Peça a ajuda de Deus somente depois

Salmo 50.15: Promessa maravilhosa, com uma condição.

Quando chamamos a Deus ao sermos afligidos, tem de haver preparação. Note nessa versão o “Depois”. Tem de acontecer algo antes. Temos que tomar uma postura, fazer uma mudança, antes que Deus nos liberte, mas a promessa continua em pé: Continue lendo “Peça a ajuda de Deus somente depois”

Repita

Salmo 124.1-3: Um convite para lembrar a obra de Deus.

recitar-obra-deusJá ficou com uma canção na cabeça e a repetia sem parar? Depois de um tempo, começa a irritar, porque é um pensamento ou música aleatória.

Por isso, é preciso pensar e repetir coisas bem planejadas, bem pensadas e bem verdadeiras. Continue lendo “Repita”

E ele os curou

Mateus 4.23-24: Da mesma forma, ele nos salva.

A Boa Nova é ilimitada no seu poder de transformar. Deus perdoa, faz nascer de novo, transfere de uma hora para outra do reino das trevas para o seu reino de luz. Da mesma forma que as curas de Jesus foram instantâneas, a ação espiritual de Deus é imediata.

Jesus foi por toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas deles, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças entre o povo. Notícias sobre ele se espalharam por toda a Síria, e o povo lhe trouxe todos os que estavam padecendo vários males e tormentos: endemoninhados, epiléticos e paralíticos; e ele os curou.
Mateus 4.23-24 NVI

Não houve nada de médico, de tratamento, de recuperação, de melhora gradativa. Levaram a Jesus os doentes e ele os curou. Com um simples toque, com uma palavra apenas, Jesus restaurou-lhes a saúde perfeita.

Estas curas físicas nos apontam a natureza da cura espiritual.

Na imersão da pessoa que desce na água com fé e decisão de servir ao Deus vivo, a restauração espiritual é imediata. A transferência é feita na hora. O perdão é instantâneo. Nasce um filho de Deus.

Precisamos aprender a viver a nova vida, mas esta vida não é menos real por isso.

O Senhor nos salvou com a palavra, nos redimiu pelo sangue de Jesus Cristo, cuja ação é eficaz, e nele nos alegramos eternamente.

Segure essa ideia: Salva Deus ao estalar dos dedos, / Com vida nova, vence nossos medos.

 

Voando sobre as asas do vento

Salmo 18.9-10: Linguagem impressionante descreve a salvação de Deus.

Com linguagem quase apocalíptica, no Salmo 18 o rei Davi descreve a libertação dos seus inimigos por parte do Senhor. Esse salmo extenso, de 50 versos, é o primeiro deste tamanho, após 17 salmos pequenos, nenhum maior do que 20 versos, a fim de exaltar a Deus pela sua salvação.

Os céus ficaram mais baixos com núvens escuras de tempestade, e sobre elas ele vinha descendo em direção à terra. Levado por um querubim, ele se aproximou rapidamente, voando sobre as asas do vento.
Salmo 18.9-10 NBV

#1. Deus tem focos de trabalho: no seu rei escolhido, no seu povo. Ele salva e abençoa para estender sua salvação e bênção a todos os que o recebem. A pessoa de Davi serviu como tipo do Messias que viria mais tarde.

#2. Esta linguagem dramática serve para atribuir a Deus todas as vitórias que o rei tinha sobre os seus inimigos. Ressalta o entendimento de Davi sobre o autor das suas vitórias na sua situação desvantajosa.

#3. A grande lição: “Deus é fiel para com o fiel. (…) Salva os humildes, mas humilha os orgulhosos” (versos 25, 27). Ele responde às súplicas do seu povo obediente por libertação.

Davi pinta este quadro para quem ainda não conseguiu enxergar. Para alguns Davi teve um reinado turbulento e problemático. Para Davi, foi uma sequência de salvamentos pelo Senhor, todos os quais apontam a mão de Deus sobre ele.

Que eu veja com clareza a agitação de céu e terra embaixo da sua mão, por causa da salvação que traz ao seu povo. Louvado seja o Senhor!

Segure essa ideia: Vem Deus do céu seu povo salvar, / secando o mais profundo mar.

Minha oração por você no ano novo

Uma oração, um apelo, um desejo.

Oração e salvaçãoPego emprestado, da leitura bíblica de ontem, a oração de Paulo pelos tessalonicenses, para fazer o meu pedido por você. Afinal, nenhuma palavra, nenhuma oração melhor do que uma das Escrituras:

(…) por isso que oramos continuamente por vocês, a fim de que o nosso Deus os torne dignos do chamado que lhes dirigiu, e para que ele, com seu poder, os faça realizar todo bem que desejam e dinamize o trabalho da fé que vocês têm. Desse modo, o nome do Senhor Jesus será glorificado em vocês e vocês também serão glorificados nele, conforme a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.
—2Tessalonicenses 1.11-12

O que mais desejo por você é a sua salvação eterna. Para isso, meu amigo, minha amiga, tenha certeza de que esteja obedecendo ao Senhor em todas as coisas.

A vida eterna é o maior “bem” que podemos realizar ou, melhor, receber da parte de Deus, tanto pela duração, como pela qualidade.

Porque a vida eterna se resume no conhecimento de Deus, por meio de Jesus Cristo, João 17.3.

Não há outro caminho, além de Cristo, João 14.6. Este caminho significa obediência a ele, João 12.50. Sem fazer o que ele manda, não temos chance, Mateus 7.21.

Obedeçamos e sejamos salvos!

Pai eterno, louvado seja o teu nome, pela salvação em Cristo Jesus. Que entendamos e façamos a sua vontade.

