Geração incrédula e perversa

Tomará como insulto ou repreensão?

Poder DivinoFomos ensinados a não chamar ninguém de idiota ou estúpido. Os insultos machucam, não resolvem nada, dificultam os relacionamentos e comunicam arrogância da parte de quem os usa.

O que Jesus então está fazendo com essas palavras?

Respondeu Jesus: “Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês? Até quando terei que suportá-los? Tragam-me o menino”.
Mateus 17.17 NVI

O pior é que, desta vez, ele se dirige aos próprios discípulos. Antes, falava assim para os judeus que recusaram a crer nele (Mateus 12.39). Mas os discípulos tinham falhado na sua tentativa de expulsar um demônio de um menino. De alguma forma, deixaram de confiar em Jesus e lançar mão do poder que ele tinha outorgado a eles. Talvez sua tendência de competir entre eles surgiu, na ausência de Jesus, enquanto estava no monte da transfiguração.

Então Jesus, ao invés de insultar, repreende. E resolve a situação. Mas nem sempre estará por perto, pessoalmente, para limpar a bagunça deles.

Quando os discípulos deixaram de cumprir a sua missão, recebida do Senhor para o bem das pessoas e para a vinda do reino de Deus, eles mereciam a mesma repreensão que o Senhor deu aos escribas e fariseus.

Por meio da repreensão, Jesus espera que os discípulos acordem, arrependem-se e ajam com fé. Porque o tempo é curto.

Tem hora que merecemos ouvir a mesma repreensão, ao falharmos de cumprir a nossa missão de pregar o evangelho em todo o mundo. E nós, acordaremos a tempo?

Perdoe-me, Senhor, quando tento agir sem fé, sozinho, ao cumprir sua missão, sem confiar plenamente na ação do seu Espírito em mim e no poder das Escrituras para salvar.

Segure este pensamento: Longe de Jesus, falha a nossa força.

2 pensamentos em “Geração incrédula e perversa”

Deixe uma resposta