Fé em Jesus sem parcialidade

Tiago 2.1: A fé significa tratar outros sem parcialidade.

Meus irmãos, vocês não podem ter fé em nosso Senhor Jesus Cristo, o Senhor da glória, e ao mesmo tempo fazer acepção de pessoas. Tiago 2.1 NAA

Tiago usa o nome de Jesus e o título de Cristo apenas duas vezes na sua carta: na saudação e aqui. Esta ocorrência dá portanto ênfase ao assunto da parcialidade. (O termo “Senhor” é usado 14 vezes na carta.) Continue lendo “Fé em Jesus sem parcialidade”

Nenhum lugar para a ira humana

Tiago 1.20: As razões humanas para a ira não mais ocupam espaço na vida justa.

O alvo do cristão é desenvolver as atitudes que produzem o tipo de vida correta que Deus deseja, vida esta coerente com o novo nascimento que Deus nos deu por meio da palavra da verdade, Tiago 1.20-21. Algumas atitudes são incoerentes com a vida correta. Continue lendo “Nenhum lugar para a ira humana”

Não resgate a boneca inflável

Temos uma visão clara do nosso objetivo?

resgate de almaA polícia em Shadong, na China, recebeu telefonema sobre o corpo de uma mulher flutuando num dos rios da província.

Então, uma equipe de resgate de 18 policiais gastaram 40 minutos retirando o corpo, para depois descobrir que era apenas uma boneca inflável.

Sabemos o que nós queremos salvar? Está claro na nossa mente o objeto dos nossos esforços de resgate? Ou será que nossos esforços serão por nada, depois de trabalhamos de forma tão árdua?

“Meus irmãos, se algum de vocês se desviar da verdade e alguém o trouxer de volta, lembrem-se disso: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a alma dessa pessoa e fará que muitíssimos pecados sejam perdoados” (Tiago 5.19-20).

Temos uma visão clara que a nossa tarefa é para salvar uma alma da morte eterna?

Criador de alma e corpo, que nossos esforços sejam à altura do nosso objetivo.

Segure este pensamento: Trabalhamos não para pintar uma parede ou vestir a nudez, mas salvar uma alma e ganhar de volta o desviado.

Entenderam o propósito

Deus deseja fazer sempre o bem.

Propósito de DeusSem entender como uma guinada na vida ou uma situação inesperada poderá contribuir para um final feliz, pelo menos o cristão confia que o projeto de Deus visa seu bem-estar e, mais ainda, a bênção de todos.

Como vocês sabem, consideramos bem-aventurados aqueles que mostraram perseverança. Vocês ouviram a respeito da perseverança de Jó e entenderam o propósito do Senhor, porque o Senhor é misericordioso e compassivo.
Tiago 5.11 BND

Muitas versões vertem a frase sobre o propósito do Senhor assim: “viram o fim que o Senhor lhe proporcionou” (NVI). Algumas traduções recentes, porém, consideram o termo “fim” (grego: telos) como indicação de finalidade ao invés de uma referência ao término da história de Jó. (TEB parece dar o sentido de propósito: “viste o fim visado pelo Senhor”.) No final, porém, os dois sentidos se fundem.

A última frase sobre a misericórdia de Deus lembra passagens como Êxodo 34.6; Neemias 9.17; Salmo 86.15 e 102.13; Joel 2.13 e Jonas 4.2, servindo assim de afirmação da constância do propósito bondoso do Senhor. O caso de Jó não foi exceção.

O propósito do Senhor, qual é? Abençoar os que perseveram. A história de Jó e tantas outras proclamam seu intento benévolo.

Então, tome mais um passo hoje em direção a ele.

Senhor benigno, confio no Senhor que cada momento vivido nesta terra tem como objetivo me conduzir até a sua presença. Obrigado por me dar a promessa eterna que alimenta as esperanças. Amém.

Cumpridor da lei

Ninguém é perfeito. Mas ainda dá pra ser justo.

obediênciaAlgumas tradições religiosas dizem que é impossível cumprir a lei. E têm razão, da perspectiva do mérito humano que prova a sua bondade a Deus, pois “ninguém é perfeito”, como tantos gostam de falar. Porém, a falta da perfeição não significa que seja impossível de obedecer à lei.

Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala mal de seu irmão, e julga ao seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei. E se você julga a lei, já não é cumpridor da lei, mas juiz dela.
Tiago 4.11 BND

Tiago espera que os cristãos sejam cumpridores da lei. Pessoas que “obedece[m] à lei”, conforme tradução da NTLH. Esta é a linguagem que ele usa, sem sentir nenhuma vergonha, sem pedir desculpas pela colocação.