Segure esta ideia: “Obedecer” é o nome da avenida, / Pra entrar na sua graça, na sua vida.

Só se ele quiser

No contexto, o convite de Jesus de vir até ele é mais rigoroso do que se pensa.

conhecer DeusJesus fez declarações chocantes. Vez após outra ele afirma seu papel especial no projeto divino. Ele é a pessoa chave para conhecer Deus.

Tudo me foi entregue por meu Pai; e ninguém conhece o Filho senão o Pai, como ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Mateus 11.27 BSC

Esta declaração de Jesus precede o famoso convite de Mateus 11.28-30, o de vir a Jesus. Sugere que o conhecimento do Pai, o qual implica na sua presença e sua bênção, somente vem àquele que está disposto a entregar ao Senhor os pesos desta vida para receber o seu jugo.

O convite está aberto a todos, mas o alívio e o conhecimento do Pai estão pre-determinados. Ou seja, são condicionados à nossa receptividade de deixar o nosso fardo para assumir a direção (senhorio) de Cristo.

Por que será que cortamos este verso quando citamos o convite a seguir? Seria para separar a demanda da promessa, a restrição do convite?

 

 

Liberdade que condena

Insistir quando não deve, prejudica a todos.

EdificaçãoUma frase comum que tem sido usada entre os irmãos é: “Em questões da fé, unidade; em questões de opinião, liberdade; em todas as coisa, caridade (amor)”. A frase é boa, pois uma prática básica entre os cristãos é a de não insistir em questões que não prejudicam a salvação.

Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova.
Romanos 14.22 NVI

É possível destruir o irmão, pela falta de fé da parte dele numa questão de opinião, ao aprovar e insistir numa prática. Quem assim faz traz para si a condenação de Deus.

Em questões secundárias, a salvação não será afetada. No contexto, Paulo fala do tipo de comida que se come em casa ou a observação individual de dias especiais. Entre nós hoje, há irmãos cujas famílias que não observam feriados como o Natal. Estas coisas devem permanecer entre a pessoa e Deus. Quer dizer, não devem ser assunto para dividir a igreja ou questão de fé entre irmãos, pois tais opiniões não mudam o destino eterno de ninguém.

A fé que traz a salvação, porém, deve ser sempre algo que não permaneça entre o cristão e seu Deus, mas assunto para ser levantado com todos a todo momento.

As pedras da Serra da Mantiqueira

Quando Deus justifica, ninguém muda seu parecer.

justificationSe eu fosse me jogar da Pedra da Macela, a 1.840 m de altitude na Serra da Mantiqueira (o que não vou fazer nunca, pois tenho medo das alturas), quem ia levar a pior, eu ou as pedras? As pedras não iriam se machucar. Elas não iriam nem mexer nem sentir nada. Eu é que ficaria quebrado!

E quando Deus justifica e um homem acusa?

Quem irá acusar os eleitos de Deus? Deus é quem nos justifica!
Romanos 8.33 BSC

A pergunta é retórica. Nem precisa suprir a resposta, pois todos já a sabemos.

Alguém poderá falar mal a nosso respeito, e falará mesmo. O cristão ouvirá todo tipo de mentira e falsidade a seu respeito pelos que querem derrubar a verdade. Tais palavras, porém, não terão como afetar seu relacionamento com Deus, nem o seu destino eterno. Serão apenas palavras falsas e vazias de poder.

Se é Deus quem nos julga, o juízo do homem, e de nós mesmos, fica sem efeito. Devemos fazer o máximo de esforço para termos a aprovação dele, mas uma vez tendo-a (e há como ter certeza dela), podemos ficar sossegados na justificação por meio de Cristo.

Da mesma forma que as pedras da montanha não se preocupem comigo.

E o índio no meio da selva que nunca ouviu o evangelho?

Saiba qual a natureza do problema.

evangelho soluçãoParte do processo de resolver um problema é identificar a natureza do mesmo. Se a identificação do problema for errada, a solução proposta não funcionará.

Aqueles que dizem que Deus salvará as pessoas que nunca ouviram o evangelho fazem do evangelho o problema. O que condena não é a falta de ouvir, mas o pecado humano.

Eu lhes disse que vocês morrerão em seus pecados. Se vocês não crerem que Eu Sou, de fato morrerão em seus pecados.
João 8.24 NVI

Jesus disse que as pessoas vão morrer em seus pecados. Isso significa que o pecado é o problema do ser humano. Sem haver a remissão (remoção) ou perdão dos pecados, não haverá a salvação, ninguém receberá a vida eterna.

Jesus não é o problema, mas sim a solução.

Como tal, cabe ao cristão falar a todos a respeito do Senhor Jesus e como crer nele.

Isto é bom

Deus fala do que gosta.

Ser humano nenhum sabe o significado do que é bom. Nossa percepção tem sido tão distorcida pelo pecado de modo que não temos condições de identificar o bom. Nossa ideia do bom, portanto, será sempre colorida pelas nossas paixões e desejos.

Por isso, quando a Bíblia define algo como sendo bom, devemos dar atenção dobrada.

Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual quer que todos os homens sejam salvos e venham a conhecer a verdade.
1 Timóteo 2.3-4 BND

“Isto” se refere à oração por todas as pessoas. E “isto” é bom porque, como diz o versículo a seguir, o que Deus mais quer é a salvação de todos, por meio do conhecimento da verdade.

Qual deve ser, então, a nossa oração? Para que todos sejam salvos. E como serão salvo? Quando pregamos a eles a verdade do evangelho. Devemos orar, portanto, pela nossa própria dedicação e coragem para falar a mensagem em todo o tempo.