A morada de Deus entre os homens

Êxodo 25.8: Deus se fez presente no santuário.

tabernaculo

O ser humano precisa de moradia, para protegê-lo dos elementos da chuva, do frio e do calor e das ameaças de insetos, bichos e predadores da sua própria raça. Sua moradia lhe traz um grau maior ou menor de conforto.

Deus também tem uma moradia, mas não porque ele precisa de proteção. Ele deseja e por isso escolheu habitar entre um povo da sua escolha. Por meio desta moradia ele não recebe benefício, mas o confere. Ele abençoa ao seu povo por meio da sua presença no seu meio.

E deverão construir um santuário para mim, para que eu possa morar no meio deles.
Êxodo 25.8 NBV

O santuário (neste caso o tabernáculo) serviu para marcar para Israel o ponto de encontro entre o Senhor e o povo. Por isso, tinha de se construído “conforme o modelo” que o Senhor mostrou, v. 9.

O santuário, os utensílios e o sacerdócio serviram todos para mediar a presença divina, a fim de ser uma bênção para o povo e não uma maldição. Cada objeto no santuário e cada movimento dos sacerdotes comunicavam a verdade do Deus vivo e verdadeiro, cuja pessoa não podia ser contida numa imagem, nem cuja glória podia ser limitada a um único local.

Por amor ao povo, porém, o modelo divino transmitia o compromisso de Deus com seus escolhidos.

Hoje, o santuário somos nós, os cristãos. Ainda há um modelo de como este edifício é construído e santificado.

E a presença de Deus, comunicada por meio de símbolos e sacrifícios no Antigo Testamento, hoje se evidencia por meio de vidas transformadas e corações abertos à obra dele.

Tendo o ser humano como sua morada, Deus traz toda a proteção, a bênção e o conforto necessários para qualquer um.

Deixe uma resposta