Fale a Bíblia

Salmo 49.1-3: Usemos sempre a Bíblia nas nossas conversas e palavras.

Ouçam isto vocês, todos os povos; escutem, todos os que vivem neste mundo, gente do povo, homens importantes, ricos e pobres igualmente: A minha boca falará com sabedoria; a meditação do meu coração trará entendimento.
Salmo 43.1-3

É difícil imaginar momento nas conversas quando uma citação da Bíblia ou referência às Escrituras não seja apropriada. Parafrasear o conteúdo das Sagradas Letras é bom; citar de memória é melhor ainda. Fazer leitura com a Bíblia na mão é sobremaneira excelente.

Jesus constantemente falava das Escrituras. Usou-as para lhe afastar a tentação. Ensinou-as aos discípulos. Questionou as pessoas ao redor a respeito do seu significado. Lia passagens dentro da sinagoga. Aplicava suas verdades ao seu dia. “Hoje se cumpriu a Escritura que vocês acabaram de ouvir” Lc 4.21.

Podemos fazer menos que o nosso Senhor nesse aspecto? Se procuramos fugir das falas de baixo calão e substituí-las por palavras edificantes e positivas, que maneira melhor do que usar os sentimentos, as expressões e as citações da Bíblia?

O apóstolo Paulo deu a Timóteo, seu filho na fé, receita para evitar os falatórios e discussões, os quais não edificavam os ouvintes. O manejo correto da palavra da verdade servia para evitar as “discussões acerca de palavras” e as “conversas inúteis e profanas” 2Tm 2.14-16. Por isso ordenou-lhe: “Dedique-se à leitura pública da Escritura” 1Tm 4.13. E também: “Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo” 2Tm 4.2. O ministério de Timóteo devia se basear nas Escrituras. Delas seu ensino seria tirado. Sua vida e suas palavras encontravam nelas seu conteúdo.

Devemos ensinar a Bíblia aos outros, mas aqui nosso interesse é mais amplo ainda. Que nossos pensamentos e sentimentos mais profundos sejam saturados pela palavra de Deus, por meio da meditação constante e da consequente externação pelas palavras. “A minha boca falará com sabedoria; a meditação do meu coração trará entendimento” Sl 49.3.

Quando o foco está na palavra de Deus, Sl 19.7-11, podemos ter certeza de resposta positiva à oração: “Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador!” Sl 19.14.

Deixe uma resposta