O que é bom e tudo o que preciso?

Salmo 73.28: Depois de muita luta, eis a conclusão.

O ser humano tem mil definições do bem e do mal. No final, sem um padrão exterior e objetivo, ele acaba definido o que é bom em termos das suas preferências.

No meio duma experiência difícil, um escritor luta com a questão da bondade de Deus, Salmo 73.1, e chega à seguinte conclusão: Continue lendo “O que é bom e tudo o que preciso?”

Quando Deus toca no homem

Daniel 10.17-18: Como Daniel, o Senhor considera seu povo como muito amado.

Nossas forças vêm de Deus. Somos seres impotentes nas coisas de Deus. Não temos nenhuma possibilidade, das nossas próprias contas, de aproximar-nos de Deus nem de viver e servir Cristo.

A experiência de Daniel serve de figura para a nossa, quando nos encontramos em Cristo. Continue lendo “Quando Deus toca no homem”

Pensei: O Senhor se esqueceu de mim!

Salmo 31.22: Será que Deus nos abandona nas dificuldades?

Quando a vida aperta, tendemos a pensar que Deus não está mais conosco. Que ideia besta! O problema é nosso conceito sobre o que Deus pretende fazer nesta vida conosco. Mas não seremos os primeiros a pensar dessa forma: Continue lendo “Pensei: O Senhor se esqueceu de mim!”

Cristo presente para fazer algo acontecer

Mateus 1.23, 18.20, 28.20: Este evangelho tem um interesse especial no tema.

 

A presença de Deus e de Cristo em nossa vida não é um elemento inerte. Ele nos vem a fim de fazer mudanças e efetuar transformação. Deus vem até nós para trabalhar, e não para descansar.

Duas vezes no evangelho de Mateus, Cristo diz estar presente com seu povo, nas duas para a salvação de almas. Continue lendo “Cristo presente para fazer algo acontecer”

A morada de Deus entre os homens

Êxodo 25.8: Deus se fez presente no santuário.

tabernaculo

O ser humano precisa de moradia, para protegê-lo dos elementos da chuva, do frio e do calor e das ameaças de insetos, bichos e predadores da sua própria raça. Sua moradia lhe traz um grau maior ou menor de conforto.

Deus também tem uma moradia, mas não porque ele precisa de proteção. Ele deseja e por isso escolheu habitar entre um povo da sua escolha. Por meio desta moradia ele não recebe benefício, mas o confere. Ele abençoa ao seu povo por meio da sua presença no seu meio. Continue lendo “A morada de Deus entre os homens”