Imite o que é bom

3 João 11: Pontos a aplicar para nossa crise hoje.

Querido amigo, não imite o que é mau, mas, sim, o que é bom. Aquele que faz o bem pertence a Deus e aquele que faz o mal jamais viu a Deus.
3 João 11 VFL

O apóstolo João escreveu assim ao seu amigo Gaio, que se encontrou em posição delicada, por causa de um assim chamado líder que estava fazendo regras e restrições dentro da congregação.

  1. Gaio tinha exemplos próximos do que era mau e do que era bom. No verso 9, ele tinha o exemplo mau de Diótrefes, que impedia a proclamação da Boa-Nova e proibia que outros ajudasse também. No verso 12, ele tinha o exemplo bom de Demétrio (talvez um dos evangelistas). Não temos que inventar nada nem imaginar como fazer, pois temos instruções e exemplos do que devemos fazer. Vamos imitá-los.
  2. Quem define o que é bom é Deus. Não devemos seguir nossa própria ideia do bom. Façamos o que Jesus fez, Atos 10.38. Ele sabe o que é bom. Deus faz o bom também, Salmo 119.68. Vamos ouvir a ideia dele. “Ele [Deus] mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige” Miqueias 6.8.
  3. A prática do bem define se a pessoa é de Deus, ou não, se pertence a Deus, ou não. Somente palavras não resolvem — é preciso fazer a vontade do Pai celestial, Mateus 7.11. Deus vê nossas obras, as quais são essenciais para receber sua aprovação no tempo e na eternidade.
  4. Dentro do contexto, o bom ao que o apóstolo se refere, era ajudar evangelistas fazerem seu trabalho de espalhar a mensagem de Cristo. Isto é prioritário para o Senhor. Nada, nada, nada (nem coronavírus) deve nos impedir de nos participar da missão de Cristo de salvar pessoas e de apoiar os que estão na frente da linha de batalha.

Em momentos de grandes conflitos e crises, a palavra de ordem é: continue fazendo o que você sabe que deveria fazer.

Deixe uma resposta