Garantia de destruição

Mateus 24.2: Jesus joga por terra o orgulho do homem.

“Vocês estão vendo tudo isto?”, perguntou ele. “Eu lhes garanto que não ficará aqui pedra sobre pedra; serão todas derrubadas”.
Mateus 24.2

Jesus quer destruir aquilo em que temos orgulho, para que possamos orgulhar-nos somente nele. Numa visita a Jerusalém, seus discípulos “aproximaram-se dele para lhe mostrar as construções do templo” v. 1. Não se sabe por que fazem isso agora, no final do ministério do Senhor, pois tinham vindo junto com ele várias vezes ao longo do seu tempo com ele. Talvez por haver algum progresso na construção? De qualquer maneira, estavam alegres de ver a construção e pensavam que o Senhor compartilharia sua alegria. Continue lendo “Garantia de destruição”

A prostituta esquecida

Ela somos nós que nos orgulhamos nas riquezas.

Algumas pessoas vendem o corpo, outros, a alma. Por isso, foi apropriado Isaías usar a imagem de uma prostituta que perdia seus atrativos e aplicá-la à cidade de Tiro:

“Pegue a harpa, vá pela cidade, ó prostituta esquecida; toque a harpa, cante muitas canções, para se lembrarem de você”.
Isaías 23.16 NVI

Tiro era cidade comercial e marítima, poderosa pela riqueza que ganhava nos negócios. Sua queda vinha, porém, não por ser empreendedora, mas sim por ser orgulhosa.

O capítulo 23 de Isaías narra o castigo de Deus sobre a cidade. Uma das cidades mais antigas, Tiro serviria como exemplo do plano mundial de Deus para opor-se a toda manifestação do orgulho humano: “O Senhor dos Exércitos o planejou para abater todo orgulho e vaidade e humilhar todos os que têm fama na terra” (verso 9).

Não traz a condenação de Deus uma pessoa ou uma nação fazer negócios e se enriquecer, mas sim o mau uso e o orgulho que centra nela a capacidade.

Por isso, os lucros devem ser “separados para o Senhor” (verso 18).

De outro modo, seremos prostitutas velhas sem cliente.

Deus dos exércitos, o orgulho se levanta contra o Senhor e proclama a independência. Que eu me lembre que tudo vem do Senhor e a inteligência, a força física, a saúde e os lucros são dádivas suas.

Segure este pensamento: Não o que se ganha, mas como se gasta, que condena.