O rosto de um anjo

Atos 6.15: Não é rosto de neném!

Nenhum de nós já viu um anjo. As histórias de anjos hoje nada parecem com as da Bíblia, tampouco os supostos anjos têm algo a ver com os verdadeiros. As Escrituras desconhecem anjinhos bonitinhos.

Todos os que estavam sentados na sala do Conselho Superior olhavam firmemente para Estêvão e viram que o rosto dele parecia o rosto de um anjo.
Atos 6.15 NTLH

Logo pensamos que Estêvão devia ter um rosto docinho, meigo, bonito, iluminado. Quão errados seríamos neste pensamento.

Os anjos da Bíblia brilhavam sim, mas seus rostos emanavam poder e autoridade, inspiravam terror e temor.

Pelo poder do Espírito, Estêvão venceu os debates contra os seus acusadores (verso 10). Ele sabia que estava do lado de Deus, que estava sendo usado pelo Senhor para sua causa, que por trás das suas palavras relampejava a autoridade divina.

O que viram nele não era doçura, mas sim coragem. Ele não fica gago, mas discursa de forma tão poderosa (capítulo 7), que o sinédrio só pode silenciá-lo matando-o na hora.

No olhar firme e intenso das autoridades para Estêvão, ele não se acovardou, mas estava pronto para responder pela sua fé. Isso que é ter rosto de anjo.

E nós?

Pai soberano, dê-nos todos o rosto de um anjo, de coragem e firmeza, com a certeza da sua presença e da causa que representamos, como enviados de Cristo. Amém.

Segure este pensamento: Sob o olhar hostil, terei coragem.

4 pensamentos em “O rosto de um anjo”

Deixe uma resposta