Esqueçam deles! (Mateus 15.14)

Texto: Mateus 15

Memorize: Ele respondeu: “Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada pelas raízes. Deixem-nos; eles são guias cegos. Se um cego conduzir outro cego, ambos cairão num buraco”. Mateus 15.13-14 NVI

O assunto: a tradição acima dos mandamentos de Deus. O alvo: os fariseus e os escribas. A questão: quebrar os mandamentos.

Quando essa comissão de Jerusalém acusou Jesus de desobedecer as tradições antigas, Jesus virou a mesa e acusou-os de desobedecer os mandamentos de Deus por causa das suas tradições. Na sua explicação a seguir, e no seu pronunciamento às multidões que a contaminação vem pelo que sai da boca e não pelo que nela entra, os discípulos viram como os fariseus e escribas ficaram profundamente ofendidos.

Pensando em fazer as pazes, os discípulos contaram a Jesus, mas ele logo chama as autoridades religiosas pelo que eram, guias cegos. E o que fazer sobre eles? Deixem-nos. Esqueçam deles. Deus vai cuidar deles. Certamente, não se deve tentar agradá-los ou fazer com eles as pazes.

Vocábulo: Deixar (gr. aphiemi). O termo grego tem muitos significados: permitir, perdoar, tolerar, deixar, dar. Aqui, o significado é o de ignorar ou não levar em conta, não se preocupar com eles. Este imperativo de Jesus aos discípulos indica que a situação dos fariseus e escribas é caso perdido.

“A condição espiritual dos fariseus, com sua cegueira proposital e hipocrisia teimosa, sua lealdade deliberada às tradições ao invés de amor a Deus e Suas revelações, justifica plenamente que Ele (e, consequentemente, eles) os abandone a sua justa condenação”. Harold Fowler, Gospel of Matthew vol. III, Bible Study Textbook Series (1978): 364.

Oremos: Deus, dê-me a coragem quando outros reclamam porque suas tradições essenciais favoritas são desmascaradas, de ir para frente e deixá-los agarrados à sua auto-justiça, para o bem do Reino. Amém.

Pergunta na Prática: Quando é melhor dialogar ou recomendado a deixar as pessoas na situação em que estão?

Deixe uma resposta