Cuidado com as obras da justiça

Mateus 6.1: Faz uma diferença por que fazemos as nossas obras.

Evitem praticar as suas obras de justiça diante dos outros para serem vistos por eles; porque, sendo assim, vocês já não terão nenhuma recompensa junto do Pai de vocês, que está nos céus.
Mateus 6.1 NAA

Jesus espera que façamos obras de justiça. Ou, literalmente, praticar a “justiça”. Nossa justiça tem de ser “muito superior” que a dos religiosos, para entrarmos no reino de Deus, Mateus 5.20. O termo nos dois versos é o mesmo. Uma das maneiras, portanto, como ela (ou elas, no caso) tem de ser superior é a motivação por trás dela.

O Senhor cita três exemplos a seguir da justiça que devemos praticar: esmolas, orações e jejum. Devemos fazer os três, porém, olhando para Deus e não para o ser humano, esperando recompensa do Senhor e não elogios humanos. Quem os faz para ser visto pelos outros tem apenas isso como recompensa, pois não receberá coisa nenhuma a mais da parte de Deus.

A fé praticada em secreto é aquele que busca a recompensa do Pai celestial e não as honras do homem.

O fato de o Pai estar “no céu” é significativo. Do céu ele tudo vê. Do céu ele envia sua ajuda e toda obra é praticada graças às condições que ele nos dá. Do céu ele aprova e também nos receberá no último dia, para que entremos nele. Por mais que os “outros” possam falar bem de nossa justiça, somente o elogio e a aprovação do Pai celestial são os que valem.

Nosso Pai que está no céu, purifica nossa coração das motivações erradas para que façamos tudo para a sua recompensa.

Deixe uma resposta