Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus

Se eu sou bom, por que preciso de Cristo?

Temos duas opções: ou provamos a Deus a nossa própria bondade, ou aceitamos a graça de Deus por meio da fidelidade de Cristo. A bondade própria é uma ficção adotada por muitos.

Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus. Pois, se é por meio da lei que as pessoas são aceitas por Deus, então a morte de Cristo não adiantou nada!
Gálatas 2.21 NTLH

A briga que Paulo compra na carta aos Gálatas é esta. Gente queria usar a Lei de Moisés como meio de estabelecer a justiça própria. Pela lei diziam poder ser corretos perante Deus. Insistiam com os cristãos que o caminho para chegar a Deus fosse pela lei, porque tornaram a lei num sistema de obras de mérito.

Paulo nega categoricamente esta possibilidade. Tal ficção nega a necessidade da morte de Cristo.

Talvez poucos usem a Lei de Moisés hoje, mas usam outros sistemas de obras de mérito para se declararem bons e para se recomendarem a Deus. Por isso, a carta aos Gálatas continua atual, mais ainda hoje, se isso é possível.

Pois uma das maiores barreiras ao evangelho é o pensamento que a bondade própria descarta a necessidade do sangue purificador de Cristo.

1 pensamento em “Eu me recuso a rejeitar a graça de Deus”

  1. Esta mensagem é de uma profundidade tocante para mim. Já tentei tanto ser boazinha e já me esforcei muito para agradar a Deus com minhas obras. Sempre acabei fazendo “algo errado” por mais empenhada que estivesse em “ser perfeita”. Depois dessas experiências, estou mais aberta à graça de Deus e plenamente convicta de que só pelo sangue de Jesus e pela misericórdia de Deus é que poderei ser salva.

Deixe uma resposta