Para não pecar, mas se pecar?

1 João 2.1: Evitemos o pecado. Recorramos a Jesus quando pecamos.

Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. 1 João 2.1

Havia na igreja gente que fazia pouco caso do pecado. Evidentemente, pensavam que estavam acima da preocupação de tirar e manter o pecado fora da sua vida. Na sua primeira carta, João escreveu muito mesmo sobre a necessidade de não viver pecando. Ele anda com sucesso entre dois erros: afirmar não ter pecado e desprezar a luta contra o pecado.

Um dos objetivos da sua primeira carta, diz ele, é para que vocês não pequem. Isto é, para que não aceitem passivamente o domínio do pecado na sua vida, “a fim de que vocês fiquem longe do pecado” (NBV). Ele recomenda a obediência aos mandamentos de Deus como meio de conhecer a Deus, 1 João 2.3. Coloca Jesus como exemplo: “deve andar como ele andou” 1 João 2.6. Aponta o amor ao Pai e aos irmãos como caminho para evitar o pecado, 1 João 2.9-11, 15-17. Ele não quer que os discípulos pequem de forma alguma. (Ver João 5.14.)

Mas e se alguém eventualmente pecar? O cristão vai tropeçar, Tiago 3.2. Mas não há por que se preocupar. O plano perfeito de Deus leva em conta a nossa fraqueza. Jesus é o Justo e, como tal, intercede em nosso favor. Por meio dele é que Deus continua nos perdoando depois de batizados, 1 João 1.7, 9, se andarmos na sua luz. Os cristãos o têm e a ele devem sempre recorrer.

Pai, que o Senhor ouça Jesus na hora da nossa necessidade.

Deixe uma resposta