José e Maria eram pobres

Os pais de Jesus eram pobres, pelo que tudo indica. Um indício disso vem de Lucas 2.22-24, parte do nosso roteiro de leitura bíblica:

Completando-se o tempo da purificação deles, de acordo com a Lei de Moisés, José e Maria o levaram a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor (como está escrito na Lei do Senhor: “Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor”) e para oferecer um sacrifício, de acordo com o que diz a Lei do Senhor: “duas rolinhas ou dois pombinhos”.

Pessoas que não tiveram condições econômicas de comprar um cordeiro, deviam levar os pássaros (Levítico 12.8). Então, o texto acima parece indicar que José e Maria teria tido dificuldade para apresentar a oferta mais cara.

No mínimo, podemos concluir que ser pobre não era impedimento à formação espiritual de Jesus como criança. Primordial no plano divino, obviamente, era a vida justa e piedosa de José e Maria. O estado financeiro da família não era uma consideração na mente de Deus.

Queira Deus que as pessoas hoje se importassem mais com a retidão do que a riqueza!

Oremos: Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que eu trabalhe mais para enriquecer o meu coração e o meu lar com o teu amor e a tua justiça, do que encher a conta bancária com milhares de reais ou a casa com os últimos equipamentos e móveis finos.

Pergunta da prática: Como podemos, em casa, deixar de destacar o material e valorizar o espiritual? Como podemos nos dedicar mais para desenvolver a retidão que agrada a Deus?

Deixe uma resposta