A resposta sempre foi a mesma

Acts 22.10: Jesus não responde diretamente a Saulo, mas manda alguém para dizer o que todos precisam saber.

“Assim perguntei: Que devo fazer, Senhor? Disse o Senhor: ‘Levante-se, entre em Damasco, onde lhe será dito o que você deve fazer’”. Atos 22.10

Não existe pergunta melhor que se pode fazer do que a que Saulo fez no caminho para a cidade de Damasco, quando o Senhor Jesus lhe apareceu.

O Senhor não lhe deu os detalhes, pois já tinha subido ao céu e já tinha dado à igreja a tarefa de proclamar o evangelho. Ele não faria a tarefa que pertencia agora à igreja. Mas o orientou a chegar a Damasco, onde o Senhor fez com que um discípulo chegasse para responder à pergunta.

Jesus respeitou o tempo em que Saulo vivia. Na era cristã, desde o início, mesmo na época dos milagres, Deus determinou que a igreja falasse os termos da salvação. Mesmo com a chamada miraculosa de Saulo, Jesus respeitou a vontade do Pai neste ponto. Deixou para Ananias falar-lhe o que devia fazer.

A resposta que Jesus mandou Ananias entregar era a mesma de sempre. A um Saulo que mostrava fé, Ananias mandou que fosse imerso na água para receber o perdão dos pecados, Atos 22.16. Mandou-lhe parar de orar e jejuar para obedecer ao Senhor.

A pergunta sobre o que se deve fazer para ser salvo deve receber hoje a mesma resposta. Não havia no primeiro século, e não há hoje, uma resposta diferente. Se a resposta não é a mesma, não foi o Senhor Jesus que enviou.

Pai, obrigado por resposta tão coerente e simples, de modo que todos possam entender.

Deixe uma resposta