Deus lhes disse

Mateus 22.31-32: Jesus ensinou que as Escrituras eram divinamente inspiradas.

E quanto à ressurreição dos mortos, vocês não leram o que Deus lhes disse: ‘Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó’? Ele não é Deus de mortos, mas de vivos!
Mateus 22.31-32

Jesus ensinou a inspiração divina das Escrituras Sagradas. Na controvérsia sobre a ressurreição com os saduceus, ele citou uma passagem que Moisés escreveu no livro de Êxodo. Ele fechou todo o argumento dele com a chave de ouro, um texto da Bíblia. (Os saduceus só acreditavam na inspiração dos cinco livros de Moisés, então ele escolheu um texto destes.) A maneira como ele apresentou este texto nos é de interesse especial: o que Deus lhes disse.

No texto, Deus estava falando com Moisés, milhares de anos antes da época de Jesus. E Moisés tinha registrado aquele momento em que Deus lhe apareceu na sarça ardente, como parte da história do povo de Israel e episódio essencial na sua libertação do Egito.

Falando com os saduceus da sua época, Jesus disse que foi Deus quem estava falando a eles. Por meio das Escrituras, e especificamente, o texto de Êxodo, Deus estava falando. Se as Escrituras não fossem inspiradas, seria apenas Moisés, o autor humano, quem falasse. E por ser Deus quem falava, o texto tinha uma extensão maior do que os primeiros leitores. Deus está falando com todos, em todas as épocas da história humana.

Pelas Escrituras, Deus continua falando conosco. Pois elas foram divinamente inspiradas e têm aplicação até para nós hoje. Jesus sabia disso.

Obrigado, Pai, pela sua revelação a nós nas Escrituras!

Deixe uma resposta