Julgando por si mesmos

É necessário julgar corretamente—especialmente em relação a Jesus.

“Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo?
Lucas 12.57

O ser humano foi criado para raciocinar e chegar a conclusões válidas, baseadas nas evidências que ele acumula. O Senhor Jesus repreendeu as pessoas do seu dia por não julgar corretamente. Elas deviam usar esta função divinamente concedida, ao invés de usar um raciocínio errôneo, especialmente em relação ao próprio Jesus, João 7.24.

No contexto do texto de Lucas, Jesus conta a história do homem que está sendo processado e, evidentemente, é culpado. O bom juízo exige que, antes de chegar perante o juiz, o culpado resolva fora do tribunal, para não ser condenando e preso.

Por causa do pecado, toda pessoa é culpada perante o Juiz de toda a terra. Vem o dia de aparecer na presença dele para receber a devida condenação. Só que agora apareceu o Homem que pode acertar as nossas contas. O bom juízo exige que acolhamos Jesus. Mas os judeus estavam o rejeitando. Não deveriam julgar corretamente o momento?

Se devemos julgar, então que tipo de julgamento a Bíblia condena? Muitos conhecem Mateus 7.1: “Não julguem, para que vocês não sejam julgados”. No sermão do monte, o Senhor condena o espírito crítico que procura erros e problemas nos outros. O próprio contexto mostra a necessidade de julgar corretamente, especialmente em relação à nossa necessidade de ter Jesus como Senhor e Salvador.

Deus Pai, dê-nos o bom juízo, para que decidamos seguir Jesus e receber o perdão dos pecados.

1 pensamento em “Julgando por si mesmos”

Deixe uma resposta