Jesus interpreta

Lucas 24.44-45: A Bíblia é sua própria interpretação da história.

E disse-lhes: “Foi isso que eu lhes falei enquanto ainda estava com vocês: Era necessário que se cumprisse tudo o que a meu respeito está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”.
Então lhes abriu o entendimento, para que pudessem compreender as Escrituras. Lucas 24.44-45

Desenvolveu-se toda uma ciência para interpretar as Escrituras. É bom que tenhamos ferramentas para entender melhor a Bíblia. Nunca devemos nos esquecer, porém, que a própria palavra de Deus já é uma interpretação divina e sagrada dos eventos dentro da história. Na sua sabedoria infinita, Deus não nos deu um livro de teologia, filosofia ou sociologia. Deus não escreveu um volume de princípios abstratos. Ele nos conta a sua história.

Jesus era mestre que ensinava a palavra do Pai. (O evangelho de Marcos, especialmente, o apresenta assim.) Explicava durante todo o seu ministério o significava das Escrituras e revelava o final do plano celestial. Um dos últimos atos seus foi o de dar a interpretação oficial das Sagradas Letras.

Esta verdade deve nos motivar mais ainda ao estudo bíblico, 2 Timóteo 2.15. O Senhor nos explica tudo o que fez ao longo da história, o que realizou em Cristo, o que ainda opera no nosso meio. Deve nos alegrar profundamente poder ouvir o próprio Deus nos informando a respeito do seu plano eterno.

Impressiona, Pai, a simplicidade das Escrituras e a sua profundidade. Revele-nos pela meditação e estudo a sua vontade de nos remir e de nos levar de volta à sua presença.

Deixe uma resposta