O que é falsamente chamado conhecimento

1 Timóteo 6.20-21: Pessoas avançadas precisam ir além?

Dois editores de revistas científicas conceituadas afirmaram que boa parte dos estudos publicados — até metade deles — “pode estar simplesmente errada”. O site ZeroHedge.com divulgou as citações.

“A ciência fez uma guinada em direção à escuridão”, disse Richard Horton, editor-chefe da revista britânica Lancet.

A editora-chefe da revista americana The New England Journal of Medicine, Dra. Marcia Angell, lamentou em 2009:

Simplesmente não é mais possível acreditar boa parte da pesquisa clínica que é publicada, nem depender do juízo de médicos de confiança ou de diretrizes médicas de autoridade. Não tomo prazer nesta conclusão, a que cheguei aos poucos e com relutância ao longo das minhas duas décadas como uma editora de The New England Journal of Medicine.

O campo da Ciência não é, de longe, o estudo objetivo e imparcial como finge ser. Nunca foi. Mas hoje até alguns dos próprios cientistas e médicos estão admitindo que a corrupção corre solta.

A Ciência, porém, é tida como grande conhecimento humano sobre o qual muitos apostam suas vidas.

No campo religioso, a Teologia serve como área de conhecimentos bíblicos, sem levar em conta que nenhuma teologia concorda com a outra. Mas funciona como distintivo de competência e autoridade, da mesma forma que o médico se faz deus baseando-se em seus anos de estudo.

Timóteo, guarde o que lhe foi confiado. Evite as conversas inúteis e profanas e as idéias contraditórias do que é falsamente chamado conhecimento; professando-o, alguns desviaram-se da fé. A graça seja com vocês.
1 Timóteo 6.20-21 NVI

Há muita maneiras de se desviar da fé. O apóstolo já mencionou que “algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé” v. 10. Na segunda carta ao seu filho na fé, ele afirma que alguns “desviaram-se da verdade” pela falsa doutrina a respeito da ressurreição, 2Tm 2.18.

O conhecimento é uma das áreas principais que o ser humano usa para se engrandecer, Jeremias 9.23-24, inclusive no campo da religião. Por ele as pessoas fazem falsas pretensões como gente qualificada para o ensino e para influenciar o pensamento dos outros.

Paulo, ao terminar sua carta, lembra Timóteo de que ele não precisa ficar correndo atrás de novos conhecimentos, mas sim deve guardar o que lhe foi confiado: a Boa Nova de Jesus Cristo, em toda a sua simplicidade. Ele resume e reforça nestes últimos versos tudo o que tinha escrito em toda a carta.

A grande tentação é de pensar que a verdade que recebemos no início e pela qual fomos convertidos e salvos já não serve mais para pessoas avançadas e maduras.

O simples evangelho de Jesus Cristo, porém, é mais do que suficiente para nos levar à maturidade no crescimento espiritual, à eficácia na obra de Deus e à plenitude dos conhecimentos para a edificação de todos.

Mais que isso não é apenas supérfluo, mas prejudicial.

 

1 pensamento em “O que é falsamente chamado conhecimento”

Deixe uma resposta