Para onde o Senhor nos conduz?

2 Tessalonicenses 3.5: Uma breve oração repleta de direção.

Para tirar a nossa atenção do que devemos sempre olhar e pelo qual devemos nos esforçar, trabalham o mundo, o medo e o Maligno. Como devolver o foco no ponto certo?

O Senhor conduza o coração de vocês ao amor de Deus e à perseverança de Cristo.
2 Tessalonicenses 3.5

#1. O que temos acima é uma oração do apóstolo Paulo. Surge da sua confiança que seus leitores estavam obedecendo aos mandamentos sagrados e que continuariam obedecendo-os, verso 4. Reconhece que nem todos obedecem, mas que muitos são “perversos e maus”, verso 3; outros vivem ociosamente, sem a dedicação necessária, versos 6-13. Recorre à promessa e ao poder de Deus como o meio pelo qual a obediência continuará firme.

#2. A oração focaliza Jesus. Ele é o “Senhor“. Paulo reconhece que ele procura ter em nós grande campo de ação. Este campo de ação é bem definido na mente de Paulo (ver no. 5, abaixo). O apóstolo sempre vê a ação passada, presente ou futura do Senhor Jesus. Não a anjos nem a figuras humanas mas a Jesus Paulo direciona nosso olhar.

#3. A ação de Cristo é a de conduzir, abrir caminho, desobstrui-lo para termos passagem livre. Isso faz parte de sua promessa de estar sempre conosco, Mateus 28.18-20. Quem está em Cristo dispõe de toda a sua força para a realização da vontade do Pai.

#4. O que é conduzido é o coração dos cristãos. O coração “na linguagem bíblica é a sede não tanto das emoções, mas sim da vontade e do intelecto, o centro da decisão moral” (D. A. Hubbard, “1 Tessaloniceses”, CBM 5:225). Não é pela procura de maiores emoções mas sim pelo reforço da capacidade de escolher bem que se vive bem em Cristo e agrada a Deus.

#5. O destino da condução de Cristo é duplo: o amor de Deus e a perseverança de Cristo. O amor de Deus é principal aspecto do seu caráter. A perseverança de Cristo mostra como ser fiel sempre para receber a vida eterna. Paulo enfatiza a bondade e a fidelidade divina, Sal 23.6. O que vemos neles é para ser reproduzido em nós.

 

Deixe uma resposta