Torcendo a Escritura para justificar o pecado

Acontece demais, mas não adiantará.

Um irmão que procurava justificar seu pecado citou para mim esse versículo. Antes de se tornar cristão, disse ele, vivia na ignorância, mas agora, tendo Cristo, ele pode se casar com quem quiser, mesmo sendo antes um adúltero.

Mas não é isso que diz o versículo.

Deus tolerou a ignorância passada do homem a respeito destas coisas, mas agora ele ordena a todo mundo que se arrependa. Porque determinou um dia para julgar com justiça o mundo por meio do homem que ele destinou, e já mostrou quem é ao ressuscitá-lo dos mortos.
Atos 17.30-31 NBV

A ignorância neste verso se refere aos tempos antes da vida de Cristo. “Agora” designa a nossa era, a depois de Cristo.

Hoje, nossa responsabilidade é maior. A ignorância, nem antes nem depois do batismo, não serve como desculpa. Nossa vida tem de partilhar da santidade de Deus. O arrependimento, contrário a muitas denominações de origem humana, é essencial.

Uma leitura superficial do Sermão do Monte, mostra que, antes de Cristo, Deus permitiu coisas que hoje são proibidas. A vida em Cristo não é libertina, mas a justiça dos cristãos têm de ser maior do que a do passado, Mateus 5.20.

Se você desejar ser hoje um cristão, não há como se desobrigar das exigências do Senhor Jesus.

Deus abençoado, salve-me de torcer as escrituras para justificar uma determinação teimosa para pecar.

Segue esta ideia: Podemos torcer as Escrituras agora, mas as veremos à sua luz correta no juízo final.

5 pensamentos em “Torcendo a Escritura para justificar o pecado”

  1. … julgar com justiça o mundo por meio do homem que ele destinou … = JESUS!
    Muito legal!
    Que o Senhor o abençoe!

  2. Alguns, senão muitos, entendem esta passagem dessa forma: “Deus não levou em conta o que eu fiz antes de conhecer a Cristo, seja o que for, pois quando me entreguei a ele, tudo deixou de existir e agora tudo se fez novo”; ou seja, a sua vida passou a ser contada a partir de seu batismo em Cristo. Mas como foi mencionado, não é isso que o texto está dizendo. A interpretação correta é: não importa o que eu fiz (na ignorância), agora que sou cristão (tenho o pleno conhecimento) preciso viver de acordo com a vontade de Deus, pois do contrário perderei a minha salvação. Também já vi irmãos justificarem o segundo casamento usando passagens como esta, mas eles esquecem que a “lei” do matrimônio foi dada a todos os seres humanos no início da humanidade (ela é universal), ou seja, na criação (Gn 2:24). Ela é antes da Lei de Moisés, e consequentemente, antes da doutrina cristã no Novo Testamento, e continua valendo (Mc 10:9; Rm 7:2,3; 1 Co 7:10,11,39). Se conhecendo ou não a Cristo permanecermos no pecado, pereceremos, pois o “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6:23). Todos os seres humanos tem uma moral, uma consciência do certo e do errado, e isso independe de ser cristão. Um ateu, por exemplo, sabe muito bem que adulterar é errado, pois do contrário este ato nunca seria realizado as escondidas do cônjuge. Todos sabem que mentir é errado, mas muitos continuam a mentir e a viver da mentira. Deus, porém, nos chama ao arrependimento e em consequência a mudança total de vida e de pensamento; uma nova consciência – “o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo” (1 Pe 3:21).

    1. Obrigado, Elcio, é isso mesmo. Só que a “ignorância” do versículo se refere aos tempos antes da vinda de Cristo na terra. Agora que ele é, e trouxe, a plena revelação de Deus, acabaram estes tempos. Grande abraço.

  3. Concordo plenamente contigo Randal. Porém, em meu comentário frisei mais o lado pessoal, onde alguns querem “justificar” nas próprias escrituras a permanência em praticas ou atitudes que são contrárias a vontade soberana de Deus. No passado Ele tolerou a ignorância, mas agora chama todos ao arrependimento e ao completo entendimento de sua vontade. E como você disse, em Jesus temos a completa revelação de Deus para nós, e quem quer estar dentro de sua vontade precisa se render e obedecer aos seus desígnios. Abraços …

Deixe uma resposta