De neurônios e conexões espirituais

Levítico 19.17: Repreensão uma manifestação de amor e de santidade.

Como criaturas sociais que somos, sentimos profundamente as atitudes e ações dos outros. Recentes pesquisas mostraram que o cérebro físico está em constante fluxo, reajustando diariamente suas conexões neuronais de acordo com as interações humanas.

“Todos os relacionamentos modificam o cérebro”, escreve um autor, “e especialmente nosso vínculo mais íntimo, os quais nos fomentam ou nos falham, alterando os circuitos delicados que formam as memórias, as emoções e aquele suvenir máximo, o ego”.

As mudanças que as interações sociais efetuam no organismo físico são mínimas comparadas ao efeito que elas têm na pessoa interior que somos, a nossa alma eterna.

Por isso, nossa maneira de tratar aos outros e de reagir às atitudes dos outros é tão importante.

Não guardem ódio contra o seu irmão no coração; antes repreendam com franqueza o seu próximo para que, por causa dele, não sofram as consequências de um pecado.
Levítico 19.17 NVI

Entre o povo de Deus, especialmente, somos afetados uns pelos outros. Precisam reinar entre nós a transparência, a honestidade, a franqueza, todas estas manifestações genuínas do amor.

A falta de presença, o silêncio, a atitude de ficar “na minha”, são posturas anti-cristãs. Ver, por exemplo, Gálatas 6.1ss.

No verso acima, até os israelitas tinham de se manifestar quando aparecia no seu meio o pecado, tanto a nível nacional como a nível pessoal. Era necessário para manter a santidade do povo (ver o contexto do capítulo).

Aqui, não se trata de crítica mas sim de correção. O mundo não entende a diferença entre os dois, mas a Escritura distingue muito bem e nos proíbe aquela ao mesmo tempo que nos ordena a cumprir esta.

Abandonemos as besteiras mundanas de “não julgar ninguém”. O mundo julga, critica e condena o tempo todo. Sejamos nós aqueles que julgam com justiça e retidão, juízo que é manifestação do amor e da rejeição do ódio, para vivermos em comunidade genuína.

Assim, agradecer-nos-ão não somente os nossos cérebros, mas as nossas almas também. Pois por meio de nossas interações espirituais, o espírito será reajustado cada vez mais à imagem de Cristo e adequado para a morada celestial.

2 pensamentos em “De neurônios e conexões espirituais”

  1. É interessante meu irmão. Temos que sempre buscar ajudar uns aos outros e a as admoestações ajudam nesse sentido.
    Abraço fraterno Madson.

  2. Madson, é impressionante quantas vezes somos ordenados a corrigir, admoestar, repreender uns aos outros. É uma conduta que corre contra a sociedade, mas temos que resistir à tentação de ficarmos calados.

Deixe uma resposta