A natureza da nossa esperança

Gálatas 5.5: É isso que esperamos receber da parte de Deus.

Porque nós, pelo Espírito, aguardamos a esperança da justiça que provém da fé.
Gálatas 5.5 NAA

Entre as sete bases da unidade dos cristãos, uma é a única esperança nutrida pelo povo de Deus: “(…) a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só” Efésios 4.4. Esta se resume bem na vida eterna, Tito 1.3; 3.7. Isto exclui esperanças da religiosidade popular para coisas materiais e físicas ou projetos sociais ou políticos. Esperamos e buscamos as coisas do alto, celestiais, Colossenses 3.1-4.

Quem lê com calma o Novo Testamento fica impressionado com esta ênfase. Ela aparece também no texto acima. Tudo neste texto é espiritual, e não material ou terreno.

Nós aguardamos. O verbo indica esperar intencional e ansiosamente. Identifica o alvo da esperança e trabalha para alcançá-lo.

Pelo Espírito. Não há necessidade de restringir demais o sentido, mas inclui tanto o poder da justificação que vem por ele, quanto a sua revelação que nos informa do que Deus fez em Cristo e como entrar nele. O cristão é “o filho nascido segundo o Espírito” 5.29.

A esperança. É comum Paulo juntar a esperança, a fé e o amor (ver v. 6). Aqui ele descreve numa única palavra o objetivo da fé. O que Deus oferece, não por tentativas de merecer a salvação, mas sim pela graça de Cristo, v. 4.

Da justiça. Refere-se a sermos introduzidos em relacionamento com Deus, pois Cristo resolveu nosso problema do pecado. Ele nos declarou justos aos seus olhos.

Por meio da fé. A natureza da fé é aquela “que atua pelo amor” v. 6. Ela não fica sozinha. Os três elementos são essenciais.

Não esperamos nada terreno, mas do céu, onde Cristo habita.

Pai, mantenha meus olhos fixos no meu relacionamento contigo.

Deixe uma resposta