, mas sim a sua vontade.

Segure este pensamento: Quem é dominado pela paixão não pode agradar ao Senhor.

 

Seguir Jesus é levantar-se e ir com ele

A vida espiritual significa ação.

Fazer alguma coisaPelos modelos religiosos predominantes, pensa-se sobre a vida religiosa em termos contemplativos. Ser espiritual é fugir do mundo. Literalmente. Para a clausura.

Enquanto estava caminhando, Jesus viu Levi, filho de Alfeu, sentado no lugar onde os impostos eram pagos. Então disse a Levi: —Venha comigo. Levi se levantou e foi com ele.
Marcos 2.14 NTLH

Jesus anda para lá e para cá, ensinando e servindo. E chamando. Levi se levantou e foi com ele. Para seguir Jesus, tem de se mexer. Ensinar. Servir. Fazer, como ele, a vontade do Pai.

A vida em Cristo não é um escape do mundo, mas o engajar-se na batalha pelas almas necessitadas da salvação.

Obediência da fé

A carta termina como começou, falando desse conceito.

ObediênciaNada mais apropriado numa carta que trata da essência da fé do que terminar com uma doxologia, uma exclamação de louvor, a qual é densa de conteúdo ainda e repleta de termos e frases chaves tratadas ao longo da obra:

Agora ao que é poderoso para vos confirmar, segundo o meu Evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério guardado em silêncio durante os tempos eternos, mas manifestado agora e, por meio das Escrituras proféticas segundo o mandamento do Deus eterno, dado a conhecer a todas as nações para obediência da fé; ao Deus que só é sábio seja dada glória por Jesus Cristo pelos séculos dos séculos. Amém.
Romanos 16.25-27 TB

Paulo termina com uma frase que escreveu no início da carta, dando-nos uma noção do seu conteúdo: “a obediência da fé”.

No capítulo 3 a NVI traduz o termo grego por “obras” como “obediência” e assim confunde a mensagem da carta. Numa versão bíblica de outro modo confiável e recomendável, a NVI mostra o ponto cego dos evangélicos, que faz com que percam a natureza da resposta correta à mensagem, isto é, a obediência. Desde Martinho Lutero, agarram-se à doutrina da “fé somente”, afirmando que não se pode fazer nada para a salvação.

Na sua carta, Paulo insiste na necessidade da obediência para a salvação. Leia, por exemplo, 6.17-18. E nessa menção dupla da “obediência da fé”, ele declara o que espera provocar nos ouvintes quando prega o evangelho.

Esta também é a nossa mensagem.

Só gente bonita, favor

Quem pode receber a bênção de Deus?

ObediênciaDois dos meus filhos já foram convidados a fazer testes em agência de modelo. Mas eu nunca fui convidado, não. (Os filhos puxaram a mãe.) Tem lugar onde a gente não será convidado nunca para entrar. Agora, com Deus funciona diferente: entra quem obedece:

Pois assim diz o Senhor: “Aos eunucos que guardarem os meus sábados, que escolherem o que me agrada e se apegarem à minha aliança, a eles darei, dentro de meu templo e dos seus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas, um nome eterno, que não será eliminado.
Isaías 56.4-5 NVI

Aos que não têm esperança de nada, Deus promete algo maior do que se possa sonhar. E, diferente da palavra do ser humano, suas promessas sempre são cumpridas (Isaías 55).

O que Deus oferece para nos satisfazer é maior e melhor do que qualquer realização desta vida. O eunuco, impossibilitado de ter filhos, podia apenas sonhar com filhos, mas Deus enche o coração com sua presença, fazendo-nos esquecer de todo vazio que sentimos.

Ninguém será excluído. No sistema judaico, os fisicamente imperfeitos não podiam aproximar-se de Deus no templo. Mas agora todos são convidados a desfrutar de suas promessas de ficarem inteiros, completos e felizes no conhecimento dele.