O justo conduz à ruína

Provérbios 21.12: Mas o justo não faz mal a ninguém?

justo-ruina“Ele nunca faria mal a ninguém”. Ouve-se a frase de vez em quando sobre certas pessoas. Mas, certamente, tal pessoa não seria serva de Deus.

O justo observa a casa do perverso e conduz os ímpios à ruína.
Provérbios 21.12 A21

Algumas versões entendem que “justo” se refere a Deus, mas parece que Provérbios não usa o termo em relação ao Senhor. Recorrem a esta possibilidade, evidentemente, por causa das sensibilidades modernas que não cogitam a possibilidade do justo fazer mal a ninguém.

Tais sentimentos às vezes até querem tirar Deus do papel de juiz vingador que castiga o mal. As pessoas preferem pensar que os ímpios sofrem apenas as consequências do seu próprio mal. Alguns, inclusive pastores, até negam a existência do inferno como lugar do castigo eterno.

Mas do início ao fim, a Bíblia apresenta o mal como algo a se opor, tanto da parte de Deus, como também da parte do seu povo.

Quando o justo trabalha para o êxito da justiça, seus esforços contribuem à ruína dos ímpios. Impossível é trabalhar para o bem, e deixar intacto o mal.

Não é necessário pensar neste verso, como afirmam alguns comentaristas, que o justo seria no caso apenas um juiz ou rei humano, cuja função é de julgar os crimes. Todos os justos de Deus trabalham, como seu Pai trabalha, para a derrota do mal!

Na era cristã, não está envolvida nenhuma violência física, nem castigo físico pelas mãos dos santos de Deus. Para isso, Deus instituiu o governo, Rm 13.

O justo conduz os ímpios à ruína pelo ensino da verdade, pela refutação das doutrinas falsas, pela exortação de seguir o bem, pela evangelização, pela denúncia das obras más pelo que são, Ef 5.11 OL.

Seu trabalha não é negativa, mas positiva. Mas terá, inevitavelmente, efeitos destruidores, tanto na terra, como no céu.

Queremos, Pai, como o Senhor, a salvação de todos. Que sejam derrotados aqueles que se opõem à sua graça.

Segure esta ideia: Observe o mal no mundo e impeça que o ímpio tenha êxito.

1 pensamento em “O justo conduz à ruína”

Deixe uma resposta