Desta forma, devemos dar o devido peso às descrições de Zacarias e Isabel, pais de João, o imergidor: “E eram ambos justos diante de Deus, andando em todos os mandamentos e preceitos do Senhor sem repreensão” (Lucas 1.6).

Afinal, Jesus nos ordenou a buscar em primeiro lugar o Reino e a sua justiça (Mateus 6.33). Isso significa a mesma coisa de cumprir a lei. Significa obedecer aos mandamentos de Deus. Significa fazer a vontade do Pai (Mateus 7.21).

Não há como buscar o Reino sem buscar a justiça de Deus.

Pai justo, que eu confie em sua bondade para fazer toda a sua vontade, pelo poder dado a nós por meio do seu Espírito. Pois Jesus é a minha justiça. Amém.

Não pode ser assim

Seja coerente. Ou então ...

coerênciaFaz diferença como nos portamos no mundo? Como agimos e falamos?  Será que a graça de Deus vai resolver tudo ou precisamos dar atenção aos detalhes da fé?

Meus irmãos, não pode ser assim!
Tiago 3.10b NVI

Tiago não admite que o cristão seja incoerente. É um estado inaceitável para Deus. Deus é luz e nele não há trevas (1 João 1.5). Como pode então seu filho permitir uma mistura do bem e do mal, do louvor a Deus e da maldição do próximo?

Muitos cristãos são como uma facção dos antigos gnósticos, que acreditavam que o corpo era mau por natureza, então, o espírito bom podia ignorá-lo, deixá-lo fazer qualquer coisa. Assim, entregavam seus corpos à imoralidade. Muitos cristãos acham que as palavras não valham nada, que se possa jogá-las fora, e possam portanto falar qualquer coisa.

Para Deus, a palavra é um ato. Nossas palavras serão julgadas, bem como as ações. Jesus disse: “Eu afirmo a vocês que, no Dia do Juízo, cada pessoa vai prestar contas de toda palavra inútil que falou” (Mateus 12.36 NTLH). Parece uma coisa que não faz diferença? Faz, e como faz!

Pai, dê-me a sua luz, para que as trevas não venham a me dominar, para que eu seja coerente nas palavras e nas ações. Que eu dê atenção a cada área da minha fé. Porque Cristo morreu por mim. Amém.

O mal insopitável

O mal extravasa, não pode ser contido.

excesso da maldadeContra a autosuficiência, a mansidão sinaliza a disposição de acolher a palavra poderosa. Tal disposição significa também o trabalho de eliminar da vida todo o mal, pois por natureza ele extravasa por todos os lados.

Portanto, evitem tudo o que é imoral e deixem de praticar as coisas más que tanto os influenciam. Aceitem com mansidão a mensagem que Deus plantou em seus corações, a qual é poderosa para salvar as suas almas.
Tiago 1.21 VFL

Quando a Versão Fácil de Ler traduz a frase: “as coisas más que tanto os influenciam”, ela tenta fazer sentido da expressão literal: “acúmulo de maldade” (ARA), ou: “excessos do mal” (CNBB), ou ainda: “transbordamento da maldade” (TEB).

O termo para “acúmulo”, “excessos” e “transbordamento” é literalmente “abundância” (assim BLivre). Como entender o termo neste contexto?

Algumas versões o traduzem como “vestígio”, dando a ideia de que o cristão deve tirar qualquer restinho do mal que ainda permanece na sua vida. Embora verdade, não parece que o termo tem este sentido.

Como VFL acima e NVI (“maldade que prevalece”), o mal que existe lá fora é predominante e pressiona o fiel. É o “mal que nos cerca” (NIrV). O cristão, portanto, deve, digamos, empurrar de volta, não permitindo que este mal o influencie. Uma possibilidade.

Outra é a “maldade que toca a vida dos outros” (J.B. Phillips, inglês). Quer dizer, o mal que fazemos nunca é contido, não pode ser controlado, sempre vaza para prejudicar os outros. Traz à mente o velho aviso contra o brincar com fogo. Numa hora ou outra, acaba escapando e se alastrando, destruindo tudo em seu caminho. O rei Davi aprendeu no duro, com Bate-seba.

De qualquer maneira que entendemos o termo, fica a verdade do mal insopitável. Como a língua (Tiago 3), o mal não pode ser dominado. Por isso, temos de nos livrar totalmente do mal, pela palavra que poderosa que nos salva.

Pai celeste, obrigado pela palavra implantada em nós para erradicar o mal. Louvamo-te pela nossa liberdade em Cristo. Amém.

[subscribe2]

Não falem mal

Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz.
Tiago 4.11

Falar mal significa fazer declarações falsas, como as condenadas em Êxodo 23.1. Significa fofoca, difamação, testemunho falso, condenação do outro por meio de críticas. Continue lendo “Não falem mal”