Não me afastei

Sigamos o exemplo da fidelidade de Jó.

fidelidadeMuitos estão abandonando a verdade do evangelho. Outros, ao conhecerem o cristianismo original conforme no Novo Testamento, recusam a seguir Jesus e ficam no seu caminho da perdição. Mesmo no meio do sofrimento, Jó mantinha seu compromisso com os mandamentos de Deus.

Não me afastei dos mandamentos
dos seus lábios;
dei mais valor às palavras de sua boca
do que ao meu pai de cada dia.
Jó 23.12 NVI

Hoje, as pessoas querem se sentir bem. Querem emoção. Buscam felicidades em todos os lugares errados. Vão com a onda da popularidade, ou dependem de alguma autoridade religiosa. Os dois caminhos levam para longe de Deus.

Pai, obrigado pelo pão de cada dia e mais ainda pela sua palavra de salvação. Mesmo com a perda de tudo, mantenha-me firme para que eu guarde o seu mandamento. Em Cristo, amém.

2 pensamentos em “Não me afastei”

  1. Amém. É interessante meus irmãos que muitas pessoas são levadas pelas emoções, pincipalmente no mundo religioso, onde eu estou está tudo bem, eu estou alegre, feliz, dou o dízimo de tudo que ganho, todos os caminhos levam a DEUS basta acreditar, não há uma verdade absoluta, entre muitos outros comentários que já ouve. É lamentável ao invés das pessoas buscarem o pleno conhecimento em CRISTO JESUS ficam buscando agradar a se mesmo e não o PAI.
    Abraços que DEUS abençoe a todos.
    Seu irmão Madson

  2. A integridade de Jó perante o sofrimento e a perda total é um grande exemplo nestes dias de “fartura” e “prosperidade” religiosa. Perguntaram certa vez a um homem que se auto-intitula “bispo” o porque de tanta ostentação e riqueza em sua vida. Ele respondeu: “meu pai é rico, eu não seria?” Certamente, este homem não conhece o Filho de Deus, pois o unigênito do Pai não tinha “onde reclinar a cabeça” (Mt 8:20). Já outro homem, que vez ou outra, são substituídos pela morte do antecessor, “mora” em um ostentoso palácio e senta num trono de ouro, enquanto milhares de seus “fiéis” não tem nem onde reclinar a cabeça.

    Ser fiel como Jó foi é para poucos – os poucos que acertam com o caminho apertado rumo a porta estreita de Mt 7:13,14 -, pois a verdadeira fidelidade não é encontrada na quantidade de coisas que se tem ou ganha, e muito menos pela riqueza que se possa obter, mas num coração confiante em Deus que persevera no caminho de Luz mesmo diante de toda dor e sofrimento.

    Jesus, neste mundo, assim como o apóstolo Paulo dentre outros servos de Deus, são exemplos que a abnegação e a vida simples estão ligadas àqueles que vivem do evangelho. Ser rico ou ficar rico pelo suor do trabalho não tem nada de errado (e Jesus tem uma instrução para estes), mas alguém achar que enriquecerá só porque crê em Deus e tornou seu filho está redondamente enganado. E pior, achar que “a piedade é fonte de lucro” (1 Tm 6:5). Paulo escreveu: “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes” (1 Tm 6:8).

    Jesus disse que “todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33). Todas as coisas? Não, “todas estas coisas”! E que coisas são estas? O que comer, o que beber e o que vestir (Mt 6:25-32), ou seja, coisas básicas para sobrevivermos, servir a Deus e estarmos contentes. E como estas coisas serão acrescentadas? Jesus responde: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça” (Mt 6.33a), porém, não para ganhá-las, mas para agradar e servir a Deus e ao nosso próximo.

    Estamos prontos para dizer e viver como o apóstolo Paulo, que abriu mão de posição social e conforto para servir a Cristo? Ele disse: “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Fp 1:21). Muitos repetem esta frase, mas não querem passar o que Paulo passou por causa do evangelho.

    Que não afastemos de Cristo, como tantos outros, por não terem “obtido” o que queriam ou que querem. Lembremos que esta vida não é nada em relação ao “que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Co 2:9). Que nosso compromisso com Deus seja perpétuo. “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras” (Hb 10:24).

Deixe uma resposta