Ficarei satisfeito ao ver

Quanto a mim, feita a justiça, verei a tua face; quando despertar, ficarei satisfeito ao ver a tua semelhança.
Salmo 17.15

Talvez Filipe estava pensando neste texto quando disse a Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta” (João 14.8).

Ambos os contextos tratam a violência. Um texto, um apelo a Deus para agir e livrá-lo dos inimigos. O segundo, traição e negação pelos próprios discí­pulos do Senhor.

O primeiro é uma afirmação de confiança; o segundo, um pedido de profundo desejo.

Tanto Davi como Filipe sabiam que ninguém podia ver Deus. Mas desejaram e esperaram alguma manifestação divina que indicaria sua presença pessoal e ação poderosa em seu benefí­cio.

Jesus na carne é a resposta ao pedido de Filipe (João 14.9-10). Ele já devia ter visto isso.

Jesus na cruz é a resposta ao despertar matinal de Davi. Na cruz, a justiça reinou, o inimigo foi vencido e a face de Deus chegou perto do coração humano.

No ato de comer o pão e beber o cálice, vemos a face de Deus, proclamamos a vinda de Jesus e alegramo-nos na satisfação de ver a sua semelhança.

Pois o que Davi esperava e Filipe pedia agora é nosso para nos dar satisfação.

Deixe uma resposta