A familiaridade gera desprezo

Marcos 6.4: Seremos como os nazarenos?

Jesus lhes disse: “Só em sua própria terra, entre seus parentes e em sua própria casa, é que um profeta não tem honra”.
Marcos 6.4

Jesus foi rejeitado pelo seu próprio povo, na cidade em que cresceu. A familiaridade com ele levou as pessoas a não perceber a sua natureza especial. Estavam cegos à sua divindade.

Jesus viu esta rejeição por familiaridade como uma característica humana típica.

Há um ditado que a familiaridade gera desprezo. Isto poderia se aplicar a mim, nas coisas de Deus?

  • Deixo de valorizar as Escrituras como própria palavra de Deus por ela estar sempre por perto, com tantas versões e edições disponíveis?
  • Estou falho na minha participação na igreja de Deus por ela estar composta de gente que conheço, com todas as suas falhas e erros?
  • Sinto desprezo para com o privilégio da oração, pelo acesso fácil e livre que tenho, podendo falar com Deus a qualquer momento?
  • Deixo de honrar a Deus nas reuniões de adoração, por estas serem simples, pelo seu culto racional, rotineiro, repetido semana após semana?

Quanto mais conhecemos o plano maravilhoso de Deus, o caminho verdadeiro de Cristo e a segura proteção do Espírito Santo, mais devemos honrar o Senhor pela sua sabedoria, misericórdia e amor.

Deixe uma resposta